PF vai apertar o cerco em 2017 contra a corrupção e desvios de recursos em Alagoas

29 dez 2016 - 11:11

Crédito: Gilca Cinara / CadaMinuto

Crédito: Gilca Cinara / CadaMinuto

Uma das instituições que mais apareceu no noticiário nacional e local por sua atuação em 2016 foi a Polícia Federal (PF). Em Alagoas foram várias as operações para combater crimes contra o patrimônio, tráfico de drogas, desbaratar esquemas de pedofilia ou de crimes eleitorais. O CadaMinuto conversou com o superintendente adjunto da PF no estado, delegado André Costa, que falou um pouco sobre a atuação em 2016 e também do foco da instituição para o próximo ano.

Se neste ano a PF investigou crimes e deflagrou diversas operações, a expectativa é que no próximo ano não seja diferente. Segundo Costa, o objetivo é fazer uma Polícia Federal mais proativa e focada em coibir crimes de onde gestores desviem recursos federais, além de crimes contra o patrimônio, como roubo a carga e bancos, e crimes eleitorais.

“O foco tem sido em primeiro lugar o combate a corrupção e desvio de recursos federais destinados a prefeitura e estado. Hoje é onde nós empregamos maior parte dos nossos recursos. Para este ano esperamos muito crimes contra o patrimônio que envolve roubo de cargas e a bancos, além de crime ambiental. Este ano aumentou, sempre tem uma operação conjunta com vários órgãos. A ideia é dar continuidade a isso e fazer uma Polícia Federal mais proativa, esperando menos as coisas chegarem até a gente, em busca dos crimes que estão acontecendo, sejam ambientais, previdenciário, contra o patrimônio. A grande expectativa é essa. Podem esperar mais operações dessa natureza em 2017”, afirmou.

Veja a matéria completa no CadaMinuto

Comentários