Projeto do Ifal Santana que levar conscientização da reutilização do lixo em escolas

02 jul 2019 - 07:56

Projeto quer reaproveitar melhor o lixo (Foto: Ifal Santana)

Descartar o lixo de maneira adequada é um desafio que precisa ser transposto.  Pesquisas desenvolvidas em uma parceria do Sindicato Nacional das Empresas de Limpeza Urbana (Selurb) com a consultoria PwC (PricewaterhouseCoopers), em 2018,  apontam que 53% dos resíduos são descartados inadequadamente em lixões a céu aberto espalhados pelos municípios brasileiros. Pior: no Brasil, o índice de reciclagem é de apenas 3,7%, quase nada, comparado a países europeus como a Áustria, que com índice superior a 60% é um exemplo das nações que fazem disso um negócio sustentável e lucrativo.

Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, o diretor da Associação Brasileira Empresas de Limpeza Públicas e Resíduos Especiais (Abrelpe), Carlos Silva Filho, apontou a falta de adesão da população à coleta seletiva como um dos maiores empecilhos ao descarte adequado dos resíduos sólidos.

Com o compromisso de intervir nesse panorama, o projeto de extensão “Reutilização de materiais recicláveis na fabricação de brinquedos e instrumentos didáticos”, orientado pelo docente Thales Pantaleão, doutor em Agronomia pela Universidade Federal do Ceará, pretende promover a conscientização da importância da reutilização do lixo em escolas do município de Olho D´Água das Flores.

Alunas da ufal apresentaram projeto (Foto: Ifal Santana)

Compromisso com a Educação Ambiental

O projeto: o cuidado com o meio ambiente. O ponto crucial da ação é conscientizar a população para o poder transformador que a reciclagem tem. Para isso, várias oficinas serão realizadas em instituições escolares a partir da reutilização de materiais recicláveis encontrados no dia-a-dia dos estudantes. Do lixo saem muito mais que brinquedos e instrumentos didáticos: sai a compreensão da importância da preservação ambiental.

As oficinas servirão, ainda, como atividade multidisciplinar de conteúdo transversal, colocando os estudantes do Ifal no centro de um processo em que aprimoram escrita e oratória. Os bolsistas Júlia Emilly Leite, Emanoelly Abreu, Bianca Moretti e Eduardo Alexandre tem na ação de extensão a possibilidade de colocar em prática parte dos conhecimentos obtidos durante o Curso Técnico em Agropecuária.

Na adoção de posturas adequadas para a reutilização de resíduos sólidos, as comunidades atendidas não só atuarão na diminuição do volume de lixo produzido, mas também criarão brinquedos e jogos reciclados, que viram parceiros na prática pedagógica das escolas. Quem ganhará com isso são as escolas municipais Luiz J. Gregório e Elisa Abreu, além do Colégio Cenecista Santo A. de Pádua e Colégio Imaculada Conceição que despertarão em seus estudantes o interesse para  a reutilização de materiais recicláveis, discutirão a destinação de resíduos sólidos e incentivarão a criatividade e sustentabilidade.

Na última quinta-feira (27), aconteceu o lançamento oficial do projeto com os estudantes montando estandes nos corredores do Campus Santana para expor brinquedos e jogos pedagógicos produzidos no interior do projeto e apresentá-los à comunidade acadêmica da instituição de ensino. Professor no Ifal há 5 anos, Thalles se entusiasma ao falar da iniciativa: “Com o projeto buscamos mostrar para os estudantes a problemática da produção de lixo na sociedade e apresentar uma alternativa para aumentar a vida útil de vários resíduos confeccionando produtos úteis”, destacou.

Alunas da ufal apresentaram projeto (Foto: Ifal Santana)

Por Diego Alves / Assessoria Ifal

Comentários