PC afirma que ex-prefeito e vereador de Palestina mandaram executar caseiro

26 dez 2017 - 17:00

Delegados deram coletiva à imprensa nesta terça (Foto: Larissa Wilson / Assessoria PC)

A Polícia Civil de Alagoas afirmou nesta terça-feira (26) que o ex-prefeito Junior Alcântara e o vereador Luciano Lucena, ambos de Palestina, são acusados de serem os mandantes da morte de Zenóbio Gomes Feitosa, ex- caseiro de Alcântara. O ex-gestor e o parlamentar foram presos em cumprimento a mandados de prisão temporários na semana passada.

As informações da PC foram dadas numa coletiva convocada pela Secretaria de Segurança Pública de Alagoas (SSP-AL), em Maceió. Estiveram presentes o secretário da SSP, Lima Junior, além do coordenador da Divisão Especial de Investigação e Captura (Deic) da Polícia Civil, delegado Mário Jorge e outros responsáveis pela investigação.

O delegado explicou que além dos políticos, também foram efetuadas as prisões, durante o mês de outubro, de outras três pessoas, a partir de mandados de prisão expedidos pela Comarca de Batalha. Daniel da Silva Carvalho, o “Daniel Gordinho”, José Edilson Pinheiro da Silva, vulgo “Sula” e Thiago Correia de Brito. Todos estes também teriam envolvimento com o crime.

Para a PC, o ex-prefeito de Palestina simulou um assalto para executar o caseiro. “Dias antes do seqüestro ele fez uma reunião com seus correligionários apresentando uma suposta documentação na qual incriminaria a gestão atual. A vítima acabou sequestrado e documentação sumiu dessa casa. Isso seria o crime perfeito, na ótica dos acusados”, relatou o delegado

A polícia informou ainda que o depoimento dos acusados foram contraditórios e todos eles negaram a participação do crime. Contudo, a Deic assegura que há informações que apontam a participação de todos no sequestro e morte do caseiro.

Por Lucas Malta / Da Redação com informações da SSP-AL

Comentários