Perito criminal participa de documentário sobre os últimos dias de Lampião Vestes e objetos usados pelo rei do cangaço no dia de sua morte foram periciados no Museu do Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas

28 dez 2018 - 21:00

Após 80 anos da morte de Lampião, suas vestes e objetos pessoais são periciados em Maceió (Foto: Agência Alagoas)

Após 80 anos, a morte de Lampião ainda levanta dúvidas. Suspeitas, mistérios, versões diferentes contadas por sobreviventes de ambos os lados, e que foram narradas ao longo do tempo podem ganhar novas revelações a partir do trabalho da Perícia Oficial do Estado de Alagoas.

É o que pretende o documentário “Lampião: Os últimos dias do rei do cangaço”, que será lançado na noite desta sexta-feira (28), às 19h, no Teatro Linda Mascarenhas. Com direção do Jornalista e historiador João Marcos Carvalho e imagens de André Feijó, a produção realizada pela TVE Alagoas, traz em seu conteúdo uma perícia realizada nas roupas e objetos pessoais de Lampião.

O exame foi realizado pelo perito criminal Victor Portela, do Instituto de Criminalística de Alagoas, no dia 31 de agosto deste ano, no Museu do Instituto Histórico e Geográfico. A investigação forense solicitada e gravada com exclusividade para o documentário procura desvendar o número de tiros que atingiram o cangaceiro.

O perito criminal contou que foram examinados as vestes, a cartucheira, bornais e um punhal que pertenciam a lampião. Os exames foram voltados para identificação de pontos de impactos e perfurações compatíveis com projeteis de armas de fogo e determinação da trajetória desses disparos para confrontar com os relatos do dia em que a volante matou lampião.

“Participar de um documentário comemorativo dos 80 anos de Lampião e poder utilizar de conhecimentos técnicos periciais para recontar ou reafirmar a história, é algo gratificante, além de um grande desafio. Apesar do maior cuidado no manuseio das vestes e utensílios, os conceitos e métodos utilizados nos exames são os mesmos utilizados atualmente nos locais de morte violenta que atendemos. A perícia, mais uma vez, revelando a verdade através da ciência”, afirmou o perito.

Virgulino Ferreira, mais conhecido como Lampião, Maria Bonita e mais nove cangaceiros foram mortos em 28 de julho de 1938, na Grota do Angico (SE), pela patrulha volante da PM alagoana comandada pelo tenente João Bezerra da Silva. A conclusão da perícia será mostrada no documentário lançado nesta sexta-feira.

Por Aarão José / Agência Alagoas

Comentários