Santana: vereador faz defesa do Executivo e colega ironiza: ‘líder ou informante oficial?’

08 abr 2017 - 13:47

O parlamentar progressista alertava a rapidez nas explicações dadas por seus colegas, assim que ouviam os discursos na tribuna.

Junior e Vaz protagonizaram discursos opostos na tribuna (Fotos: Lucas Malta/Alagoas na Net)

Junior e Vaz protagonizaram discursos opostos na tribuna (Fotos: Lucas Malta/Alagoas na Net)

A sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Santana do Ipanema, realizada nesta sexta-feira (7), foi marcada por inúmeros discursos de questionamentos e defesas de atos do Poder Executivo Municipal.

O vereador José Vaz (PP) abriu os discursos ao citar a matéria publicada pelo site Alagoas na Net na última quinta-feira (6). Ele afirmou estar preocupado com o futuro dos recursos destinados a pagar indenizações aos trabalhadores do IPAS no Hospital Regional Clodolfo Rodrigues de Melo.

A segunda voz foi do líder comunitário Jackson Chagas (PSol), que apontou suas críticas para as constantes respostas dadas pelo então secretário municipal de Obras, Genildo Bezerra, sobre o grande número de maquinas com problemas, gerando assim uma dificuldade em executar com mais agilidade alguns consertos essenciais.

Entretanto, o que chamou a atenção no plenário, além dos assuntos levantados, foi uma das falas de Vaz ao citar a reação de alguns de seus pares. O parlamentar progressista alertava a rapidez nas explicações dadas por seus colegas, assim que ouviam os discursos na tribuna. Um dos que se manifestou foi o vereador Moacir Junior (PMDB). “Porque tudo o que os vereadores falam, ele tem uma informação a dar. Deve ser líder ou informador oficial[do governo]”, ironizou Vaz.

Presidente também reage

Apesar da fala do vereador ter sido direcionada ao Junior, na sessão em questão também não faltaram oportunidades para que o presidente da Casa, vereador Mário Siqueira também fizesse questão de expor seu ponto de vista e dar explicações, defendendo a atual administração.

O presidente da Casa Tácio Chagas Duarte chegou a usar pelo menos dois apartes na fala de Jackson somente no pequeno expediente. Mário também usou o discurso do grande expediente para contrapor algumas das indagações feitas pelo vereador Marciano dos Santos (PPS).

Por Lucas Malta / Da Redação

Comentários