Rebanho bovino cresce 4,6% e atinge 1,29 milhões de cabeças em 2020 O rebanho bovino cresceu em Alagoas no ano de 2020.

29 set 2021 - 14:30

O rebanho bovino cresceu em Alagoas no ano de 2020 (Foto: Assessoria)

De acordo com a Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM), divulgada nesta quarta-feira (29) pelo IBGE, após a queda observada em 2019. A alta de 4,6% garantiu a marca de 1,29 milhões de cabeças de gado, o maior rebanho da série histórica iniciada em 1974.

A alta do preço do boi gordo, do bezerro e o crescimento nas exportações de carne contribuíram para o aumento do rebanho no ano, já que o produto esteve mais valorizado.

“Havíamos passado por um período de abate de fêmeas gerando uma redução no número de animais e bezerros e isso fez com que o preço da arroba subisse. Hoje estamos num cenário de retenção de fêmeas, que, em vez de irem para o abate, são utilizadas para gerar novos animais, recompondo o rebanho”, explica Mariana Oliveira, supervisora da PPM, analisando o panorama nacional.

O município de Viçosa continuou na liderança do ranking de bovinos do estado, com 40 mil cabeças de gado. Palmeira dos Índios (36,5 mil), Girau do Ponciano (34,2 mil), Quebrangulo (33,5 mil) e Chã Preta (33 mil) apareceram na sequência. 

A produção de leite de vaca também cresceu no estado alagoano, chegando à marca recorde de 615,2 milhões de litros, aumento de 1,9% em relação ao ano anterior. O valor de produção do leite atingiu R$ 955,7 milhões de reais.

Valor da produção pecuária cresce 32,7% para R$ 1,16 bilhões

O valor de produção dos principais produtos pecuários cresceu 32,7% em Alagoas no ano de 2020, chegando a R$ 1,16 bilhões. A produção de leite concentrou 81,8% deste valor, seguida pela produção de ovos de galinha (16,8%), ovos de codorna (0,68%) e mel (0,6%). 

Rebanho de suínos cresce 6,3% para 152,6 mil cabeças

O rebanho de suínos cresceu 6,3% em Alagoas no ano de 2020, somando 152,6 mil cabeças. Entre os municípios, Viçosa foi o maior produtor, com 12 mil cabeças. A seguir, vieram Batalha, com 8,2 mil cabeças, e Palmeira dos Índios, com 8 mil.

No Brasil, O rebanho de suínos cresceu 1,4% em 2020, somando 41,1 milhões de cabeças. Segundo Mariana, isso faz do Brasil o país com o quarto maior efetivo de suínos, o quarto maior produtor mundial de carne suína e o quarto maior exportador. O número de matrizes teve a terceira alta consecutiva (1,4%) e chegou a 4,8 milhões de cabeças.

Por Assessoria

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.