Sobre Diógenes Pereira

Diógenes Rodrigues Pereira é Psicólogo Clínico, Terapeuta Cognitivo Comportamental, Especialista em Avaliação Psicológica, Palestrante, Consultor Pessoal e Organizacional. Formado pelo Centro Universitário Cesmac (Maceió).


SETEMBRO AMARELO: Você sabe como surgiu?

8 setembro 2019


Foto: Divulgação

No Brasil, foi criada a campanha Setembro Amarelo com o objetivo de intensificar as ações de prevenção ao suicídio, que atualmente é considerado um problema de saúde pública.   

O termo é utilizado porque é celebrado no dia 10 de setembro de cada ano, o dia mundial de conscientização a prevenção ao suicídio. Durante do o mês a campanha ganha destaque midiático, intensificando ações mundiais para evitar que mais pessoas tirem a própria vida, com diversas atividades em todo o mundo desde 2003.

O ministério da Saúde (MS), juntamente com a Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio (AIPS), colaboram com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Federação Mundial para Saúde Mental (FMSM), em ações articuladas que mobilizam cerca de 40 países e realizam eventos de sensibilização para fortalecer a ocasião. 

Segunda a Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que no mundo por ano mais de UM MILHÃO de pessoas morram por suicídio, sendo contabilizado o maior número entre pessoas com idades entre 15 e 29 anos, com isso, se torna a quarta causa de mortes entre homens e a oitava causa entre mulheres.

De acordo com Ministério da Saúde (MS), no Brasil esse número tem crescido nos últimos anos, principalmente entre os jovens, haja vista as estatísticas mostram que pessoas de todas as idades e classes sociais cometem suicídio. O objetivo da campanha é levar informações a toda população, e só assim será possível reverter essa estatística negativa.

O maior número de tentativas está entre as mulheres, muito embora os homens morram em maior número, isso é devido aos indivíduos do sexo masculino utilizarem métodos mais violentos que raramente falham. 

A campanha Setembro Amarelo é projetada para desconstruir o preconceito sobre as causas do suicídio. A falta de conhecimento sobre o assunto é o principal obstáculo que dificulta a prevenção. 

Segundo o Ministério da Saúde (MS) 90% dos casos de suicídio estão relacionados com alguma doença mental, então quanto maior o nível de conhecimento sobre a temática, mais fácil de prevenir o problema.

Quando um indivíduo pensa ou tenta suicídio, mas é acolhido e direcionado pelo profissional capacitado, raramente ele volta a tentar, o índice de desistência é de 90% desde que tratado. Ou seja, quando esse indivíduo não é cuidado ele tem uma grande chance de cometer suicídio a qualquer momento. 

Segue algumas dicas de como agir diante de alguém com ideação suicida:

Mantenha-se calmo e receptivo, disposto a ouvir alguém precisa desabafar;

Não julgue nem critique o que ele disser, pois você não sabe o quanto ele sofre;

Diga que está com ele e vai ajudá-lo.

Estimule o indivíduo a falar sobre como tentou, a quanto tempo se sente assim, quem sabe das tentativas, são perguntas que o farão explicar o nível de perigo que ele se encontra;

Mesmo que ele se negue no momento, tente levá-lo a um serviço de saúde mental; 

Não o abandone, não o deixe desistir da vida;

Falar sobre suicídio com quem pensa em tirar a própria vida é melhor maneira de amenizar o sofrimento mental que ele sente, tudo que precisa nesse momento é ser ouvido e valorizado.

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.