Próxima safra de laranja lima deve concluir colheita de 256 milhões de frutos em AL Em Santana do Mundaú, a Emater assiste 100 agricultores familiares que trabalham com essa cultura

14 set 2021 - 18:00

Emater assiste 100 agricultores familiares que trabalham com essa cultura na cidade de Santana do Mundaú (Foto: Divulgação)

Em Santana do Mundaú, a próxima safra de laranja lima deve concluir a colheita de 256 milhões de frutos a partir deste mês de setembro, que é quando inicia a segunda de 2021. A primeira aconteceu em abril e rendeu 128 milhões de laranjas, uma vez que é dividida pela metade entre os dois plantios.

Atualmente, na comunidade Barro Branco, localizada na região serrana dos quilombos, o Instituto de Inovação para o Desenvolvimento Rural Sustentável de Alagoas (Emater) presta assistência técnica a 100 agricultores familiares, em uma área de, aproximadamente, 4 mil hectares, onde são produzidos cerca de 64 mil frutos por hectare.

O extensionista da Emater responsável pelo município, Marcelo Gomes, explicou que a estimativa é que a venda da laranja movimente R$ 5 milhões na economia de Alagoas neste ano, beneficiando mais de 800 produtores em Santana do Mundaú.
“Mesmo com todos os problemas que afetam o plantio, a laranja continua como carro-chefe da economia no município, seguida pela banana comprida. Isso mostra a importância da produção, que vai ser vendida e distribuída em todo o estado por meio da CEASA, das feiras, das compras institucionais do PAA, que é executado pela própria Emater, entre outros”, detalhou.

Soluções para o plantio

Desde 2016, os citricultores vêm sofrendo com a infestação da mosca negra dos citros, falta de adubação e reposição com novas mudas e limpeza do pomar. Problemas esses que estão sendo solucionados através das ações de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) por parte da equipe da Emater.

Um dos agricultores familiares assistidos pela Emater é José Josiano de Lima Félix, que reside no município. Ele ressaltou a importância da assistência técnica da Emater na comunidade. “O acompanhamento do técnico e os conhecimentos repassados nos ajudam a aumentar a produção, por meio de orientações e do combate à praga da mosca, que ameaça o plantio”.
As ações estão sendo realizadas de forma individual e coletiva, com capacitações para combater a mosca negra dos citros; a realização de podas para retirada dos galhos secos e limpeza dos pomares; recomendação de adubação de acordo com a necessidade da planta; e a reposição de novas plantas no lugar das mais antigas.

Por Assessoria 

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.