27 Maio

0 Comments

A importância do diagnóstico da Litíase Renal, a popular Pedra no Rim

Litíase Renal afeta um grande número de pessoas (Foto: mohamed Hassan / Pixabay)

Recebemos com muita frequência, no Centro Médio Hebrom, pessoas com fortes dores abdominais e na região lombar. A primeira coisa pensada pelo paciente é tirar um raio X, imaginando ele que a queixa tem algo haver com a coluna, porém quando a gente realizam uma ultrassonografia, acabamos descobrindo que a pessoa pode estar com cálculo ou pedra nos rins, o que nós chamamos de Litíase Renal.

A Litíase Renal é disparada uma das principais patologias ou ocorrência que chegam em nosso consultório, mas qual será a verdadeira causa disso? Por que tantas pessoas tem aparecido com pedras? A principal resposta para isso, de forma geral, é falta de ingesta de água, contudo, podemos perceber que a pedra pode aparecer também devido ao excesso de consumo de refrigerantes, bebidas alcoólicas e comidas com temperos que não são condimentos naturais.

Existem alguns condimentos naturais, como o sal rosa do Himalaia que é de fundamental importância no equilíbrio da pressão. Porém, a maioria de nós está muito habituado a consumir o cloreto de sódio, aquele sal comum, que usamos em casa e que vocês dizem que deixa a comida bem gostosa. Esse uso frequente pode trazer cálculo renal.

Aqui do Centro Médico Hebrom a gente tem observado vários aspectos do rim e informamos ao paciente que a patologia de litíase renal tem tratamento, tem indicação, mas é preciso que se faça uma ultrassom para saber o que está verdadeiramente causando as dores.

Durante a ultrassom aproveitamos para ver outros órgãos, como o baço, estômago, entre outros. É importante dizer que a ultrassonografia não vai, por si só, dar o diagnóstico final, por isso, podemos indicar ainda uma endoscopia digestiva, que ai sim pode detectar, por exemplo, uma alta de gastrite.

Quer saber um pouco mais sobre a Litiase Renal e os efeitos da ultrassonografia, CONFIRA O VÍDEO ABAIXO:

 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Uma publicação compartilhada por Centro Médico Hebrom (@centromedicohebrom)

10 abr

0 Comments

Dores no pescoço e na coluna? Atenção para a Discopatia Degenerativa

Foto: Anastasia Gepp / Pixabay

É importante a gente falar de temas que a gente tem visto do dia-a-dia. E no Centro Médico Hebrom recebemos pessoas com reclamação de cefaleia, dor de cabeça e principalmente dores forte no pescoço e também na coluna. Por isso, o tema de hoje é a Discopatia Degenerativa. Para quem ainda não ouviu falar, trata-se da condição em que os discos entre as vértebras perdem o amortecimento, se fragmentam e criam hérnias relacionadas ao envelhecimento.

A coluna vertebral é separada em três níveis: a cervical, torácica e lombar. Importante a gente fazer o diagnóstico preciso, as pessoas que chegam aqui com dor na coluna, às vezes ela não diz que está com dor na coluna. Às vezes é uma ânsia de vômito é o mais mal estar, é uma cefaleia, é uma fraqueza às vezes muscular, é dores nos membros superiores e inferiores já que as discopatias cervicais, lombares e torácicas irradiam para os membros.

Quando a pessoa tem aquela rigidez no pescoço, nos ombros e fica com aquela contratura, aquela contração e é muito desconfortável e é preciso a gente fazer um exame específico. A gente aqui faz o raio X, as vezes pede também uma tomografia e por último caso a ressonância. Mas sempre começando com o raio X pra gente verificar se tem alguma desidratação da vértebra, se tem algum tipo de hérnia de disco.

Em nossa empresa já estamos fazendo um projeto pra incorporar a ginástica laboral na rotina dos trabalhos. Ela é a responsável para preparar o trabalhador para o dia-a-dia. As vezes o trabalhador vem travado, vem com a parte da musculatura rígida, a própria coluna ainda não tá solta e uma ginástica laboral de vinte a trinta minutos é excelente pra se trabalhar leve e solto no do dia-a-dia.

Quando estão em seus trabalhos, as pessoas ficam muito tempo em pé ou ficam muito tempo sentada. Essa postura repetida, esse tipo de posição em que a pessoa fique em seu trabalho, termina levando uma postura errada, errônea e essa postura errada acaba afetando a coluna, tanto a coluna e torácica. Levando a dores de cabeça, desconforto e ao mal-estar.

Acontece casos em que a discopatia pode ficar degenerativa, resultando em uma fibrose. Isso leva a redução do espaço intervertebral (que é de um disco pra outro da coluna), diminuição da espessura do disco, a válvula e os chamados osteófitos (formação óssea que se desenvolve na extremidade de um osso) que muita gente conhece que é o bico de papagaio na coluna.

Eu sempre digo que eu tenho um exercício na academia que se faz que é a lombar. Esse exercício ele ajuda muito. Junto também as vezes eu indico a quiropraxia que é de fundamental importância e alguns analgésicos. Contudo, o mais interessante é que haja acompanhamento de um médico, para que não se tome um anti-inflamatórios, ou qualquer outro medicamento por um longo prazo.

Os anti-inflamatórios tem tempo curto de você administrar, dois ou três dias, mas existem tem pessoas que tomam anti-inflamatório pra vida toda, trazendo um enorme risco além como gastrite, insuficiência renal, insuficiência cardíaca, entre outros problemas.

A gente sempre tem indicado e os pacientes tem tido efeito muito bom, tratar a dor, não só com medicamentos, mas também com correção da postura. Então, a dica hoje é você ter um diagnóstico correto dessa discopatia, que é essa dor no pescoço e pode se estender na coluna.

21 mar

0 Comments

Transtornos alimentares: Saiba o que é anorexia, bulimia e compulsão Alimentar

Foto: Lucas Pêgo Oliveira Pereira Luquinhas / Pixabay

Hoje vamos falar sobre o impacto dos transtornos alimentares em nossas vidas. Existem mais de doze tipos de transtornos, mas vamos aqui focar nos três tipos principais e mais comuns.

Vale lembrar que os transtornos alimentares são doenças caracterizadas por hábitos alimentares irregulares e sofrimento grave ou preocupação com o peso e a forma do corpo.

Anorexia

Dentre os transtornos que vamos falar aqui, o primeiro deles é a anorexia. Essa doença chega a 1% da população brasileira, segundo estudos da área médica, e tem maior alta taxa de mortalidade.

Uma pessoa anoréxica, em geral, não come e por isso tem uma perda de peso muito rápida. Os pacientes começam a restringir o consumo de alimentos que eles consideram ser calóricos e esses cortes ficam cada vez maiores.

Com a perca de peso, o paciente distorce a própria imagem corporal, emagrece e, mesmo magérrimo, mesmo com desnutrição grave, eles se olham no espelho e se veem gordos.

Veja que anorexia envolve a parte psicológica da pessoa, por a mente tem que ser tratada. Daí a importância, de entrar o psicólogo, o psiquiatra, o clínico, uma verdadeira equipe multidisciplinar.

Bulimia

A bulimia é outro transtorno bastante conhecido. Ele começa com um exagero no consumo de alimentos e na sequência a pessoa sente culpa por ter ingerido tudo aquilo, daí começa a querer expurgar os produtos.

Na bulimia é importante você identificar que a pessoa come, mas fica como dor na consciência, com pena porque comeu e termina querendo colocar tudo pra fora. As vezes até com uso de medicamentos, estimulando o vômito.

Às vezes elas coloca a mão na boca e vai lá e e aí vomita tudo que comeu. É realmente um transtorno que tem de ter cuidado e atenção dos pais e parentes, para que fiquem vigilantes aos filhos e dependentes em casa.

Compulsão alimentar

A compulsão alimentar é quando a pessoa tem fome, mas come demasiadamente. Nela a questão primordial é o exagero. A pessoa devora uma quantidade enorme de comida.

O problema de se comer demais é que você desentende o estômago e acaba abrindo o estômago, podendo levar a ter uma hérnia.

A comida tem que ser dividida antes de ser ingerida. Tem que comer aos poucos. Pode-se até comer muito, mas comer moderadamente, paulatinamente, através de pequenas quantidades. Esse é o certo.

O transtorno de compulsão também pode ocasionar um obesidade, que começa leve, mas pode chegar a um grau muito elevado, ou seja, aí o problema passa da parte mental, para a parte física.

É importante diferenciar que também existem episódios isolados, de algo mais crônico e preocupante. Exagerar muito em comidas como pizzas, churrascaria, entre outros alimentos.

Seja qual for o transtorno alimentar, a pessoa que passa por esse problema e ou sua família ao redor deve buscar orientação e auxílio médico para identificar as causas e uma solução para o problema.

15 mar

0 Comments

Síndrome do Olho Seco: veja a importância das lágrimas em nosso corpo

Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

Hoje venho falar sobre a importância da hidratação do olho. Você sabe qual a função da lágrima? Vocês já pararam pra pensar nisso? Será que a gente chora só por causa da nossa parte emocional?

Existe uma síndrome chamada de Olho Seco, no qual ela é identificada quando o paciente não apresenta lágrimas em quantidade e qualidade suficientes para manter a lubrificação dos seus olhos.

Em todos os olhos estão presentes o humor aquoso, um líquido incolor que, constituído por água e sais dissolvidos, preenche as câmaras oculares. Ele é o responsável por manter a saúde e a transparência dos olhos.

A ausência desse líquido traz problemas que afetam às vezes bilateralmente ou unilateralmente os olhos. Na maioria dos casos o problema ocorre nos dois olhos.

Quando choramos?

Podemos chorar por alegria, através com emoção forte ou também choramos devido a uma perda, num momento de tristeza. Essas duas condições emocionais levam a fabricação da lágrima.

Existe gente que não chora com nenhuma das situações. Não chora na tristeza, nem na alegria. Primeiramente é preciso analisar se isso tem algum problema relacionado à parte psiquiátrica.

A psicopatia ou os estudos da psicanálise são ferramentas no qual se enquadra (ou não) uma pessoa que não produz lágrimas nessas situações. Via de regra, fomos programados para sentir emoções e chorar.

Quando choramos, a lágrima tem uma enzima chamada de lisozima, e essa enzima é muito importante, pois ela elimina bactérias, às vezes atuando até como um antifúngico.

O olho é a principal porta da visão da alma, daí, tudo se enxerga através dele. Quando choramos há uma lubrificação do olho (uma espécie de parabrisas, como ocorre nos carros).

Essa lágrima limpa e hidrata toda a parte da conjuntiva, todos os elementos que estão no olho e também combate todo tipo de bactéria que possa existir, tirando aquelas sujeirinhas de poeira, que chegam no dia-a-dia.

É importante a gente chorar, a gente ter lágrima.

É fundamental a lágrima sair do canal lacrimal e descer pelos olhos. Quando uma pessoa não consegue fazer isso, ela pode provocar o olho seco, daí a necessidade de se usar um colírio.

O colírio é a base de reprodução da lágrima. No Centro Médico Hebrom a gente faz o tratamento para as pessoas que têm essa condição de olho seco. Fique atento: Se você chora pouco, você tem que lubrificar seus olhos.

19 fev

0 Comments

Você sabe como está a homocisteína em seu corpo?

Foto: tomwieden / Pixabay

Hoje vou deixar uma dica importante falando sobre a homocisteína, um aminoácido que contém enxofre e normalmente está presente em quantidades muito pequenas no organismo.

A homocisteína é um produto do metabolismo da metionina (um dos aminoácidos essenciais) e quando ela está presentes em grande quantidades no sangue, pode causar o surgimento de doenças cardiovasculares.

Já se tornou comum nos preocuparmos com o colesterol, triglicerídeos e glicose, mas muitas pessoas não conhecem a importância de avaliar a homocisteína. Eu costumo falar que a homocisteína vai ser o futuro colesterol.

Todo mundo sabe a importância de controlar o colesterol, pois seu desequilíbrio pode provocar o infarto agudo do miocárdio, a segunda doença que mata mais no mundo.

Normalmente, o cardiologista ou clínico observa a quantidade da homocisteína no sangue e aí busca o melhor tratamento. Quando a homocisteína está alta é, muito possivelmente, porque os níveis de vitamina B6 estão baixos.

Falo sempre aos meus pacientes do Centro Médico Hebrom que é importante termos bons hábitos de alimentação, para que possamos assim nos nutrir bem. Tem muita gente comendo demais e se nutrindo de menos.

Se nutrir é você comer alimentos e conseguir absorver devidamente os nutrientes dele. Como a homocisteína é um aminoácido, é muito importante o fator alimentação, para saber se o paciente está se nutrindo devidamente.

Os valores normais de homocisteína, que se apresenta no exame de sangue, geralmente deve estar abaixo de 15 micromol por litro.

Além da baixa ingestão de alimentos com vitamina B6 e B12, pessoas que tenham alterações genética podem elevar os níveis de homocisteína, pacientes com alterações na tireoide, alterações renais, o tabagismo, e ainda a infecção pelo Sars-Cov-2, tão conhecido como Novo Coronavírus.

A gente vem falando bastante em nossa clínica que, todos aqueles que tiveram Covid-19 devem ficar atentos aos seus exames e consultar seus médicos para ver sempre como andam suas taxas, e a homocisteína é uma delas.

Para acompanhar mais dicas como esta, veja a página do Centro Médico Hebrom, no Instagram, logo abaixo:

 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Uma publicação compartilhada por Centro Médico Hebrom (@centromedicohebrom)

20 jan

0 Comments

Você tem tido soluço por dias seguidos? Veja os cuidados a se tomar

Foto: Divulgação / CMH

Todo ser humano, ao menos uma vez na vida, deve ter passado por um fenômeno de contração muscular involuntária intermitente dos músculos respiratórios intercostais e diafragmáticos. Falando assim você pode não entender, mas se eu perguntar: você já teve soluço? Aí muita gente vai dizer que sim.

Foi justamente esse o assunto que abordei num podcast que gravei para o Centro Médico Hebrom. Nos últimos dias atendi três pacientes que apresentavam soluço intermitente, um deles há quase quatro dias com soluço sem parar. Ele já havia passado por outros médicos, tomado medicações, mas não tinha resolvido.

Atrás do soluço, temos que fazer um exame físico, de temperatura, olhar o ouvido, pode ter alguma lesão nesse órgão. Olhar a garganta. É preciso fazer um exame torácico abdominal. Procurar sinais de pneumonia, derrame pleural. Investigar se o paciente tem algum aneurisma, algum problema com o nervo frênico.

É importante verificar a parte cardiológica, se a pessoa tem algum problema nesse sentido, pois o soluço também pode indicar alguma alteração nessa área. As vezes o soluço pode preceder um infarto agudo do miocárdio.

É ainda relevante avaliar se o soluço possa estar ligado a algum fator psicogênico, ou seja, quando o distúrbio não têm uma origem orgânica e sim psíquica. Pode ter uma relação com estresse, ansiedade, excitação.

Há também aquelas medidas populares, já conhecidas do público em geral, como respirar em um saco, engolir açúcar, chupar um limão. Tem a manobra de valsava, uma técnica em que se prende a respiração, segurando o nariz com os dedos e, em seguida, é necessário forçar a saída de ar, fazendo pressão.

Mas também existem as medidas farmacológicas, nesse caso, é preciso sempre buscar orientação médica, para que ele indique o que realmente é melhor.

Aqui no Centro Médico Hebrom fazemos um procedimento simples, que é puxar a língua do paciente e mandar ele retrair a cabeça um pouco para trás, pois diminui o estímulo do nervo vago, que é com que o soluço é excitado.

Quer saber ainda mais sobre este tema, ouça o áudio completo do podcast abaixo:

29 mar

0 Comments

Covid-19: Vamos aprender com o maior infectologista do universo

Foto: Gerd Altmann / Pixabay

Estamos vivendo dias apocalípticos. A história é um espelho retrovisor que permite olharmos para trás sem tirar o foco do que está em nossa frente. Com ela aprendemos, planejamos, acertamos ou erramos.

Se olharmos para a história veremos que as pandemias são cíclicas. A gripe espanhola de 1918 foi incomumente mortal. De janeiro de 1918 a dezembro de 1920, 500 milhões de pessoas foram infectadas.

Quase ¼ da população mundial morreu, um número entre 50 a 100 milhões de pessoas. Foi uma das epidemias mais mortais da história da humanidade. A gripe espanhola foi uma das primeiras pandemias causadas pelo influenza, vírus H1N1, a segunda ocorreu em 2009.

A maioria dos surtos virais mata desproporcionalmente os mais velhos do que os mais jovens, porém inesperadamente a taxa de mortalidade foi demasiadamente alta entre os adultos jovens.

Algumas análises mostraram que uma tempestade desencadeou citocinas que atacam o sistema imunológico e tornou o vírus potencialmente mortal, juntando aí fatores de desnutrição, falta de higiene, acampamentos médicos e hospitais superlotados promoveram uma superinfecção resultando em uma alta taxa de mortalidade.

A história se repete por um dos microrganismos mais inferiores da escala dos patogênicos, pois fungos, bactérias estão na frente no grau de patogenicidade em relação às síndrome virais.

Apesar de todos esse histórico e dados científicos, ainda há pessoas e autoridades públicas que não entenderam a gravidade da situação. A descrença na ciência é tão grande, que há quem veja um movimento a favor do vírus. Teorias conspiratórias e narrativas políticas também atrapalham a conscientização da população.

Particularmente prefiro ficar com as recomendações do maior infectologista do universo, que deixou a prescrição pronta em Isaías, Capítulo 26, versículo 20. “Vem povo meu, entra em suas casas, fecha a sua porta até que passe a praga. Vai passar! Passa o céu, passa a terra, mas a minha Palavra não passará”.

A verdade é que Deus tem seus mecanismos cíclicos, que não são punitivos, mas sim educativos. Agora não é hora de ideologismo, mas sim de aprendermos com a história. É hora de ficar em casa, pois assim Deus nos ensinou, nos momentos de pestilência, quando esta chega à humanidade.

14 jan

0 Comments

Infertilidade feminina é tema do Momento Saúde; Ouça

Foto: Divulgação

Transmitido semanalmente através da Rádio Milênio FM, o Momento Saúde, programa que tem a frente o médico Honório Luis e a farmacêutica Suzana Ribeiro, abordou na semana passada o tema: Infertilidade feminina.

A dupla de especialistas abordou os principais fatores que levam as mulheres a terem dificuldade de engravidar. Entre eles estão: ovários policísticos, má formação intrauterina, hipotiroidismo, entre outros.

Para conferir o programa completo, ouça abaixo:

Por Assessoria / CMH

16 dez

0 Comments

Centro Médico Hebrom dá dicas de saúde nas redes sociais; confira

Foto: Mojca JJ / Pixabay

O Centro Médico Hebrom, clínica situada na cidade de Santana do Ipanema (AL), iniciou nesta segunda-feira (16), em suas redes sociais, a publicação de uma série de vídeos apresentando variadas dicas de saúde.

Iniciada pelo médico Honório Luis, o CMH vai trazer toda semana para os internautas informações importantes de como cuidar do corpo, além de mostrar os serviços da maior clínica do Sertão de Alagoas.

Para começar essa série, Honório falou de um mal que atinge inúmeras pessoas: a alergia. Assista abaixo a primeira dica de saúde do Centro Médico Hebrom:


Por Assessoria / CMH


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.