Sobre Sandra Bezerra

Sanda Bezerra Silva é sócia-proprietária da Empresa SAUB Odontologia - Consultórios Integrados, situada em Olho d'Água das Flores, município que nasceu e reside. É integrante da ONG Dentista do Bem e Coordenadora Regional do Projeto em sua terra. Já foi agraciada pela Comenda Ângelo de Abreu por serviços voluntários prestados à comunidade. É Coordenadora Voluntária de Doutrina e Comunicação do Centro Espírita Eurípedes Barsanulfo, também em solo sertanejo.


VIDA DE NEGRA

3 junho 2020


Foto: Arquivo Pessoal

No mundo inteiro artistas, marcas de grande destaque, ativistas, profissionais de todas as áreas e populares das mais variadas camadas sociais sobem as hastags #VIDASNEGRASIMPORTAM e ou #BLACKLIVESMATTER, como protesto contra a violência de ação policial e negligência das autoridades contra a vida dos negros.

Mas, muitos desconhecem que este é um movimento internacional que existe desde 2013 e ganhou força em 2014, após a morte de dois afro-americanos em Nova York.

#BLACKLIVESMATTER foi fundado por mulheres, lideranças negras, e com o objetivo de defesa da causa das mulheres e da comunidade LGBT (LGBTQI+) e hoje, no Brasil, o movimento #VIDASNEGRASIMPORTAM ganha uma proporção muito maior na internet, após o 31 de Maio, no Rio de Janeiro, subindo massivamente as hastags contra o genocídio da juventude negra, Antirracistas e Antifacistas.

O Brasil tem a tendência a maquiar o racismo. Segundo o Sociólogo Florestan Fernandes, “o brasileiro tem preconceito de ter preconceito”. ”É uma forma de transformar os indivíduos que são mais vulneráveis socialmente em inimigos do país. Há pouco clamor popular para reivindicar a humanidade dessas vidas”. “Tanto aquele que é a pessoa que age preconceituosamente tanto a que sofre o preconceito fazem acordo tácito de não falar sobre aquilo. É vergonhoso para o indivíduo que é preconceituoso e também é vergonhoso para aquele que passa pelo preconceito, fica parecendo que ele está sendo vitimado”. Fonte: Estado de Minas.

Concordante com Florestan, inclusive quanto a acordos tácitos, deixo meu depoimento de experiência vivencial do preconceito racista desde o berço, veja abaixo:

 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

VIDA DE NEGRA O que me assusta não é o ataque dos maus, o que me espanta é a mudez dos bons e o fingimento dos omissos. Até quando vai se negar que o SER negro incomoda? Quando nasci, minha Vó passou dias queimando dedos no pavio do candeeiro, para “fazer meu pau de venta”. Mas foi por amor… Iria agradecer depois… Pequenina, minha mãe esticava tanto meus cabelos pra prender, que eu chorava pra piscar os olhos. Mas foi por amor… E as molinhas teimavam em soltar, era um alívio! Maior, tinha que comer cabelouro assado atrás da porta para ficar bonita, afinar as feições. Mas foi por amor… Como iria arranjar um namorado? Pré adolescente, tinha que “esticar” o pixaim, para parecer ficar mais apresentável e eu chorava com a cabeça queimada pela química. Mas foi por amor… Todo mundo tinha cabelo “bom”… Adolescente, quase fui estuprada pelo político famoso, porque era a negra novinha e gostosa que vivia de favor. Mas e daí… Foi apenas quase, não escandaliza… Aos 18, a coleguinha de trabalho pediu para ficar “mais distante”, tinha medo de pegar os piolhos que eu não tinha. Mas e daí… É que parecia… Adulta, crianças apontavam para meu cabelo, rindo, porque era um coqueiro na cabeça. E daí? Eram apenas crianças… Sem orientação. Gostei de ter um coqueiro, uso até hoje. Negra??? Não!!! A Senhora é morena, vive na sombra. Não, sou negra sim! Ah, mas a Senhora é uma Doutora, tem alma de branca. Isso é elogio, ser negro é ofensa. O racismo, o preconceito, vem embutido de várias formas, inclusive em formas de proteção, de amor… Entendi. Entendo. Mas não aceitei. E não aceito. Escolhi ser modelo original, ousada, lutadora, sem artifícios, mas com artefatos. Mas sim, isso incomoda e muito. Porque estamos falando sobre preconceito? Porque é real e é crime. Todos! Porque estamos falando sobre negros, negritude? Porque é necessário e urgente! Ninguém precisa ser negro para lutar contra o racismo, contra o preconceito e se você ainda não entendeu o que está sendo falado, e não se considera preconceituosa(o) e racista, reveja seus conceitos, pois não há meio termo. #racismoécrime #BLM Logo @leatavares11

Uma publicação compartilhada por drasandrabezerra (@drasandrabezerra) em

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.