SESI Bonecos do Mundo chega a Maceió; saiba mais

21 nov 2017 - 15:00

Foto: Divulgação/Assessoria

O maior festival de teatro de bonecos da América Latina desembarca pela primeira vez em Maceió nesta segunda-feira (26). Em cena, estarão companhias de sete países – Estados Unidos, Peru, Coreia do Sul, Hungria, Itália, Rússia, além do Brasil.

Outro destaque importante na programação é o espetáculo “Alice Live”, com a banda Pato Fu e o grupo Giramundo. O Sesi Bonecos ocorre até o dia 3 de dezembro, no Teatro Deodoro e no Estacionamento do Jaraguá. É totalmente gratuito e tem o patrocínio do Sesi-AL.

Essa edição faz, ainda, uma homenagem especial ao mamulengo, como patrimônio imaterial da cultura brasileira, cujo ponto alto é uma exposição com quase 300 bonecos. Boa parte deles do acervo de Magna Modesto, umas das maiores pesquisadoras brasileiras sobre o tema. A mostra traz verdadeiras relíquias cedidas por mestres mamulengueiros.

O Sesi Bonecos é um trabalho de resgate e valorização da arte de manipulação de títeres que entra na sua 13ª edição. Já percorreu literalmente os quatro cantos do país, sendo aplaudido por cerca de 2,2 milhões de pessoas.

Esteve em Maceió, em 2008, mas na versão “Bonecos do Brasil” – apenas com companhias nacionais – e foi visto por 38 mil pessoas. Essa é a primeira vez que a capital alagoana recebe o evento na sua versão “Bonecos do Mundo”, com artistas internacionais.

“O festival está estruturado a partir de quatro pilares: conteúdo inteligente; conteúdo para todas as idades (não apenas para crianças); diálogo com as linguagens tradicional e contemporânea; e diversidade de técnicas”, detalha Lina Rosa, idealizadora do projeto.

ESPETÁCULOS

The Huber Marionettes (Foto: Dudu Schnaider)

Um dos diferenciais mais marcantes do Sesi Bonecos é a variedade de técnicas que o festival coloca em cena. “Há manipulações virtuosas com fio, que são de um apuro técnico e de um rebuscamento impressionante”, destaca Lina Rosa, citando como exemplo The Huber Marionettes (EUA) e o russo Viktor Antonov.

“Em contrapartida, há companhias em que os fios são desnecessários e o resultado é tão impactante quanto”, compara referindo-se às companhias Hugo e Ines (Peru) e Girovago & Rondella (Itália), que usam partes do próprio corpo como “bonecos”.

Mas o festival também conversa com o que temos de mais tradicional, como os mamulengos. Missão que fica a cargo dos mestres Zé Lopes e Waldeck, que estarão na Praça dos Mamulengos. Além disso, dentro da exposição, os mestres Tonho e Daniel de Chico esculpem, em tempo real, bonecos para o público.

O Brasil também estará representado por companhias que trazem leituras bem contemporâneas dessa expressão teatral. O grupo mineiro Giramundo, que ao lado da banda Pato Fu, apresenta o “Alice Live”, uma releitura do clássico “Alice no País das Maravilhas”, Lewis Carroll.

Os gaúchos da companhia Seres Imaginários, que trazem um teatro minimalista, para ser visto a poucos centímetros dos rostos das pessoas, é outro exemplo. O espetáculo é livremente inspirado em “O Livro dos Seres Imaginários”, de Jorge Luís Borges e Margarita Guerrero.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO

Foto: Divulgação

Por Assessoria/ SESI Alagoas

 

Comentários