Prefeitura de Santana recuou pela segunda vez após aumentar CIP

04 mar 2018 - 23:41

Renilde e Isnaldo recuaram após reclamações de aumento da CIP (Fotos: Lucas Malta / Alagoas na Net)

Insatisfação popular aliado à exposição negativa na mídia é uma somatória que nenhum político gosta de ter em seu currículo. Entretanto, foi somente dessa forma que a Prefeitura de Santana do Ipanema recuou na tentativa de aumento da Contribuição de Iluminação Pública (CIP).

O caso dominou a pauta da imprensa local, na semana passada, e além da resposta do Executivo teve a revelação de uma suposta fraude no Projeto de Lei do Código Tributário, exposto por vereadores da Casa Tácio Chagas Duarte.

Acontece que o passo para trás do Executivo não é novidade na cidade sertaneja. Após uma pesquisa, o site Alagoas na Net descobriu que em 2012, um episódio semelhante aconteceu, e não por coincidência com os mesmos ingredientes.

Em julho daquele ano, moradores perceberam que suas contas de energias vieram com um “incremento” nada agradável. Tratava-se do aumento da CIP, estipulado numa lei aprovada em 2009, mas com efeitos somente naquela data.

Ao ver suas contas mais caras, muito munícipes se dirigiram a rádio para reclamar e pedir explicações daquele aumento. Após várias inserções, a prefeita à época, Renilde Bulhões se manifestou e informou que revogaria o aumento.

Respostas

“Foi realizado um estudo e percebemos que não está sendo justo o valor cobrado. Isso foi definido em nível de Estado, nos reunimos com o jurídico do consorcio CIGIP e vamos baixar essas alíquotas, inclusive contas com divergências e erronias”, relatou a gestora na oportunidade.

Segundo assessoria da Prefeitura, foi revisto a taxa do imposto e baixado as alíquotas. “Trabalhamos com responsabilidade, esse aumento é determinação da defensoria pública, acreditamos na comissão que realizou o ajustes e que o faria compatível. Só agora podemos perceber que a taxa é indevida”, completou.

Para relembrar esse episódio, o internauta pode acessar matéria do Minuto Sertão e do Portal Maltanet.

A diferença dos casos, vivido coincidentemente pela esposa do atual prefeito Isnaldo Bulhões, só foi uma: a prefeita em 2012 foi pessoalmente na rádio para explicar a situação.

Por Lucas Malta / Da Redação

Comentários