Santana do Ipanema ultrapassa 400 casos da Covid-19 e tem 13 internados Secretária municipal de saúde relata preocupação com falta de cuidados da população nessa pandemia.

05 jul 2020 - 20:43

Foto: Fernando Zhiminaicela / Pixabay

O número de pessoas confirmadas com a Covid-19 continua crescendo em Santana do Ipanema. Neste domingo (5), o município divulgou que ultrapassou o registro de mais de 400 infectados e também houve aumento no número de pacientes internados: agora são 13.

Para a secretária municipal de Saúde de Santana, Normanda Santiago, esse crescimento reflete a falta de cuidado dos moradores nas últimas semanas, especialmente no mês passado, momento em que pessoas acabaram se reunindo para celebrar as festas juninas.

 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

BOLETIM EPIDEMIOLÓGICO ATUALIZADO 05/07/2020.

Uma publicação compartilhada por Secretaria Municipal de Saúde (@sms_santana) em

“Temos percebido que muitas pessoas relaxaram em relação aos cuidados com a doença. Não é difícil ver moradores nas ruas sem máscara e fazendo aglomerações. Infelizmente é preciso reforçar que a doença não sumiu e que o contágio está acontecendo”, relatou ela.

No final da tarde do último sábado a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Santana divulgou em seu instagram um gráfico com a curva de crescimento da doença no município. É possível perceber que até o mês de maio havia aumento, porém menos acelerado. A partir de junho, o número de confirmados subiu consideravelmente.

 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

A Prefeitura Municipal de Santana do Ipanema por meio da Secretaria de Saúde, divulga a Curva de Crescimento do Coronavírus-Covid-19.

Uma publicação compartilhada por Secretaria Municipal de Saúde (@sms_santana) em

Informações incorretas também preocupam

Apesar da alta contaminação, a titular da pasta local ressalta que também houve um crescimento de casos recuperados e que o município tem conseguido frear as mortes pelo vírus. Normada ainda fala sobre outra preocupação que é a omissão de informações corretas por parte de moradores.

“Algumas pessoas chegam ao Centro de Triagem de Síndromes Gripais e querem logo fazer o teste rápido, mas para que ele dê certo é preciso que a pessoa esteja com os sintomas há pelo menos oito dias. Percebemos que algumas dizem que estão somente para receber o teste, mas ocorre que, se elas não tiverem falando a verdade, a chance do exame dar falso negativo é muito grande”, explicou.

Por Lucas Malta / Da Redação

Comentários