Time de basquete do Sesi promove a inclusão de jovens com espectro autista Iniciativa melhora coordenação motora e comportamento por meio da socialização

29 set 2021 - 15:30

O basquete, assim como outras atividades físicas coletivas, proporciona a estes jovens uma oportunidade de interação social. (Foto: Assessoria)

Esporte não é apenas saúde, é inclusão também. O time de basquete do Sesi Alagoas, formado por 18 atletas com transtorno do espectro autista (TEA), é uma prova disso. Duas vezes na semana, pais e alunos se reúnem no Sesi Cambona para treinar.

É uma rotina que vem ajudando, e muito, no tratamento desses jovens. “Estou muito agradecido por todas terças e quintas estar fazendo exercício com ele, aqui, e melhorando o rendimento do meu filho, tanto técnico como psicológico, graças a Deus!”, disse Everton Ferreira, pai do Everton Filho, de 14 anos.

Já são seis meses de trabalho, explica o professor Pablo Lucini, do Programa Sesi Pessoas com Deficiência (PSPCD). “Somos uma referência na região Nordeste. Iniciativa semelhante somente encontrei no Rio de Janeiro e em São Paulo”, diz.

O basquete, assim como outras atividades físicas coletivas, proporciona a estes jovens uma oportunidade de interação social, além de trazer benefícios para a coordenação motora. A evolução no comportamento dos atletas do Sesi é atestada pelos pais.

“Sou testemunha de coisas que o meu filho não fazia e hoje, com o trabalho da equipe, do pessoal aqui, meu filho tem evoluído bastante, graças a Deus e graças ao Sesi. Hoje, tivemos uma confraternização maravilhosa e o meu filho não se alimentava. Agora, aqui no Sesi, está comendo. E tem também a socialização, que é importante”, disse Ana Paula Tenório, mãe do Luiz Filipe, de 10 anos.

A Beatriz da Conceição, mãe do Gabriel Richard, de 14 anos, também enxerga o progresso do filho. “O que eu notei depois do esporte foi que ele tem melhorado muito na coordenação motora dele e na postura. Por ele ser uma criança grande e alta, tem melhorado também a qualidade do sono e tem estado com mais energia”, declarou.

Os pais do José Lisboa Neto, de 7 anos, dizem que o garoto está se desenvolvendo muito bem. “Eu e a mãe do meu filho estamos muito orgulhosos e contentes com o desenvolvimento dele. Só tenho a agradecer e pedir que Deus abençoe a todos. Com fé em Deus, ele vai progredir cada vez mais”, disse Fabrício Lisboa.

Por Assessoria

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.