Prefeitura e IMA unem forças para solução dos jacarés em Palmeira dos Índios  Após vistoria no local, os técnicos verificaram que os jacarés estão mais agrupados em uma ilha próxima à ponte.

23 set 2021 - 07:24


Fotos: Diego Wendric / Assessoria

A Prefeitura de Palmeira dos Índios, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarhpi), e o Instituto do Meio Ambiente (IMA) buscam soluções para a situação dos inúmeros jacarés que surgiram às margens do Lago do Goiti.

Nesta quarta-feira (22), técnicos do IMA e da Semarhpi visitaram o Lago para avaliar as medidas que deverão ser adotadas pela prefeitura, por meio da emissão de uma autorização de manejo, para minimizar o impacto da intervenção sobre os jacarés e fazer o controle da população local.

Após a conclusão das obras e a normalização do nível de água, o IMA espera que a densidade dos jacarés volte aos níveis anteriores.  Após vistoria no local, os técnicos verificaram que os jacarés estão mais agrupados em uma ilha próxima à ponte, onde estão habituados com a presença humana devido ao fornecimento de alimentos pela população local, como restos de frango provenientes do abate em avícolas da região.

“Os animais, certamente, já habitavam o açude, que possuía um maior nível de água e mais área para os animais circularem. Com o rebaixamento do nível da água, em razão das obras de revitalização, uma medida de caráter essencial para a execução das intervenções de engenharia, o ambiente aquático disponível para os animais diminuiu, dando a impressão de um aumento de densidade, ou seja, o número de animais visualizados por área”, explicou a bióloga do Instituto Grabriela Gama.

A secretária municipal do Meio Ambientes e Recursos Hídricos Anna Luísa França destacou a importância da presenças dos órgãos ambientais para diagnosticar os meios de proteção e preservação da fauna local. A titular da pasta também disse que é importante que a população respeite o espaço dos animais e que procurem não alimentá-los, pois a caça predatória é muito importante para a sobrevivência e controle natural dos jacarés.

“Na ocasião da visita dos representantes dos dois órgãos, também foi discutido sobre o reinício da obra de revitalização do Lago e estratégias para o equilíbrio ambiental. Estaremos trabalhando alinhados em busca do progresso mas, também, da proteção do ecossistema”, garantiu Anna Luísa.

O prefeito Júlio Cezar apontou que as determinações do IMA e Semarhpi são cruciais para diminuir as ocorrências de animais nas residências próximas ao Lago. Outras medidas complementares serão adotadas, como a instalação de placas educativas, para orientar a população sobre não alimentar os animais pois, de acordo com o IMA e a Semarhpi, a prática, condiciona os animais e os tornam dependentes da alimentação fornecida, fazendo com que deixem de buscar seu próprio alimento, como peixes, pequenos roedores, aves e invertebrados, como caramujos.

“Com a revitalização da área, o IMA destacou que a observação de jacarés poderá ser vista como algo positivo e uma ferramenta de educação ambiental, se tornando um atrativo para a população, como já acontece em outros parque urbanos como o Parque Municipal de Maceió e, no Brasil, em áreas altamente urbanizadas como no Estado de São Paulo”, disse o prefeito Júlio Cezar.

Por Lucianna Araújo / Assessoria

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.