Ufal inicia campanha para evitar desperdício de alimentos no Restaurante Universitário

05 out 2014 - 10:41


Um primeiro levantamento apontou que em apenas uma semana foram esperdiçados, pelos usuários, 254 kg de restos de alimentos servidos no almoço.

Foto: Assessoria Ufal

Foto: Assessoria Ufal

O Restaurante Universitário do Campus A.C. Simões, em Maceió, fornece diariamente mil almoços, e num primeiro levantamento constatou-se ser alarmante o desperdício de alimentos devolvidos (sobras), nas bandejas pelos usuários. Em apenas uma semana verificou-se que foram desperdiçados, pelos usuários, 254 kg de alimentos, o que daria para proporcionar mais 508 pratos de comida, levando em consideração de que cada prato servido tem em média 500 gramas de alimentos.

O desperdício de alimentos motivou a realização de um estudo pelas graduandas Ingrid Braga e Maria Gabriela Serafim, do curso de Nutrição e também estagiárias do RU, para a deflagração de uma campanha de conscientização junto à clientela da unidade. O estudo teve duração de um mês, setembro, com a campanha de intervenção e análise dos dados e já aponta os primeiros resultados positivos.

“Observamos que antes da campanha de conscientização foi constatado em duas semanas um desperdício de 628,5kg, o que daria em média 314,25 kg por semana e 62,85 kg por dia. Com a campanha pelo mesmo período, verificamos que o desperdício de alimentos pelos usuários foi reduzido para 376kg, o que daria em média 188 kg por semana e 37,6 kg por dia”, frisaram Ingrid e Maria Gabriela. O estudo tem a supervisão da professora da Faculdade de Nutrição (Fanut), Laudilse de Morais Souza e da nutricionista e coordenadora do Restaurante Universitário, Milena Fernandes.

As estudantes explicam que a campanha tem adotado algumas estratégias, usando panfletos, cartazes, conversa com a clientela e constante exibição de vídeos com informação nutricional pela TV RU, projeto implantado há dois anos sob a supervisão da professora Laudilse de Souza Morais. O projeto, atualmente em funcionamento só no RU, integra uma atividade curricular do curso de Nutrição e o objetivo é expandi – lo para todo Campus A. C. Simões.

As pesquisadoras aproveitam para destacar a importante participação dos usuários do RU na campanha, principalmente do segmento discente. “Os alunos têm solicitado camisa da campanha como forma de divulgação da atividade Junto à comunidade”. “Sempre somos abordadas quando algum colega deixa restos de comida no prato, e se a quantidade de resto é grande somos solicitadas para o registro fotográfico de pratos deixados dessa forma. O que significa para nós que a campanha de conscientização está surtindo efeito bastante positivo e vem atingindo o objetivo proposto”, dizem Ingrid Braga e Maria Gabriela.

A coordenadora do RU, Milena Fernandes, enfatiza que a campanha tem também como público alvo os 42 funcionários, distribuídos nos turnos diurno e noturno. “Foi feito o treinamento dos funcionários sobre a quantidade de alimento servido. É fora da realidade achar que podemos atingir zero de desperdício, mas a campanha de conscientização surge como uma iniciativa muito positiva para o grande desperdício de alimentos até então existente ”, afirmou Milena.

Procedimentos

A verificação do desperdício é feita com o cálculo do resto ingesta (RI) utilizando-se a seguinte fórmula: per capita do resto ingesta (Kg) = peso do resto / número de refeições servidas. A pesagem do lixo recolhido no final do almoço, é feita por um funcionário do restaurante numa balança da marca Ramuza com carga máxima de 150kg e carga mínima de 1 kg. Esse cálculo é realizado durante todo o período do estudo, ou seja, antes, durante e após a intervenção nutricional de conscientização de desperdício de alimentos.

Os dados obtidos são anotados em uma planilha preenchida diariamente e consta de data, número de almoços servidos no dia, resto ingesta (RI) em quilos e cardápio diário. “Para a pesquisa só são utilizados lixos orgânicos, estando descartados os inorgânicos como copo, guardanapos e copos. O lixo alimentar pesado tem local apropriado para descarte” enfatizam as pesquisadoras Ingrid Braga e Maria Gabriela.

Espaço de ações acadêmicas

Com mais de três décadas de funcionamento, o Restaurante Universitário do Campus A. C. Simões tem se constituído como importante colaborador das ações de ensino, pesquisa e extensão da Faculdade de Nutrição (Fanut). É espaço de estágio de alunos da unidade acadêmica e está integrado a diversos projetos visando à promoção da saúde e qualidade de vida.

Entre os projetos estão: “Zero Trans”, para eliminação de gordura trans no cardápio; “Redusal”(redução do sódio); e “Feijão com Arroz” . A coordenadora Milena Fernandes faz um destaque para a parceria do RU com a Fanut no Programa de Atendimento Dietético, conhecido como PAD, com objetivo de realizar orientação nutricional aos usuários para mudança de hábitos alimentares. “Atualmente esse atendimento está sendo feito somente aos funcionários do RU, mas é importante que se crie as condições devidas para que o programa se estenda a todos”, frisou .

Restaurante abre atendimento pra comunidade universitária

O Restaurante Universitário (RU) do Campus A.C. Simões já está com atendimento para alunos, docentes e técnicos-administrativos para o almoço, o qual dispõe também em seu cardápio a opção vegetariana, usando soja em substituição ao prato proteico do dia. Para ter direito ao atendimento, o interessado deve apresentar um documento com foto. A equipe do RU dispõe de uma lista para a conferência se o interessado é integrante da comunidade universitária.

A coordenadora do RU, a nutricionista Milena Fernandes, informa que o serviço para a automatização do atendimento com cadastro biométrico está sendo gerenciado pelo Núcleo de Tecnologia da Informação (NTI), e já começou a fazer o cadastro dos alunos que têm direito a alimentação gratuita, conforme seleção realizada pela pela Pró-reitoria Estudantil (Proest).

Milena aproveita para explicar como está sendo o processo e pede paciência a todos nessa fase, por estar sendo feito tudo de forma manual e presencial. “O cadastro biométrico, que agilizará o atendimento, evitando a formação de filas para os alunos e servidores, será feito posteriormente. Por enquanto, a apresentação de documento com foto é suficiente para ter direito a almoçar no RU”, reforça Milena. O valor do almoço tem preço diferenciado: R$ 3,00 para alunos da graduação; R$ 5,00 para alunos da pós-graduação; e R$ 8,00 para professores e técnicos-administrativos.

O Restaurante Universitário do Campus A.C. Simões tem capacidade para oferecer três mil refeições diárias, incluindo almoço e jantar. O almoço, servido das 11h30 às 14h, sempre tem em seu cardápio arroz, feijão, macarrão, duas opções de proteína, duas saladas (cozida e crua), suco e sobremesa. No jantar, das 17h30 às 19h30, são servidos sopa, café regional e lanches (sanduíches e salgados). Os alunos que moram na Residência Universitária têm direito a quatro refeições diárias: café da manhã, almoço, jantar e ceia, inclusive nos finais de semana.

O jantar é aberto a toda comunidade universitária e vai de R$ 1,00 a R$ 3,00 .

Da Assessoria Ufal

Comentários