Sindpol crê em investigação isenta sobre crimes em Batalha

14 nov 2017 - 08:09

Ricardo Nazário garante que a apuração será veemente e que os culpados devem pagar (Foto: Ascom/Sindpol)

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol), Ricardo Nazário, afirma que a entidade só vai se pronunciar sobre o suposto envolvimento de um agente de polícia no assassinato do vereador da cidade de Batalha, Adelmo Rodrigues de Melo – conhecido como Neguinho Boiadeiro – após a conclusão das investigações. Segundo ele, o sindicato confia na isenção da apuração do crime, ocorrido no último dia 9.

Durante o sepultamento de Neguinho Boiadeiro, realizado na última sexta-feira (10) em Craíbas, sua família afirmou que o policial civil Eudson Matos foi um dos responsáveis pelo assassinato do parlamentar. Ele é filho de Edvaldo Joaquim de Matos, sargento reformado da Polícia Militar – à época segurança de Paulo Dantas, então prefeito de Batalha e filho do presidente da Assembleia Legislativa (ALE) Luiz Dantas (PMDB) – assassinado em 2006 por Emanuel Boiadeiro.

“O Sindpol acredita na isenção das investigações. Queremos que se apure com veemência e quem for culpado que pague. Mas pode ser que, no calor da emoção, a família, por querer de imediato a prisão do autor do crime, tenha colocado alguém na cena do crime sem que se tenha nada a ver com a situação. Até que ponto o policial [Eudson Matos] está envolvido, se é que está, se foi autor ou mandante? Ninguém sabe ainda”, comenta Ricardo Nazário.

Veja matéria completa no Tribuna Hoje

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.