Santana: após tragédia, voluntários ajudam a alimentar desabrigados

28 mar 2020 - 03:13


Voluntários recebendo doações em Santana (Foto: Sindipol Alagoas)

Passado o desastre que afetou quase 200 famílias em Santana do Ipanema, devido a enchente do riacho Camoxinga, um dos maiores desafios de quem decidiu se voluntariar e ajudar a minimizar os prejuízos foi atuar na alimentação dos desassistidos.

Nesta quinta (26) e sexta-feira (27), o local onde estão as pessoas mais necessitadas é o Centro Bíblico da Paróquia de São Cristóvão. Lá, 55 pessoas tem se servido de café, almoço e jantar, que é feito por dezena de voluntários.

Segundo apurado pelo site Alagoas na Net, somente nesta sexta, 70 pessoas ajudaram na rotina diária. Comerciantes, comerciários, servidores públicos e tantos outros profissionais estão na batalha para ajudar a pessoas que perderam tudo na enchente.

Ainda segundo apurado pela reportagem, na quinta foram feitas mais de 600 refeições. Nesta sexta, o número passou de 1000, isso porque, além dos alojados no Centro, pessoas que ainda são das comunidades ribeirinhas também estão recebendo quentinhas.

Uma das voluntárias nessa força-tarefa é a santanense Thauanny Aquino, que desde a noite da tragédia, além de registrar os piores momentos da enchente, também se dirigiu ao centro para colaborar. Ela contou ao site como tem sido esses dois dias.

“Recebemos muitas doações, de diversos lugares de Alagoas e fora do estado. A ajuda tem sido tanta, que acho que podemos também fazer algumas colaborações para moradores de Dois Riachos, que também foram atingidos por uma enchente”, relata a jovem voluntária.

Thauanny também ressaltou que apesar da alimentação do dia a dia, muitos moradores ainda estão preocupados com suas casas e no futuro que vão ter daqui para frente.

Sopão foi até os atingidos pela enchente (Foto: Cortesia / Alagoas na Net)

“Fui entregar algumas quentinhas no Artur Moraes e ao abordar um senhor ofereci a comida, mas ele disse que estava tão abalado, que nem fome tinha. Foi muito triste essa cena”, disse ela.

Sopão itinerante

Além da ajuda que vem do Centro Bíblico, outras ações se destacam após a tragédia. O santanense Erico Pinto é o coordenador de um projeto que acontecia semanalmente na cidade, antes do Covid-19, chamado de Sopão Laura Chagas (nome da sua falecida mãe).

Como a necessidade de moradores dos bairros Artur Moraes e Baraúna, locais atingidos pela enchente, Erico e outros voluntários levaram nesta semana o sopão para as duas localidade. Segundo o coordenador, mais de 200 quentinhas foram entregues.

Por Lucas Malta / Da Redação

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.