Telefonia Móvel ainda não alcançou qualidade, diz presidente da Anatel

12 dez 2012 - 07:07

Ilustração (Foto: Imagens Google)

“Ainda não dá para inferir que houve uma melhoria substancial, apenas estamos constatando que há uma estabilidade na prestação de serviço”. Assim o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), João Rezende, definiu os avanços feitos pelas operadoras de telefonia no Brasil.

A declaração do presidente da Anatel ocorreu nesta terça-feira (11), onde na ocasião participava de audiência pública da Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados.

Rezende reconhece que houve um esforço das operadoras em melhorar os serviços, depois da medida de suspensão da venda de novas linhas, em junho deste ano, imposta pela Anatel, contudo ainda está faltando muito para as mesmas atingirem um nive de qualidade que o Brasil precisa.

Propaganda Enganosa

Ainda na oportunidade, o presidente da Anatel criticou as operadoras de telefonia móvel, dizendo que as palavras “infinito e ilimitado” deveriam sair do vocabulário de propaganda das empresas. “Isso leva o usuário a achar que ele pode utilizar o serviço sem custo nenhum. Na verdade, nada é infinito, nada é ilimitado, existe limite para tudo e as empresas devem ter consciência para não confundir o consumidor”.

Rezende explicou que os principais problemas no setor de telefonia móvel são detectados nos serviços de dados, que apresentam índices abaixo dos previstos pela Anatel. Segundo ele, os pontos críticos do setor estão relacionados a contas e cobranças, informações aos usuários e acesso à rede de dados.

O diretor executivo do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal (SindiTelebrasil), Eduardo Levy, informou que os planos de melhoria das empresas tiveram aumento de 14% na previsão de investimentos até 2014. Segundo ele, as empresas ofereceram à Anatel informações detalhadas de planejamentos para melhoria de infraestrutura, dimensionamento da rede e expansão da cobertura.

Da redação com Agência Brasil

Comentários