Planta Alagoas firma compromisso com Cooperativismo e Agricultura Familiar Aproximadamente 211 organizações receberam sementes que beneficiaram 50 mil famílias no estado.

Pollyana Almeida e Giselly Vitória (sob supervisão)

25 jan 2022 - 12:11


Lançado, oficialmente, em abril de 2021, o Programa Planta Alagoas atendeu cerca de 50 mil famílias que realizaram o cadastro para receber sementes de feijão, milho, sorgo e arroz que foram distribuídas pelos oito Centros de Distribuição (CDs) do estado alagoano.

Com o investimento de R$ 13,5 milhões de reais, o Governo de Alagoas pôde contemplar – na primeira edição do Programa – os agricultores familiares, quilombolas, indígenas, assentados e acampados da reforma agrária. 

O superintendente da Seagri, Luciano Barros, ressaltou que o Planta Alagoas contribuiu ‘não apenas com a renda dos produtores’, como também, trouxe impactos positivos para toda a população do estado.

 “O Governo do Estado adquiriu com o recurso do Fundo Estadual de Combate e Erradicação à Pobreza (Fecoep), aproximadamente, 1,100 toneladas de sementes selecionadas que foram distribuídas a cerca de 50 mil beneficiários, atendendo todos os 102 municípios. E, tudo isso, resultou em injeção de dinheiro na economia de Alagoas”, frisou Barros.

Em Igaci, foram distribuídos 7.890 kg de feijão, 9.920 kg de feijão de corda, 17.260 kg de milho e 610 kg de sorgo para os beneficiários. Cerca de 1.741 famílias de agricultores familiares receberam as sementes que foram solicitadas pelo cadastro.

Visando garantir o auxílio de cada produtor, foram investidos R$ 432,87 mil com a estimativa de um retorno de R$ 13,6 milhões circulando na economia local.

 

No município de Cacimbinhas, por exemplo, foram cadastrados 354 agricultores que puderam retirar 7.080 kg de sementes divididas entre milho e feijão. O governo investiu R$ 733,28 mil que, ao fim da colheita, garantiu R$ 2,5 milhões aos cofres do município.

Igaci e Cacimbinhas são apenas dois dos 102 municípios alagoanos que tiveram milhares de agricultores familiares auxiliados pelo Programa Planta Alagoas, fomentando a cadeia produtiva de grãos no ano de 2021.

Cooperativismo e fortalecimento da agricultura familiar

Membro da Cooperativa Cheiro de Terra (Igaci-AL), Leonardo Bernardino agradeceu aos gestores que idealizaram e produziram o Planta Alagoas, alegando otimismo ao comentar sobre a próxima edição.

”Quero agradecer ao Governo do Estado por ter nos ajudado com a entrega dessas sementes, pois, através delas, colhemos ótimos resultados na agricultura familiar da região. Agradeço também ao secretário Maykon Beltrão que sempre está à disposição para nos ajudar. Por isso, nós da Cooperativa Cheiro da Terra só temos que agradecer e comemorar os resultados da colheita de milho e feijão em 2021 e, é claro, aguardar a distribuição do Planta Alagoas deste ano”, ponderou Leonardo.

Somente na Cheiro de Terra, cerca de 100 famílias cooperadas receberam 2 mil kg de milho, 2 mil kg de feijão de corda e 100 kg de sorgo.

Há 11 anos, Maria José integra a Associação Quilombolas e Guaxinim, em Cacimbinhas. Em 2021, foi uma das associadas que obteve o auxílio das culturas de feijão e milho.

“Ano passado, plantamos feijão de corda e milho, e a colheita foi boa graças a Deus. Por isso, eu gostaria de agradecer ao governador Renan Filho e ao secretário Maykon Beltrão pelo envio das sementes de 2021”, comemorou Maria.

Com parceria do governador Renan Filho, a Seagri busca fornecer mais apoio às cooperativas alagoanas para, então, continuar fortalecendo o desenvolvimento do cooperativismo e da agricultura familiar em Alagoas.

Planta Alagoas 2022

O superintendente da Seagri, Luciano Barros afirmou que o Fundo Estadual de Combate e Erradicação à Pobreza (Fecoep) já foi aprovado e a distribuição deve começar em breve.

“Para este ano, o processo já está finalizando a sua tramitação de aquisição para a safra de 2022. A ideia é que, devido ao sucesso de 2021, o Governo vai aportar 20 milhões de reais para atender 70 mil famílias e, ao invés de 1,100 toneladas, através dos recursos aprovados do Fecoep, serão 1,500 toneladas de sementes. Tudo isso graças à parceria do Estado com Cooperativas rurais, Associações, movimentos sociais e  Prefeituras alagoanas. Todo o processo está sendo discutido com os elos da cadeia produtiva, e foi isso que tornou o Programa Planta Alagoas um sucesso. O Governo do Estado, junto com a Secretaria de Agricultura do Estado e a Emater, fazem o monitoramento da distribuição e do recebimento das sementes até a produção para, então, avaliar os resultados do programa”, destacou Luciano Barros.

Barros falou ainda sobre o processo de aquisição das sementes crioulas que também está em fase de conclusão e serão entregues – juntamente – durante a distribuição do Planta Alagoas 2.

“É importante ressaltar também que, este ano, o programa terá uma boa parcela de sementes crioulas que foi uma demanda das comunidades, dos movimentos e das cooperativas que pediram ao Estado que também fizesse a aquisição dessas sementes para distribuir aos agricultores alagoanos”, finaliza Luciano Barros.

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.