Com “Paulo Ferreira”, Santana deve passar a ter seis bairros oficiais Problema antigo faz vários bairros não existirem no papel

10 jan 2019 - 01:00

Santana do Ipanema tem cinco bairros oficialmente (Foto: Lucas Malta / Alagoas na Net / Arquivo)

A notícia sobre a nova denominação do bairro Floresta para Prefeito Paulo Ferreira chamou a atenção para um problema antigo nos logradouros de Santana do Ipanema. Você sabia, por exemplo, que oficialmente não existe Bairro Floresta?

Pois é, segundo apurado pelo site Alagoas na Net, atualmente a cidade sertaneja possui cinco bairros. Três deles possivelmente criados a partir de decreto do Poder Executivo (Monumento, Camoxinga e Centro) e os outros dois são oriundos de leis aprovadas no Poder Legislativo (o bairro Domingos Acácio e Saudade).

O Bairro Saudade foi o último a ser aprovado numa lei de 1965, mas é de pouquíssimo conhecimento dos moradores. Segundo a norma, de autoria do vereador Francisco Ferreira de Melo, o bairro Saudade começa no Alto do Cemitério, a partir do Estádio Arnon de Mello.

Há também bairros em que foram feitos projetos de lei, aprovados na Câmara Municipal, mas nunca foram sancionados pelo prefeito ou promulgados pelo Poder Legislativo. Ou seja, na prática, a nomenclatura não servem formalmente para os Correios.

É o caso do bairro São José, também conhecido como Cohab Velha. Ele começa em frente ao Corpo de Bombeiros e vai até a barragem do rio Ipanema. Outro bairro que teve um PL foi o Santo Antônio. Ele começaria depois da ponte que corta a cidade com a AL 130 e vai até o Conjunto Marinho.

Tem solução

O jornalista e pesquisador santanense José Malta Fontes Neto realizou nos últimos anos um vasto levantamento de todas as lei de Santana do Ipanema e explica o motivo dessa confusão nos bairros.

“Com o passar dos anos, muitos bairros e ruas foram sendo nomeados no boca-a-boca, como o caso da Baraúna, Barragem, São Vicente, São Pedro, mas poucos foram parar de verdade no papel. O pior é que, os que viraram projeto de lei, recentemente, não foram postos em prática”, diz.

Apesar do problema, Malta indica uma solução. “Estive conversando com o prefeito Isnaldo Bulhões e apresentei a ele o estudo que fiz, mostrando também um mapeamento dos bairros e propondo uma grande regulamentação do que ainda não está oficializado. Ele se mostrou animado e me disse que vai por em prática”, revelou.

O jornalista ainda ressalta que com a regulamentação de verdade, as informações poderão ser direcionadas aos Correios, para que o órgão crie um CEP para cada bairro e facilite a vida deles e dos moradores. “Todo mundo ganha com uma organização dessa”, confirmo.

Por Lucas Malta / Da Redação

Comentários