17 out

0 Comments

A LUA, E O SEXO

Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

“Havia no alto da montanha três pequenas árvores que sonhavam, o que seriam depois de grandes. A primeira olhando as estrelas disse: Eu quero ser transformada num baú, o mais preciosos do mundo. Cheio de tesouros. A segunda, olhou para o riacho e suspirou: -Eu quero ser um grande navio, para transportar reis e rainhas. A terceira árvore olhou o vale e disse: -Quero ficar aqui, no alto da montanha e crescer tanto que as pessoas ao olharem para mim, levantem os olhos e pensem em Deus.

Muitos anos se passaram. Certo dia vieram três lenhadores e cortaram as três árvores, e as levaram. A primeira árvore, acabou sendo transformada num coxo de animais, coberto de feno. A segunda virou um pequeno barco, carregando peixes e pessoas todos os dias. A terceira acabou cortada em grossas vigas abandonada num depósito. E todas as três, se perguntavam desiludidas o porquê daquilo. 

Numa certa noite, cheia de luz e estrelas, onde havia mil melodias no ar. Uma mulher colocou seu bebê recém-nascido naquele coxo de animais. De repente, a primeira árvore percebeu que continha o maior tesouro do mundo: a criança era o menino Jesus! A segunda árvore, certo dia, transportou um homem que acabou dormindo no barco. Uma tempestade se fez, e aquele homem apenas disse:-Paz! E as águas se acalmaram. E a segunda árvore entendeu que carregava o Rei dos Céus e da Terra! Tempos mais tarde a terceira árvore espantou-se, ao ver suas vigas se unirem em forma de cruz, e um homem nela foi pregado. Mas ela descobriu que aquele que estava pregado ali, era Nosso Senhor Jesus Cristo! E entendeu que toda a humanidade jamais deixaria de olhar em sua direção, onde estava pregado o redentor do mundo o filho de Deus.

MORAL DA HISTÓRIA: Assim como as árvores, temos nossos sonhos, fazemos planos. E que nem sempre coincidem com os planos que Deus tem para nós. Mas quase sempre somos surpreendidos com sua generosidade e misericórdia. Fonte: cancaonova.com.br/escala.org.br

Esta, seria uma terceira história que eu costumo contar aos meus alunos, num primeiro contato que tenho com eles. Sobre o título apelativo, da minha crônica de hoje, explico. Amanheci com uma palavra pairando sobre os travesseiros. Nem tinha aberto os olhos ainda, e lá veio ela encontrar-me: “Efemérides”. Noutra oportunidade, já trouxemos o significado para cá. No entanto ao acessar o Google para minha surpresa, o site ofereceu-me primeiro um endereço com este título: “Disfunção Erétil” que sobrepunha ao site que dar-me-ia informação sobre o termo efemérides. Daí, lembrei-me que alguém já me havia alertado que as redes sociais estariam nos vigiando, vinte e quatro horas por dia. Pensei, seria então por que abri uma matéria no Facebook sobre este tema? Agora o robô que monitora todas as pessoas “sugeriu” a leitura sobre? Desconfianças aparte, façamos sem compromisso, uma correlação entre estes termos: Efemérides, Lua e Flores.

Primeira coincidência: são as três, palavras femininas. A flor se assemelharia ao sexo feminino; E a Lua? Diz o poeta, que é dos namorados, dos casais apaixonados. E isso explicaria porque as mulheres gostam tanto de receber flores.

EFEMÉRIDES: segundo definição do professor Ronaldo Rogério de Freitas Mourão, em seu Dicionário Enciclopédico de Astronomia e Astronáutica “Efemérides” é uma tabela que fornece, em intervalos de tempo regularmente espaçados, as coordenadas que definem a posição de um astro. As Efemérides constituem o elo entre as teorias sobre as quais são constituídas e as observações posteriores, o que permite provar a validade daquelas.  Fonte: dicionarioinformal.com.br”

EFEMÉRIDE: Pode referir-se a feriado, dia de comemoração; data comemorativa ou especial; celebração a nível nacional ou internacional. astronomia: tabela de posição das estrelas em intervalos regulares. Fonte: wikipedia.org.br”

EFÊMERO: Adjetivo, algo de curta duração; aquilo que é breve; transitório. Sucesso efêmero. Característica do que é temporário, momentâneo; felicidade efêmera; Botânica: tipo de flor que desabrocha e murcha no espaço de um dia. Zoologia: aspecto comum aos insetos efemerópteros que servem de alimentos para os peixes de água doce, comumente conhecidos como “aleluia”, “siriruia”. Etimologia, origem do termo “Efêmero”, deriva do grego “efêmeros, do Latim ephémeron, que significa lírio branco do campo. Fonte: dicio.com.br”

As fases da lua teriam grande influência com o período de acasalamento e procriação de diversos animais. Teria estreita relação com o período fértil de muitos seres vivos. É notória a relação existente entre fases da lua e a “Libido” [outra palavra feminina] de muitos bichos. 

LIBIDO: Do Latim: “Anseio” ou “Desejo” é caracterizada como a energia aproveitável para os instintos da vida [Freud]. Santo Agostinho distinguiu três tipos de Libido no ser humano: “Libido Sciendi: Desejo do Conhecimento; “Libido Sentiendi: Desejo Sensual; “Libido Dominendi: Desejo de Dominar. Fonte: wikipedia.org.br”

Tem todo um sentido essa teoria do santo da igreja. Ainda mais se fizermos uma associação com as fases da vida: O infante, a criança, o que mais quer: aprender, conhecer; na fase de jovem e adulto descobrem a sensualidade; uma vez idoso ou senil, tudo que se quer é poder, dominar, juntar, acumular bens. 

UM POUCO DE HUMOR PARA ENCERRAR

“O dono da lancha é o cabeça branca/é o cabeça branca/A mulherada de copo na mão, biquíni fio dental/postando foto na rede social. Autoria: Tierry mus.com.br”

Aí o cara postou nas Redes Sociais: “Mim indiguem uma cerie que vali a pena assistir até o finau. Alguém respondeu pra ele: Ensino Médio: Só tem três temporadas.”

NORDETINÊS NO WATSAPP:

“No Nordeste ninguém diz: Você que lute. Diz: DÊ SEUS PULO!

No Nordeste ninguém pergunta: Qual é seu nome? Pergunta: “TU É FÍ DE QUEM?”

03 out

0 Comments

E VOCÊ, A QUEM DARIA CARONA?

Foto: StockSnap / Pixabay

Aos poucos, o mundo pós-pandemia, vai voltando ao normal. Entre uma determinação proibitiva do governo aqui, um decreto permissivo ali. As coisas vão andando, lentamente pelo miolo do cotidiano. Especificamente no meu campo de trabalho, as escolas se preparam para o “novo normal”. 

Numa primeira aula, habituei-me a quebrar o gelo contando algumas histórias que fui garimpando pela vida. Na minha crônica de hoje contarei uma dessas histórias, que por sinal nem título tem. 

É uma história sobre desafios e oportunidades. Sobre, como nós seres humanos, devemos estar sempre preparados para os desafios, que a vida se nos apresenta. E ter resposta certa, na hora certa, no momento certo.

Começo dizendo: Uma empresa estava precisando preencher uma vaga, para determinado cargo. Muitos jovens assim como vocês, se candidataram àquela vaga. Todos os candidatos se saíram muito bem na prova escrita. Diante do impasse, o gerente da empresa requisitou a ajuda de um psicólogo, que foi até a sala dos candidatos, parabenizou-os pelo desempenho. Dizendo no entanto, que precisava tirar dali apenas um deles, o que iria ocupar a vaga do emprego. E propôs um desafio: Façamos o seguinte, eu lhes contarei uma história. Ao final farei uma pergunta, quem der a resposta correta, preenche a vaga. Topam? A turma topou.

E o psicólogo passou a contar: Um jovem muito rico, resolveu dar uma volta com seu mais novo carro de corrida, em uma autopista. De repente, ao passar num desses abrigos que as pessoas ficam esperando coletivos, ali estava: Uma velhinha, um médico, que o rapaz reconheceu como sendo o médico que um dia salvou a sua vida, e uma moça muito bonita, tão bonita que ao vê-la, ele pensou: é a garota dos meus sonhos! O carro esporte em que o jovem ia, só tinha vaga de carona, pra uma pessoa. A pergunta que o psicólogo fez: A quem o moço deu carona?

A cada turma de alunos as opiniões se dividem entre: A velhinha, o médico e a garota. Daí, faço uma votação. E termino dizendo: Nenhum de vocês, infelizmente, preencheria a vaga do emprego! E arremato: Existe uma resposta correta. E qual seria? Perguntam-me eles. Eis: O jovem desce do carro, entrega ao médico que vai embora com a velhinha. E ele fica no maior papo com a garota.

CROPPED [Peça de roupa feminina] palavra de origem inglesa que significa “Cortada”. Já faz algum tempo, eu trouxe esse termo pra uma crônica minha. Depois de publicada, lembrei de “Crupiê”, o banqueiro de jogo nos cassinos.

“Croupier: É o profissional de cassino, responsável, por, cortar, distribuir o baralho, e pagar aos jogadores vencedores de jogos como: Poker, Blackjack, Bacará, Poker Caribenho e Roleta. Para eventos que estejam ocorrendo apenas torneios de poker, esse profissional é conhecido por: DEALER.” 

“DEALER, palavra da língua inglesa que na tradução para o português significa “negociante”. Pode ser utilizada em vários contextos: “Car dealer”: Vendedor de carro; “Poker dealer”: banqueiro de jogo; “Drug dealer”: repassador de pequenas quantidades de drogas ilícitas. Fonte: Google.com.br”

QUAL O SIGNIFICADO DA SIGLA: VAR? NO ESPORTE.

“A sigla VAR significa: Vídeo Assistant Referee, traduzindo para o português: Árbitro Assistente de Vídeo. Sua função é analisar imagens para ajudar o árbitro principal de uma partida de futebol, a tomar a melhor decisão em lances duvidosos, como pênaltis ou impedimentos. FONTE: esportelandia.com.br

Nas próximas crônicas, contaremos outras histórias, que contamos aos nossos alunos, nas primeiras aulas.

UM POUCO DE HUMOR, PELO DIA DO IDOSO

Essa foi o cantor Ronnie Von que contou: O pai de 89 anos, se inventou de cortar uns galhos duma árvore. Caiu da escada se esborrachou todo. Uma vez no hospital foi reclamar: Mas pai o senhor nessa idade fazendo aquilo! Ele respondeu: -Meu filho, entenda! Na nossa mente, a gente nunca passa dos 25 anos. O problema é o corpo, que não corresponde.

TRÊS VELHINHAS conversando:

-Quando eu morrer quero ser CREMADA.

-Já eu, quero ser ENTERRADA mesmo.

-Pois eu, bebo tanto vinho, que quero ser ENGARRAFADA!

O humorista MAZAROPPI, explicando o que significado de CASAMENTO CIVIL:

-É assim, se servir serviu. Se não servi não serviu, e separa! Uai!

Pra saber se está ficando VELHO: Vá até uma árvore e dê uma mijada:

Se juntar formiga: DIABETES.

Se secar rápido: Muito SAL.

Se subir cheiro de carne: COLESTEROL ALTO.

Se não acertar a árvore: PARKINSON.

Se não achou a árvore: CATARATA.

Se esqueceu de abrir o zíper: ALZHEIMER.

O NETO NA CASA DA VÓ:

-Vó, aqui tem Netflix?

-Tem não, tem Dorflex.

26 set

0 Comments

Setembro, Gratidão

Foto: USP Imagens

Pela lógica, este mês deveria se chamar novembro. Uma vez que se trata do nono mês do ano. Daqui pra frente, os demais, terminarão com o sufixo “bro”. No hemisfério norte, tem-se o  início de mais uma estação do ano, a Primavera. Daqui por diante eles passam a ter uma cor. Setembro é Amarelo. Marcado pela campanha de combate ao suicídio.

SETEMBRO E OS CINCO SENTIDOS: Interessante como os meses do ano, por força dos eventos que trazem no seu bojo, imprimem marcas nos nossos sentidos. NO SENTIDO DA VISÃO: As Craibeira [nome popular da Tabebuia aurea] árvores em geral frondosa, que pintam o sertão com suas flores amarelas. Também conhecida como “Ipê-amarelo”. Fonte: significados.com.br É notória também as manifestações de patriotismo, marcada pelas decorações dos prédios públicos com as cores da bandeira brasileira.

NO SENTIDO DA AUDIÇÃO: Temos a oportunidade de relembrar de músicas que marcaram para sempre, a vida, em especial dos jubilados: “Manhãs de Setembro”, interpretada por Vanuza; “Sol de Primavera” Edinardo; “Estão Voltando as Flores” Emílio Santiago. Entre tantas outras. Ressoam ainda nos ouvidos, resquícios das bandas fanfarras e seus clarins. A entoação de hinos pátrios, tão marcantes na década de setenta.

NO SENTIDO DO OLFATO: Dispensaria até comentários. Uma vez que esse é o mês que dá início a estação das flores. NO SENTIDO DO PALADAR: Setembro é do trigo, do pão, e do feijão. Período em que chegavam, no passado, trazidas nos carros de boi, as sacas dessa leguminosa, para comercialização nas feiras livres da região. NO SENTIDO DO TATO: Para nós sertanejos, setembro, dá início ao verão. Época de muito calor. Há um aumento da temperatura. A ciência tem conceitos bem interessantes sobre estes dois termos.

“O calor é a sensação pela qual passa um ser vivo perante temperaturas elevadas. A física considera o calor, como sendo a energia que passa de um corpo para outro ou de um sistema para outro. Uma transferência associada ao movimento de átomos, moléculas e outras partículas. É importante ter em conta que os corpos não têm calor, mas sim energia interna. O calor é a transferência de parte dessa energia (energia térmica) quando os corpos, ou sistema, encontram-se a temperaturas diferentes. Até que ambos os corpos atinjam o equilíbrio térmico, até estarem à mesma temperatura. Sendo assim, a afirmação que o corpo tem mais calor que outro não é uma afirmação correta. É correto afirmar que o corpo humano é sensível ao calor, tanto sensorialmente, quanto fisiologicamente. Quando há muita transferência de calor do corpo para o ambiente, diz-se que há sensação de “frio”. Quando ocorre o contrário, havendo pouca, ou nenhuma transferência de calor do corpo para o ambiente, então tem-se a sensação de “quente”.

Unidades de medida: A quantidade de energia térmica que é trocada mede-se me calorias. Esta unidade diz respeito à quantidade de energia necessária para que um grama de água eleve sua temperatura de 14,5 para 15,5 graus Celsius. No Sistema Internacional de Unidades é conhecida pelo nome de Joule. Uma caloria equivale a 4,184 Joules. Também existe o BTU: Britsh Termal Unit, que me português significa: Unidade Térmica Britânica, aproximadamente: 252,2 calorias. Existem outras acepções para o termo CALOR, geralmente com sentido simbólico ou figurado, por exemplo: “O calor fez sentir-se no estádio do Benfica”; “As suas roupas acabaram por se romper no calor da batalha. FONTE: calor.conceito/Google.com.br

GRATIDÃO. É comum ouvir-se este termo nas orações, nas mensagens de otimismo, compartilhadas nas redes sociais. Mas de onde será que vem este termo? Qual sua origem e etimologia?

SIGNIFICADO DE GRATIDÃO “Substantivo Feminino, reconhecimento por um benefício recebido; demonstração de agradecimento a alguém, por algo que essa pessoa tenha feito; Obrigado! É uma interjeição [gramática] deriva do Latim “obrigare”, o particípio do verbo “obrigar” flexiona-se em dois gêneros: obrigado e obrigada; a palavra gratidão deriva do Latim: “gratitudo-nis” FONTE: dicio.com.br/gratidão

COMO SE DIZ OBRIGADO, EM OUTROS IDIOMAS: “Thank you! = Inglês; Merci = Francês; Grazie = Italiano; Danke = Alemão; Dank = Holandês; Tak = Dinamarquês; Spasibo = Russo; Shocran = Árabe; Arigatô = Japonês; Duo xiê = Chinês; Todá rabá = Hebraico. FONTE: educacao.umcomo.com.br

UM POUCO DE HUMOR PARA ENCERRAR

TIRINHA: DOIS PERSONAGENS PRÉ-HISTÓRICOS

-O que vai fazer hoje?

-Nada.

-Mas você já fez isso ontem.

-É, mas não terminei.

A palavra “MERDA” em letras soltas na instante.

Com a Legenda: “Era DREAM, mas a arrumadeira não era obrigada a saber Inglês.”

PIADA DUMA TURMA DE CERVEJEIROS

-Sabia que a Heineken é Cerveja criada em Minas Gerais?

-É não…

-É sim. Alguém disse: Eita! Caiu um Raio! Aí o outro perguntou: Rai nin quem?

NO FACEBOOK

“Ficar velho é isso, você esquece chave, celular, máscara. Mas se tocar uma música dos anos 80, você lembra daletra, do cantor e até da coreografia.

21 set

0 Comments

ORA PRO NOBIS

Foto: Reprodução / receitop.com

Elas estão ficando cada vez mais escassas. Refiro-me as propagandas nas emissoras de tevê. Depois do governo federal, restam as instituições financeiras e os laboratórios de medicamentos.  Um suplemento alimentar de nome bem sugestivo chamou-nos atenção. A mente “engoliu”, a memória ruminou, ruminou. Finalmente buscamos auxílio na “ilha da fantasia” da internet: O Google.com.br 

“Você sabe o que é “ORA-POR-NOBIS? Caso tenha participado do Festival Gastronômico de Tiradentes, cidade colonial do interior de Minas Gerais, provavelmente você conhece esta hortaliça. Ora-pro-nobis (Pereskia aculeata). As vezes lembrada como “Trepadeira-limão” ou “Groselha-de-barbados”, é um vegetal generoso, e permite o uso culinário de várias de suas partes.

Em terras mineiras a parte mais apreciada são as folhas. É habitual comê-las refogadas ou cruas.  Acompanham ou compõem os pratos principais: Frango com ora-pro-nobis; pão de ora-pro-nobis; Picadinho de ora-pro-nobis com jiló, omelete. O fruto, pro sua vez, é ácido como a groselha. Trata-se de uma erva originária do continente americano, nasce em forma de trepadeira, e possui muitos espinhos.

Pode ser usada como cerca viva ou planta ornamental. Possui flores brancas, pequenas e perfumada, que impressiona pela beleza. Ocorrem por apenas um dia no ano, entre janeiro e abril. Os frutos amarelos e redondos ocorrem de junho a julho. 

PROPRIEDADES NUTRICIONAIS: Pesquisas indicam que o alimento possui alto teor de proteína vegetal bruta, cuja digestibilidade e biodisponibilidade ainda não foram determinados. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), classifica a hortaliça como fonte de vitamina C, Manganês e Cálcio. Trabalho de doutorado da Universidade Federal de Lavras confirmou os benefícios mencionados acima. Fonte: saberhortifruti.com.br”

ORA PRO NOBIS: ETIMOLOGIA: Locução latina (Do Latim) que significa “Ora por nós”; expressão com que os fiéis católicos pedem a intercessão da Virgem Maria ou dos santos nas suas orações. 

AGNUS DEI: Como uma coisa puxa outra. Lembrei-me de quando pequeno, encontrei numa caixinha porta-jóias de minha mãe, uma medalha com essa inscrição, e fiquei repetindo a frase, a alto e bom som. Até ser, por ela, fui chamado a atenção. Nunca perguntei, o porquê da advertência. Até O Google dar-me a resposta:

“Agnus Dei significa “Cordeiro de Deus” É expressão do Latim, muito utilizada pelos cristãos para fazer referência a Jesus Cristo, após ter sido sacrificado na cruz. Também é um sacramental da igreja católica, uma espécie de medalha pendurada numa correntinha. Costuma ter formato oval e é moldado com uma cera benta. Estes sacramentais têm a função de contribuir para a santificação da pessoa que o usa.  

QUAL É O CORRETO? DIZER: alevantar ou levantar; arrebentar ou rebentar; ajuntar ou juntar; amostrar ou mostrar; arrecuar ou recuar; assoprar ou soprar; ateimar ou teimar. Todas as formas acima são sinônimas. Variantes formadas pela adjunção do prefixo “a”, sem qualquer alteração do sentido. Fonte: dicionariopriberam.org

UM POUCO DE HUMOR PARA ENCERRAR

BODE GAIATO

NO TEMPO DE NAMORO:

-ÔI MEU GATINHO!

-ÔI MINHA COELHINHA!

DEPOIS DE CASADOS:

-Ô VÉIO PÔICO SEBOSO…

-Ô VÉIA JUMENTA, FIA DUMA ÉGUA!

ESSA COMIDA TÁ SEM SAL!

-COMÉ A ISTÓRA?  [Com um Porrete na Mão]

-ESTÁ SEM-SAL-CIONAL!

EU SÓ SEI QUE EU TENHO MIL MOTIVOS PRA SORRIR!

POR ISSO EU SURRO! SÔRREIO? SÔRRO?

SEI LÁ! EU ME RIO, MERMO…

AÍ JUNIN CONVERSANDO COM A NAMORADA PELO WATHSAPP:

-VOCÊ TEM TATOO?

-TENHO.

-ONDE?

-NAS COXAS.

MANDE UMA FOTO!

AÍ A NAMORADA MANDA UMA FOTO COM UM TATU-PEBA, NO COLO.

12 set

0 Comments

UMA CRÔNICA INSOSSA

Foto: monicore / Pixabay

De acordo com o dicionarioinformal.com o significado de “Insosso: referente a algo sem sal, sem tempero.” A nossa crônica se prestaria a esta definição, devido ao fato do cronista, ter problema de pressão arterial, e precisar de moderação na ingestão de sal.

Muito embora, contrariando as determinações médicas, resolvemos propalar justamente o contrário do que anunciamos. É praxe, com a proximidade dos finais de semana, nas redes sociais, as pessoas postarem iguarias, quitutes e pratos suculentos típicos das mesas que celebram a vida.

AFINAL, É CORRETO DIZER: O CHARQUE, OU A CHARQUE? “Charque é um substantivo masculino, portanto devemos dizer: “Eu compro o charque. Eu como o charque. O charque está caro.” Se quiser usar no feminino. Será preciso que apareça o substantivo “carne”: a carne de charque está cara. Fonte: Google.com.br”

“Tendo surgido na cidade de Aracati no Ceará, a mais de um século, de onde migrou para o Rio Grande do Sul e região central do Brasil. A palavra charque no nordeste onde nasceu, considerado o primeiro produto industrializado em solo brasileiro, era chamado de “carne do sol”, “Carne mole” e “Carne serenada” no Ceará e “Jabá” de origem Tupi.[Fagundes,1982] Segundo Nóbrega,1982, a conservação de carne pelo sal, sol e vento data de épocas muito remotas. Tendo sido empregada pelos Maias e Astecas, sendo também conhecida  na Ásia, África e Américas. 

ELABORAÇÃO DE CARNE SECA AO SOL PELO MUNDO: “Técnicas tradicionais usadas em vários países combinam secagem, geralmente ao sol, com processo de salga, fermentação e defumação. Na Europa o “Pemmican, na América do Norte “Biltong”, no Sul “Kundi”, no Oeste o “Kilishi”, no norte da África e povos africanos do sul e do oeste preparam o “Biltongue” [Youssef, 2000]. Ainda na Bulgária se prepara o “Pastarma” carne de cabra ou búfalo dessecada; na Suíça é preparada “Bundnerfleich”; na Noruega a carne de carneiro é usada para fazer “Gumbrandsdal”. Os árabes e marroquinos preparam a “Kodyd” ou “Kklia” [Engañã, 1967]. Em alguns países de língua espanhola costuma-se elaborar carne desidratada que recebe o nome de “Cecina”. Também recebe o nome de “Machaca” e “Tesajo”, respectivamente no México e Espanha. É um produto que pode ser consumido cru, mas é, mais apreciado quando frito ou assado. Fonte: histórico do charque by musicaljewelrybox.wordpress.com

BACON, PANCETA E TOUCINHO, QUAL A DIFERENÇA? “Os três, são cortes proveniente da barriga do suíno. A principal distinção está no tipo de processamento desses alimentos. O Bacon, de origem inglesa, é uma carne entremeada de gordura macia. Depois de salgada, a carne é curada e defumada. Pode ser consumido frito, grelhado, cozido e mesmo assado. PANCETTA: De origem italiana, é uma parte da barriga do suíno seca, curada com sal, pimenta e outras especiarias como ervas, alho e noz moscada, mas não é defumada. Fica muito saborosa acompanhada com risotos, pão italiano e espaguetes. TOUCINHO É o resultado da mistura de fibra magra com couro do suíno. É curado, defumado e geralmente usado na preparação de molhos ou carnes de panela. Vai bem, preparado frito, na chapa ou churrasqueira. Fonte: alegrasfood.com.br”

OS MEXICANOS E A MORTE: Ontem, a escola estadual  Prof. Mileno Ferreira da Silva, dedicou suas aulas para falar sobre o “Setembro Amarelo” que traz no seu bojo, a campanha sobre a prevenção ao suicídio. Para tanto o psicólogo e escritor Diógenes Ferreira, a convite da direção, proferiu palestra dentro desse tema, para o alunado dos turnos:  matutino, vespertino e noturno. Achei interessante quando falou a respeito de como os povos mexicanos reverenciam seus mortos.

Curiosidade aguçada, fui à busca de pesquisa aqui na internet. “Assim como é tradição decorar árvore no natal, no Dia dos Mortos [ 1 e 2 de novembro] no México é costume montar um altar dedicado aos falecidos. São colocados fotos, velas, sírios, imagens de santos da igreja católica, cruzes de madeira e comidas: “Tomales” (massa de milho cozido recheada) molhos em geral, “O Pão dos Mortos” (com adornos em forma de ossos), frutas, doces, como o “Jamoncillo” (parecido com o nosso doce de leite), doce de abóbora e os alimentos que eram os preferidos do falecido. Copo com água, também pode ser incluído cigarros e bebidas, como o Pulque, Mezcal e a Tequila.  Tudo isso é colocado sobre um a mesa decorada com toalhas cheias de papel recortado com figuras de esqueletos e caveiras, representando a alegria da festividade. Ao redor do altar é colocado um arco de flores de  cor laranja. Chamadas de “Flores de Cempasúchitl” que, segundo a crença representa a vida dos que morreram. Existe ainda a “La Cratina” a “Dama da Morte” uma caveira do sexo feminino. Muito bem arrumada com flores e joias, representa essa tradição por excelência. As pessoas vão aos cemitérios passam o dia todo, celebram a vida, não há tristeza, nem choro, eles lembram dos que morreram cantando e festejando ao som de violão. Fonte: weplann.com.br”

UM POUCO DE HUMOR PARA ENCERRAR

BODE GAIATO

Aí Junin pergunta: 

-Ô Mãínha, o que é a janta hoje?

-Flocos de Milho vaporizados com vísceras bovina gratinadas.

-Cuscuz cum Tripa! De novo!

PROVA DE FOGO

Aí ocara falou pra mulher:

-Quando eu morrer quero ser enterrado com a Aliança no dedo!

-Ôxe! Por que homem?

Pra quando São Pedro perguntar eu confirmar: Já estive no Inferno!

JOÃOZINHO NA PROVA DE ARITMÉTICA

“A altura de um jogador de Basquete é de 180 cm. Qual é sua altura em metros?

-A minha? É um metro e trinta mais ou menos!”

MINHA NOVA FILOSOFIA DE VIDA: SER IGUAL A CHUVEIRO VELHO: NEM LIGO, E QUANDO LIGO NEM ESQUETO.”

05 set

0 Comments

HERMENÊUTICA SEM TOSCANEJAR

Estátua de Hermes (Foto: Moon Child / Pixabay)

As medidas de segurança, e de distanciamento social, para garantir que não ocorresse uma subida de casos do Novo Coronavírus, foram uma verdadeira operação de guerra. Travada nas últimas semanas, com relação ao retorno dos alunos, as escolas públicas. A população ficou dividida, entre os que voltaram, e os que optaram em não retornarem, por motivos óbvios, medo, receio, incertezas.

As redes sociais continuam, e por muito tempo serão um forte apelo, na tomada das decisões, na tomada de informações, de todo e qualquer cidadão.  Circulando através dessas redes,  vi um vídeo de uma entrevista com o filósofo, educador Mário Sergio Cortella. Dali extrai parte de palavras para a crônica de hoje: HERMENÊUTICA, DIALÉTICA, RETÓRICA e ORATÓRIA.

Complementa a pesquisa: TOSCANEJAR. Palavra proferida pela professora, da Língua Portuguesa, Denise Marcelino, na escola Senhora Santana. A curiosidade sobre o significado de uma peça do vestuário feminino, inicialmente concebida como “Crupêt”, na verdade: “TOP CROPPED”. E os PÃES DA PROPOSIÇÃO. Citado no Evangelho de São Lucas [6:1-5] deste sábado.

HERMENÊUTICA “É uma palavra de origem grega e significa a Arte ou técnica de interpretar e explicar um texto ou discurso. O seu sentido original estava relacionado com a Bíblia, na compreensão das Sagradas Escrituras. Também está presente na Filosofia, na área jurídica, cada uma com seu significado. Etimologicamente, a palavra está relacionada com o deus grego Hermes um dos deuses da oratória. Fonte: significados.com.br”

DIALÉTICA “É uma palavra com origem no termo grego “dialektiké”, e significa a Arte do diálogo, a arte de debater, de persuadir ou raciocinar. Para os gregos, dialética era separar fatos, dividir as ideias para poder debate-las com mais clareza. Para Platão era o movimento do espírito, e sinônimo da Filosofia. Um método eficaz para aproximar as ideias individuais às ideias universais.”

RETÓRICA “É uma palavra com origem no termo grego “Retorike” que significa a Arte de falar bem, ou, se comunicar de forma clara, e conseguir transmitir ideias com convicção. Uma pergunta retórica, é uma pergunta que nem sempre exige uma resposta. Muitas vezes uma pessoa que faz uma pergunta retórica, pretende simplesmente enfatizar alguma ideia ou ponto de vista. Demóstenes considerado por muitos como o maior orador da Grécia, era uma figura importante relacionado à retórica. Conta a história que, para superar seu problema com a gagueira Demóstenes, chegou a fazer discursos com pedras na boca.”

ORATÓRIA “É a Arte de falar bem em público de forma eloquente, sendo uma forma específica de comunicação. Para muitos oradores pode ser considerada uma arte, mas também uma ciência. No âmbito jurídico, a oratória é fulcral para advogados, por exemplo. Muitas vezes a oratória e a retórica são descritas como sinônimos. A oratória é recomendada para pessoas tímidas, que não gostam ou não sabem falar em público. A retórica é mais abrangente, e independe da existência de uma plateia, tendo o claro objetivo de persuadir o público. Uma pessoa com boa retórica pode se manifestar apenas na comunicação escrita. Não estando necessariamente perante um público.” FONTE: Todas as palavras à cima: significados.com.br

O TERMO HERMENÊUTICA E HERMES [MITOLOGIA] “Na mitologia grega Hermes era o intérprete dos deuses, e condutor das almas humanas para Hades ou o Olimpo. Sendo pois, intermediário entre deuses e mortais. O filho de Apolo e Maia não era propriamente um deus, mas sim o que traduzia a palavra divina aos homens. Fonte: danielledanny.wordpress.com”

TOSCANEJAR Verbo intransitivo, cabecear, dormitar, piscar os olhos de [tanto] sono. Nordeste: “pescar”; cochilar.  Fonte: lexico.pt [com acréscimos do cronista]

OS PÃES DA PROPOSIÇÃO “Eram os pães que faziam parte dos serviços religiosos no Tabernáculo e posteriormente no Templo. Traduzido do hebraico: “Iehem Hapanim” que significa literalmente “Pães do rosto” ou “Pães da Presença””. Essa designação se refere ao fato de que os pães eram postos perante a face ou presença de Deus (Êxodo 25:30; 35:13), também chamados na Bíblia de “Pães Consagrados”. Os doze pães da proposição eram arrumados em duas fileiras. Sobre cada fileira era colocado incenso puro. Quando substituídos por outros novos, os pães velhos podiam ser consumidos, mas somente pelos sacerdotes, e dentro do Santuário (Levítico 24: 8,9). A Bíblia diz que numa situação de necessidade, Davi comeu os pães da proposição juntamente com seus homens (1 Samuel 21:1-6). Essa violação da Lei Cerimonial mais tarde foi usada por Jesus como argumento contra os fariseus (Mateus 12:4; Marcos 2:26; Lucas 6:4).”

O TOP CROPPED, é uma tendência de moda de usar miniblusas, que tende a ficar cada vez mais presente na vida dos brasileiros. Trazendo várias possibilidades que vão além do que se tem hoje em dia. Fonte: moda.culturamix.com.

“Cropped é uma palavra de origem inglesa.  Em Português significa Cortada; em Francês significa Recadrée; em Espanhol significa Recortada; em Alemão significa Zugeschnitten. Fonte: oquesignifica.com.br 

UM POUCO DE HUMOR, PRA ENCERRAR

Feliz era Minha VÓ que só Sentia DOR “NOS QUARTOS”

JÁ eu sinto em TODOS OS CÔMODOS.”

“Hoje, eu Tô IGUAL  ao RIO DE JANEIRO: Bonito e Perigoso!”

“EU gosto tanto de COMIDA que MEU HERÓI Favorito é o SUPER MERCADO.”

“Minha IDADE, JÁ NÃO ME PERMITE SOFRER POR AMOR. Se Me vir Triste. É porque estou sem VIAJAR mesmo.”

“A PROFESSORA E JOÃOZINHO:

-Por que está Coçando tanto a Cabeça Menino?

– Por causa de um Piolho Morto.

-Tudo isso, por causa de um Piolho Morto?

-É que os parentes vieram todos pro Velório!”

BODE GAIATO

MEU AVÔ: NO MEU TEMPO ERA NA BASE DA PALMATÓRIA! QUEM FOSSE MALEDUCADO O PROFESSOR DAVA UMA LAPADA.

MEU PAI: EU ANDAVA 2 HORA POR DIA PRA CHEGAR NA ESCOLA MINHA MOCHILA ERA UM SACO DE FEIJÃO.

EU: E EU QUE IA PRA ESCOLA NO MEIO DE UMA PANDEMIA MORTAL.

29 ago

0 Comments

IPI! IPI! IPIRANGA!

O quadro de Pedro Américo é uma metáfora sobre o dia do Grito do Ipiranga. A pintura, feita em 1888, chama-se Independência ou Morte e está exposta no Museu do Ipiranga (SP). (Foto: Reprodução)

Já disse, tudo que aqui escrevo, a cada semana. Tem a ver com as expressões, os vocábulos, os termos que vou encontrando ao longo do caminho, da semana que passou. Com a aproximação da semana da pátria, as manifestações de patriotismo, nas redes sociais. Evocou-me o famoso “Grito do Ipiranga”. O nome do riacho paulista, que testemunhou o fato histórico, também dá nome a nossa querida Associação Atlética Ipiranga. Da qual sou torcedor ferrenho, sem, no entanto, conhecer sua história.  

“Ipiranga é palavra de origem Tupy, originalmente “Ypirang”, que pode ser traduzida para o português como água barrenta, água vermelha, ou “Rio vermelho”. Y=rio; Pirang = vermelho. Ipiranga é nome de um rio que corre por parte do estado de São Paulo. O nome foi dado pelos índios Guaianazes que habitaram, no passado, suas margens. Tem sua nascente no sul de São Paulo. Paralelamente a ele, foi construída a rodovia SP-139.

OUVIRAM DO IPIRANGA AS MARGENS PLÁCIDAS. O riacho Ipiranga, que também dá nome a um bairro de São Paulo é geralmente lembrado pela data histórica. Por estar localizado em meio à selva urbana, no jardim botânico de São Paulo, resquício da Mata Atlântica.  Infelizmente sofre com a poluição, ao longo dos seus 9 quilômetros da nascente até a foz no rio Tamanduateí. O riacho é lembrado como um dos símbolos da independência do país em relação a Portugal.  Contudo, esse relato romântico do ocorrido, criado dentro do estilo e valores intelectuais em vigor à época, visando dar um caráter estético e mitológico ao fato. Fonte: meusdicionarios.com.br”

IPIRANGA X IPANEMA. Foram as duas associações esportivas mais atuantes nos campos futebolísticos de nossa cidade do passado. No meu livro de Contos “SANTANA DO IPANEMA: EM CADA CANTO UM CONTO” [1ª edição, 2013]. Às páginas: 37 à 39, há uma lenda intitulada: “Ipanema bem que podia ser Iguá-Irá”, onde é citado o termo Ipiranga.”

Evocou-me este primeiro parágrafo, a expressão: HIP! HIP! HURRA! De acordo com um site que não permite copiar seus textos. São várias as hipóteses para a origem dessa expressão. Segundo o mesmo, algumas muitas esquisitas. Teria surgido na Europa do final do século XIX. Em manifestações contra os judeus. O grito seria adotado pelas tropas de Hitler.

CATECISMO E CATEQUESE, QUAL A DIFERENÇA? Meus netos, Aika (9 anos) e Thômas Kael (11 anos), iniciaram-se, desde a semana passada, no catecismo. “CATECISMO durante muito tempo, este termo foi usado para referir-se ao tempo de preparação para a recepção dos Sacramentos da iniciação Cristã. Na verdade refere-se a um livro da doutrinação da igreja Católica. É um livro para evangelização, em especial a Catequese. A palavra “CATEQUESE” de origem grega, quer dizer: “ecoar”. É serviço ao Evangelho, educação sistemática e permanente da fé. FONTE: Compilado da Canção Nova, by Padre André Gustavo de Sousa. Comissão Catequética da arquidiocese de Aparecida -SP”

VOTO AUDITÁVEL, O QUE É? De acordo com um site consultado dci.com.br Não dá pra entender o porquê, da polêmica. Se o voto da forma como existe hoje, com as urnas eletrônicas já é auditável.  “Auditável: adjetivo de dois gêneros; aquilo que pode sofrer auditoria. Dicionário priberam.org.br” O Tribunal Superior Eleitoral [no site citado à cima] elenca oito diferentes possibilidades de auditoria, que podem ser feitas, nas urnas de voto eletrônico, inclusive antes do pleito acontecer.

É VERDADE QUE NOS EUA NÃO USAM URNAS ELETRÔNICAS? “Na lista de países que usam a urna eletrônica estão: Suíça, Canadá, Austrália e Estados Unidos. Neste último a adoção do voto eletrônico acontece apenas em alguns estados. Fonte: mesmo site citado à cima”

UM POUCO DE HUMOR PRA ENCERRAR

 NO WATSAPP

“-Qual o seu NOME?

-JOLÊNO.

-De onde tua mãe tirou esse nome?

-Dos BITUS.”

BODE GAIATO

“SE VOCÊ QUER MUDAR O MUNDO, MUDE ENQUANTO FOR SOLTEIRO.

PORQUE DEPOIS QUE CASAR. VOCÊ NÃO VAI CONSEGUIR MUDAR NEM O CANAL DE TV.”

“-Ôxe! Cadê o AR, que tu disse que tinha, no CARRO que tu me VENDEU?

-Tá nos PNEUS!”

-HELLO! WHERE IS GOOD RESTAURANT?

-NÃO ENTENDI NADA. FALE CÁ BOCA MEU FÍ!

-WHATS?

-TENHO. ANOTAÍ: 9871-72…

“-Dad nosso que tá no SKY. Santification seja vosso NAME…

-ÔXE! Que é isso minino?

-TÔ rezando em INGLÊS. Pra Deus me atender em DÓLAR!

23 ago

0 Comments

É EITA! ATRÁS DE EITA!

Foto: Steve Buissinne / Pixabay

Quando falta assunto, o cronista se vale de qualquer coisa para preencher o espaço reservado a crônica semanal. A expressão de admiração, [A frase-título]. Na minha cabeça vocabular, devia de ter uma origem, uma certidão de nascimento. Não satisfeito, apenas com um tema, resolvi aprofundar. Resolvi pesquisar logo a “família” inteira: EITA, EITO, e OITO.

EITA: É uma interjeição que expressa surpresa, espanto, admiração em relação a alguma coisa. Eita, tem como significado um sentimento diante de uma situação inesperada. Por exemplo: “Eita, de repente o sol foi embora e começou a chover.” Expressão muito usada pelo brasileiro, em especial o nordestino. EXISTE A PALAVRA “EITA”? Sim. Está presente no dicionário da Língua Portuguesa. Não tem origem definida, e está classificada entre as “Palavras expressivas”, caracterizadas por sons curtos e sem significado claro. EITA OU ETA? Qual seria a grafia e pronúncia correta? Segundo o dicionário, ambas as expressões estão corretas. EITA E A CULTURA POP: Expressão muito comum na internet é o: “Eita atrás de eita.”, usada em um contexto em que se sucedem acontecimentos surpreendentes. Por exemplo: “Este ano tá sendo eita atrás de eita.” Há inúmeras músicas que aproveitam a interjeição “Eita” para criar ritmos dançantes, em especial o funk brasileiro atual. São exemplo a música “Eita, eita, eita” de MC Zaac e Jerry. E “Eita,eita” do MC Lan ambas abordam a questão sexual. Tema recorrente no funk. Fonte: meusdicionarios.com.br

EITO: A palavra vem do Latim “ictus”, significa: golpe, choque, compasso marcado; raio de sol; pulsação [dicionário Houaiss,s.v. eito] a locução verbal: “a eito” significa: ininterruptamente; segue o mesmo modelo de outras expressões que definem modo de fazer: “a esmo”; “ao acaso”; “a tempo”[dentro do prazo]; “a nado”; “a pé” etc. A expressão é bem antiga, vindo do período galego-português, do tempo do rei Afonso X de Leão e Costela (1221-1284) avós de D. Dinis (1261-1325). Exemplo: a rainha que estava deitada no leito junto dele, e este sonho contava todo a eito. Fonte: ciberduvida.iscte/língua.portuguesa.

UM COMENTÁRIO SOBRE EITO: Ainda infante ouvi este termo, pela primeira vez.  Sempre relacionado a algo pejorativo, algo feito de “qualquer jeito” ou “a pulso”, contra a vontade. Ao ler o exemplo que o ilustra, relacionei imediatamente o termo a duas outras palavras: leito [local onde se fica jogado] e deito [de igual teor].

EITO, NOUTRA FONTE: “Eito era o nome do terreno onde trabalhavam os escravos, e com o tempo passou a ser sinônimo de trabalho, ou de muito trabalho, bem como de uma grande extensão de terra ou terreno. Fonte: meusdicionarios.com.br” 

OITO E OITÃO: “Nosso sistema de numeração surgiu na Ásia, há muitos séculos, no Vale do rio Indo, onde hoje é o Paquistão. O primeiro número inventado foi o 1, e ele significava o homem , e sua unicidade; o segundo número o 2, significava a mulher, a família, a dualidade; o número 3 significava muitos, multidão. A curiosidade sobre o número três não deve ter ocorrido por acaso. Vejam só com se escreve o nome deste número em: Inglês = Three; Francês = Trois; Latim = Trés;  Grego = Tri; Italiano = Ter; Espanhol = Tres; Alemão = Drei; Russo = Tri; Português = Três.Fonte: significados.com/Google.com.br

COMENTÁRIO SOBRE OITO: Li em algum lugar, que os nomes dos nove primeiros números, foram criados independentemente, e que estes nomes não teriam praticamente relação entre si. A informação, à cima, de que o número 3 daria ideia de muitos, traz-nos a realidade para a trindade santa: Pai, Filho e Espírito Santo; O número quatro lembra a quadra, algo que tem quatro ângulos. Já o oito, seria, a meu ver, a simbologia de dois quadrados sobrepostos que ao simplificar, no formato, viraram dois círculos. O oitão, noutra crônica trouxemos a definição: “Parede lateral de uma construção, ou de uma edificação. O espaço, o vão existente entre duas construções. Fonte: Google.com.br”

HE AIN’T HEAVY, HE IS MY BROTHER [ ELE NÃO É UM FARDO, ELE É MEU IRMÃO] The Hollies.

É música internacional, faixa do Long Play “Década Explosiva Romântica[1976]” Eu a ouvi, a muito tempo [final da década de 70 ] . Só agora tomei ciência, da letra desta belíssima composição, vejam:

“A história conta que certa noite, em uma forte nevasca, na sede da entidade “Missão dos órfãos” em Washington – EUA, um padre plantonista ouviu alguém bater na porta. Ao abri-la, se deparou com um menino coberto de neve, com poucas roupas, trazendo em suas costas, um outro menino mais novo. A fome estampada no rosto, o frio e a miséria deles o comoveram. O sacerdote  mandou-os entrar e perguntou:

-Ele deve ser muito pesado?

Ao que o que carregava respondeu:

-He ain’t heavy, he is my brother. [Ele não pesa, ele é meu irmão.] 

Naquela noite os dois meninos foram adotados pela instituição. Vejamos parte da música traduzida:

“A estrada é longa/ Com muitos caminhos sinuosos

Que nos levam a quem sabe/ quem sabe onde

Quem sabe quando.

Mas sou forte/ Forte o bastante para carrega-lo

Ele não é pesado, ele é meu irmão.  

UM POUCO DE HUMOR, PARA ENCERRAR:

“-Alô! É do Suporte Técnico? 

-Sim.

-O Modem da internet deu problema!

-Tem alguma Luz Acesa?

-Tem, a da Sala.

CANTADA FRACA NO WATSAPP:

-Vamos tomar um Açaí?

-Vou não. Tô resfriada.

-Ôxente!  Então, nós toma um Benegrip.

NA FARMÁCIA

-O que é Bom pra TERÇOL?

-Ter Praia.

CAIPIRAS

-Os Políticos estão cada vez mais abusando dos DIREITOS!

-Ainda bem, que eu sou CANHOTO.

BODE GAIATO

“CUMÉ QUE A PESSOA VAI JUNTAR UM DINHEIRO PRA UMA EMERGÊNCIA? SE TODO MÊS É UMA EMERGÊNCIA!”

18 ago

0 Comments

OS TEMPOS ERAM OUTROS

Sala de aula em em tempos de pandemia (Foto: Jonathan Lins / Agência Alagoas)

Nesta semana, os alagoanos, particularmente nós santanenses, experimentaremos uma reviravolta no cenário das cidades. Com a decretação do governo do retorno às aulas presenciais, nas escolas públicas. O retorno ao novo normal, é como está sendo chamado este evento.

Veio-me, enquanto escrevia este início da crônica, lembranças de uma música italiana, chamada “Torneró”[Voltarei]. Busquei-a no Google. Trata-se de composição gravada pela Banda italiana: “I Santo California” (1975-1991) “Rivendo ancora il treno/ Allontnarsi e tu/ Che Asciughi quella lacrima/ Torneró/ Com’è possibile/ Um anno senza te.” TRADUÇÃO: “Revendo ainda um trem/ Indo embora e você/ Que enxuga aquela lágrima/ Voltarei/ Como é possível/ Um ano sem você.”

O leitor, ou leitora, já passou pela experiência de ter empatia por determinada palavra, ou palavras? Eu já. Carreguei essa palavra “Torneró” na minha aljava mental, por meio século, sem sequer saber o significado! Tinha porém, vaga ideia do que significava, em minha língua pátria. Tratei-a sempre com um carinho especial. Feito homem feio, que namora moça bonita. Vigiando-a, com cuidado, mesmo sabendo que um dia pode perdê-la. Sente ciúme, e nutre, por ela, um sentimento bobo de posse, de pertencimento. Abro aqui um parêntese para colocar o significado de “Aljava: substantivo feminino [só podia ser! Assim tão linda?] bolsa, ou estojo, em que se guardam as flechas, pode ser carregada nas costas ou pendurada no ombro por uma alça. Etimologia: do árabe al-dja h’ ba, mesma direção Fonte: Yahoo.search”

O Leitor, ou leitora já teve assim, sentimento de carinho, companheirismo, por uma palavra? Eu já. Pandemia, por exemplo. Tem horas que me dá uma pena dessa coitada! Bonita até. Noutros tempos, era minha companheira, nas aulas de ciências. Vivíamos ali, eu, ela, junto com suas irmãs: epidemia, endemia. Aí apareceu esse tal de novo Corona vírus! Aí a bichinha, caiu na lapa do mundo! De boca em boca! Tão mal falada, meu Deus! Ficou pior do que a “Geni” da música de Chico Buarque de Holanda. “Geni e o Zepellin [1978]  Joga pedra na Geni! Joga pedra na Geni! Ela é feita pra apanhar/ Ela é boa de cuspir/ Ela dá pra qualquer um/ Maldita Geni! [ parte da peça teatral A Ópera do Malandro]. Fonte: Google.com.br”

Em tempo: A diferença entre: “ENDEMIA, EPIDEMIA, PANDEMIA: Endemia: Uma doença é endêmica, quando aparece com frequência em um local, não se espalhando por outras comunidades; Epidemia: quando a doença infectocontagiosa atinge uma determinada região, pode ser: municipal, estadual ou em um país; Pandemia: quando uma doença infecciosa se propaga e atinge simultaneamente um grande número de pessoas em todo o mundo. Fonte: educamaisbrasil.com.br” Dá pra se pensar em algo bom de uma pandemia? Acredite, dá. Li em alguns sites informativos, que as editoras estão comemorando, pelo segundo ano consecutivo, houve um significativo aumento na venda de livros, virtuais e reais.  

O leitor, ou leitora, já se deparou assim com um termo, ou palavra, como se encontrasse um estrangeiro, e não entendesse patavina do que está dizendo?  Eu já. Alguém compartilhou comigo, nas redes sociais, uma mensagem que trazia o termo: “Sommelier: É UM TERMO FRANCÊS, PRONUNCIA-SE “Someliê” sua origem remota a idade média, século 13, usado para designar o condutor de animais de carga. Um século depois era usado para designar pessoa encarregada de cuidar das provisões das cortes reais, em suas viagens.” Hoje em dia, designa pessoa especialista em bebidas, vinhos, uísque e até cachaça. Diferente do Enólogo e do Enófilo. Estes de cá, respectivamente, um estuda o outro é colecionador de vinhos. Fonte consultada: Google.com.br compilado com palavras do cronista.

CABRA DA PESTE! Outro dia, assistindo o canal de tevê Canção Nova, o padre Welisson celebrava missa. Na sua homilia, abordou essa expressão: “Cabra da peste”. Dizia ele, que vem do século 17, e referia-se aos homens fortes, que escaparam de uma pandemia, ocorrida no início daquele século.

Nas redes sociais, vai não vai, deparamo-nos com vídeos que exibem, sob forte apelo musical, cenas, objetos e costumes das décadas de 70, 80 e 90. Oportunizando aos saudosistas, um mergulho no túnel do tempo. Dá até pra sonhar acordado, ao ver objetos escolares, brinquedos, guloseimas, brincadeiras de uma época infinitamente longínqua, distante. E tudo era tão diferente de hoje. Nem parece, mas nós estávamos lá. Eram outros tempos. 

UM POUCO DE HUMOR PRA ENCERRAR

FRASES TOP:

CAFÉ É TÃO BOM! QUE PODERÍAMOS DIZER A ALGUÉM: PÔXA! VOCÊ É TÃO CAFÉ!

A VIDA É UMA VIAGEM. ALGUMAS PESSOAS ESCOLHEM SER A MALA.

COISAR, É VERBO UNIVERSAL, USADO SEMPRE QUE O VERBO APROPRIADO NÃO FOR LEMBRADO.

“PIMENTORUM IN PHIOPHUS DEN OUTREM, ET REFRESCORUM.” 

ESTÁ EM LATIM, MAS EU DUVIDO QUE VOCÊ NÃO TENHA ENTENDIDO!

JOÃOZINHO NA AULA. A professora pede:

-Joãozinho faça uma frase que tenha a palavra AÇÚCAR!

-O Chá está Doce.

-Ué? Cadê o Açúcar?

-Tá no Chá!

PACIÊNCIA? Até que eu tenho! Os outros é que a tiram-na de mim!

Fui levantar-me a Coluna fez “CRECK”. Pôxa! Além da beleza, Tô ficando Crocante!

Não é que eu seja feio, é a Câmara do meu Celular que não tem ALTA RESOLUÇÃO!

Cara! Ando tão sem grana ultimamente, que até a minha fala é CONVERSA FIADA!

10 ago

0 Comments

FEELING (SENTIMENTOS)

Foto: StockSnap / Pixabay

Esta é uma crônica de sentimentos. De experiências vividas, em tempo real. De por exemplo, ligar a tevê, no finalzinho da semana, e ouvir o narrador emocionado, emocionar-nos. Aos gritos de: “É ouro! É ouro! O Brasil é ouro!” referindo-se a conquista olímpica da nossa seleção canarinha, sagrando-se bicampeã olímpica em Tóquio, no Japão.

É puro sentimento, acessar o aplicativo das redes sociais Facebook, e encontrar páginas exclusivamente dedicadas a músicas, das décadas de 60, 70, 80. E você consegue, literalmente, mergulhar no passado, através de belas páginas musicais com intérpretes nacionais e internacionais.  Ao exemplo dos grupos: ABBA, BEE GEES, BEATLES, e cantores como, Demis Russo (que o locutor nos ensinou, 40 anos depois, como se pronuncia corretamente o nome do cantor egípcio: Demí Russô!).

Descobrir, através da postagem, do amigo e confrade João Neto Felix Mendes, no aplicativo Whatsapp, num vídeo da banda californiana BREAD[Pão]-1961, que a música “EVERYTHING I OWN”[TUDO QUE POSSUO] é uma música que fala de amor, do amor de um filho pelo pai. “I would give everything I own/ Just to have you back again/ You tought me how to love/ What it’s of/ You never said too much/ But still you showed the way/ And I kenew from watching  you. TRADUÇÃO: “Você me protegeu do mal/ Me manteve aquecido/ Você me deu a minha vida/  Me libertou/ Os melhores anos que eu conheci/ Foram todos anos que tive com você.”

Num misto de extasiado e estupefato, descobrir que a música “LET IT BE”[DEIXA ESTAR – 1970] da banda britânica, “The Beatles”, fala de Maria, Nossa Senhora, Mãe Santíssima: “When I find myself in times of trouble/ Mother Mary comes to me/ Speaking words of windom/ Let it be.” TRADUÇÃO: “Quando eu me encontro em momentos difíceis/Mãe Maria vem para mim/ Não haverá tristeza/ Deixe estar.” 

Encher-me de ternura, ao assistir outro vídeo, postado pelo meu amigo e confrade João do Mato: FEELING[SENTIMENTOS]-1975 do brasileiro Morris Albert, que se projetou internacionalmente, na década de 80, com essa música que tem mais de 300 versões.  Agora numa nova interpretação no estilo “Soul”, por bandas da Grã-Bretanha, Japão e Estados Unidos “Nothing more than feelings/ Trying to forget/ My feelings of love.” TRADUÇÃO: “Nada mais do que sentimentos/Tentando esquecer/ Meus sentimentos de amor.”

Sentimento bom, de nostalgia, ao ouvir o cantor Ney Matogrosso [01.08.1941] que acaba de se tornar octogenário. Ainda com tanta vitalidade, energia, e sensibilidade, suficiente para interpretar entre outras composições: BIGORRILHO, junto com a cantora Maria Alcina [1949]. “Lá em casa tinha um Bigorrilho/ Bigorrilho fazia mingau/ Bigorrilho foi quem me ensinou a tirar o cavaco do pau/ Trepa Antonio, o siri tá no pau/ Eu também sei tirar o cavaco do pau.”

Emocionado e nostálgico, ao ver um vídeo dum professor, que infelizmente desconheço o nome. Falando do quão, chata está nossa atual sociedade. Com muita propriedade, discorre como era legal, num passado não muito distante. Em que, os canais de televisão traziam pra dentro de nossas casas, quatro estereótipos: Na figura d“Os Trapalhões”, Didi, um  nordestino, cearense, Mussum um alcoólatra, o mineirinho Zacarias e o irreverente Dedé. Com muito humor abordavam temas como homossexualismo, alcoolismo, o regionalismo linguístico. Entre outros temas polêmicos para a época; dois gordos: Faustão e Jô Soares, que riam das suas próprias gorduras; Pelé um negro, conhecido mundialmente, pelo seu futebol, nunca teve nenhum preconceito com relação a sua cor, Roberta Close o mais famoso transexual, e Rogéria um travesti, ambos participavam dos mais variados programas de tevê, sem ofenderem, sem se sentirem ofendidos. Chacrinha com o bordão “Maria sapatão” nunca foi criticado por isso.  Ney Matogrosso, desafiando todos os padrões, seminu se apresentava nos programas de maior audiência, em horário nobre, sem falso pudor, sem provocar escândalo; o cantor Cazuza, Clodovil estilista, o cantor Agnaldo Timóteo. Este dois de cá, se tornariam parlamentares, defendo suas convicções, um, de negro, ambos, de homossexuais. Nelson Gonçalves assumiu ser  ex-usuário de drogas. Outro Nelson, Ned, este de cá era anão. Jamais se sentiram inferiores ou discriminados pelo que eram, ou um dia foram. E falou de outros personagens de nosso vasto cenário artístico, que assumiam suas condições sem frescura, sem falso moralismo. E conclui: “Ô sociedadezinha chata, a atual que vivemos!”

MAS, O QUE É UM BIGORRILHO? “É um Coco [folguedo do nordeste brasileiro] da autoria de Paquito, Romeu Gentil e Sebastião Gomes, composto em 1963. Inspirado remotamente no Lundu [folguedo africano-Angola] “Isto É Bom” de Xisto Bahia, e no samba “O Malhador” de Pixinguinha. Regravado por vários outros artistas: “Renato e Seus Blue Caps” e Lulu Santos. Bigorrilho é também um epíteto[apelido ou injúria] atribuído aos políticos considerados inicialmente de oposição ao golpe militar de 1964 [ é provável que dessa época, o termo tenha adquirido o sinônimo de sujeito de má índole, pessoa de má fama]; Bigorrilho [feminino: Bigurrilha]  também significa[regionalismo do nordeste brasileiro] indivíduo agregado, arrimo de família, adotado, alguém que foi aceito, mesmo depois de velho, por uma família. Fonte: Google.com.br  

Sentimento bom, de fortalecimento dos laços afetivos, entre eu e meus familiares. Revivi, ao assistir o vídeo enviado pelo amigo e confrade Marcelo Fausto, sobre o significado do termo: “Egrégora” “Do grego, egrêgorein, “velar”, “vigiar”. É como se denomina a força espiritual criada a partir da soma de energias coletivas: mentais e emocionais. Fruto da congregação de duas ou mais pessoas. Pode também significar um campo de energia extrafísica criada no plano astral a partir da energia emitida por um grupo de pessoas  através dos seus padrões vibracionais. Fonte: wikipedia.org.br” Significa dizer que, nos ambientes que convivemos, de nós e das outras pessoas emana uma energia que carrega aquele ambiente positivamente, ou não, dependendo das energias que emanamos.

UM POUCO DE HUMOR PRA ENCERRAR

NAS OLIMPÍADAS DA VOLTA A ESCOLA 

OS PROFESSORES SERÃO MEDALHISTA DE OURO, NESSAS MODALIDADES:

LEVANTAMENTO DE PESO [UM MONTE DE LIVROS]

VÔLEI! TERÃO QUE FAZER E SOFRER VÁRIOS “BLOQUEIOS” DE CONTATOS TELEFÔNICOS.

NATAÇÃO: NADA! NADA! NADA! E VAI MORRER NA PRAIA COM RELAÇÃO ÀS SUAS FINANÇAS.

SALTO EM DISTÂNCIA: NO AVANÇO DA APRENDIZAGEM.

BOXE: TODO MÊS UMA LUTA PRA PAGAR AS CONTAS.

MUITO PROVÁVEL NÃO PARTICIPARIA. NÃO PASSARIA NO EXAME ANTIDOPING DE TANTO RIVROTIL QUE TOMA.

INDEPENDENTE DE TUDO ISSO: SOMOS TODOS MERECEDORES DE MEDALHA DE OURO!

O AGENTE DE TURISMO NO CEMITÉRIO

-Quem vive aqui não pode ser enterrado nesse cemitério.

-Nossa! Por que?

Por que a gente só enterra quem morre.

TIRIRICA FILOSOFA E PROFUNDO:

“SER PAI… É TER UM FILHO.”

HOMEM ENTRA NA JUSTIÇA PARA LEGALIZAR CASAMENTO COM UMA JUMENTA

DEUSIMAR SANTOS DE OLIVEIRA DE ITAPIPOCA-CEARÁ ALEGOU QUE: “Eu gosto dela. Ela não me pede dinheiro, não se importa com a hora que eu chego, não tem ciúmes, não chora, nem implica comigo.”

JOÃOZINHO E O DIA DOS PAIS

A professora pede: -Turma, faça uma dissertação homenageando seu pai: Tem que ter a frase PAI SÓ TEM UM! -Ok, Professor! Meu pai disse, Joãozinho vá buscar três umbus na geladeira pra eu tomar uma cana. Eu fui abrir, e disse: PAI SÓ TEM UM!”

FABIO CAMPOS, 08 DE Agosto de 2021.


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.