Policia Civil indicia ex-diretora por furto de merenda em Delmiro Gouveia

19 jan 2017 - 14:30

Polícia elucidou o crime a partir das imagens das câmeras (Foto: Reprodução PC-AL)

Polícia elucidou o crime a partir das imagens das câmeras (Foto: Reprodução PC-AL)

A Polícia Civil de Alagoas concluiu e encaminhou à Justiça o inquérito que investigou o furto de merenda escolar, na cidade de Delmiro Gouveia. O crime, ocorrido na madrugada do dia 7 de setembro do ano passado, na Escola Estadual Delmiro Gouveia, foi registrado pelas câmeras de segurança, o que foi fundamental para o seu completo esclarecimento.

A principal acusada é a ex-diretora da escola, Lucrécia Rodrigues de Andrade, de 40 anos, que estava armada com um revólver quando praticou o furto. Ela se encontrava em companhia de dois ex-alunos, Laís de Jesus Silva, 18 anos, e o adolescente M.R.M., de 17.

As investigações, realizadas pelo delegado regional de Delmiro, Rodrigo Rocha Cavalcanti, indicam que Lucrécia foi diretora da escola durante cinco anos, deixando o cargo no início do ano passado, quando perdeu a eleição para a atual diretora Mônica Rosa Nogueira.

Alguns dias antes do furto, a ex-diretora passou a frequentar a cantina da escola e, certo dia, naquele local, apossou-se por algum tempo do molho de chaves do depósito de alimentos e do almoxarifado, retornando depois, dizendo que tinha levado por engano. A suspeita é de que tenha tirado cópias, enquanto esteve com as chaves.

O vídeo das câmeras de segurança mostra a ex-diretora, no dia do fato, entrando na escola com um revólver em uma das mãos. Depois, ela vem com Laís e o adolescente, e os três ingressam no local onde está o freezer com alimentos perecíveis. Além das carnes, o grupo leva também alimentos não perecíveis, material de limpeza e uma panela grande, usada para preparar a merenda.

Lucrécia e os dois outros envolvidos foram reconhecidos, por meio do vídeo, por várias testemunhas, e não tiveram como negar o fato.

A ex-diretora tenta justificar sua atitude, afirmando que estava passando por dificuldades financeiras.

Na época do crime, a ex-diretora continuava como professora da escola.

Em seu relatório, delegado Rodrigo Rocha Cavalcanti indicia a ex-diretora e os dois outros acusados pelo crime de peculato furto, previsto no Art. 312, § 1° do Código Penal Brasileiro.

Da Assessoria PC-AL

Comentários