Pandemia acelera digitalização da Gestão Pública Webinar da In Press Oficina reuniu especialistas para debater o impacto da crise sanitária na transformação digital de produtos e serviços públicos e o avanço no uso de novas tecnologias para benefícios da população

05 jun 2020 - 15:00

Para pesquisador da Fiocruz, funcionários devem observar recomendações (Foto: Arquivo / Agência Brasil / EBC)COMPUTADOR

A pandemia da Covid-19 trouxe impactos severos para toda a população brasileira, especialmente, em áreas como saúde e economia nos setores privado e público.Entretanto, a crise serviu também de catalisador para a digitalização dos serviços públicos para a sociedade.

Segundo o secretário de Governo Digital do Ministério da Economia, Luis Felipe Monteiro, entre 15 de março e 4 de junho, 150 serviços públicos foram transformados em digitais.

O dado foi apresentado em primeira mão, nesta quinta-feira (4), durante o Arena de Ideias, webinar da In Press Oficina que reuniu especialistas para debater a “Transformação Digital para a Gestão Pública”.     
 
De acordo com o secretário, 56% dos 3,5 mil serviços ofertados no portal do governo estão digitalizados. “No início de 2019, somente 31% dos serviços públicos estavam disponíveis em canais digitais.  Esse aumento significa 146 milhões de horas de burocracia eliminadas em um ano e cinco meses de trabalho. É praticamente um dia de trabalho de todo o estado do Rio de Janeiro”, compara.  A meta do governo é que, até 2022, todos os serviços tenham passado pela transição.  
 
Participaram também do bate-papo virtual, a jornalista especialista em comunicação pública e sócia diretora da In Press Oficina Patrícia Marins, o presidente do Serpro, Caio Mario Paes de Andrade, o presidente da Dataprev, Gustavo Henrique Canuto, e o gerente de Criação e Inovação da In Press Oficina e especialista em UX, Daniel Gomes. 
 
Para Patrícia Marins, o processo de digitalização, acelerado pela crise atual, será irreversível. “A boa notícia é que essa transformação digital, feita de maneira eficiente, será perene. O grande legado para a sociedade brasileira será essa tecnologia e agilidade, fruto também da sinergia entre os órgãos governo na área de inovação”, analisa. 
 
Segundo ela, durante esse processo, o cidadão precisa ser visto pelo governo como o seu principal cliente. Assim, a transformação digital poderá contribuir para uma atuação pública mais efetiva, econômica e transparente, além de atender às expectativas da população em um momento delicado como a crise atual. “O governo mais digital deve pensar em tecnologia, mas com empatia, se colocando no lugar do cidadão.  A Covid-19, antes de ser uma crise econômica, política, ou de saúde, é uma crise de confiança. Essa confiança só será reforçada se o cidadão for o foco da revolução digital. A crise é sem precedentes, assim como a agenda de transformação digital do governo. Os avanços serão fundamentais e podem garantir um futuro mais célere e inclusivo no país”, defende.
 
AUXÍLIO EMERGENCIAL
 
O auxílio emergencial, ação do governo para reduzir o impacto do isolamento social para trabalhadores informais que ficaram sem renda na pandemia, é um dos grandes desafios atuais do governo, no qual o uso da tecnologia e da inovação para o cadastro dos beneficiários foi decisivo e pode servir de exemplo. 
 
O presidente da Dataprev, Gustavo Henrique Canuto, destacou o trabalho de toda equipe para a disponibilização em grande escala do benefício de R$ 600 para população nos últimos dois meses. Para ele, o processo foi emblemático e inédito, pois contou um grande volume e complexidade ímpar. 
 
“Em pouco mais de 60 dias, o benefício chegou a mais de 113 milhões de pessoas, ou seja, metade da população brasileira. Trata-se de um processo contínuo de aperfeiçoamento para corrigir falhas, evitar fraudes e garantir a entrega do benefício para quem de fato precisa. São números impactantes, mas temos mais trabalho a fazer”, ressaltou.
 
Segundo o presidente do Serpro, Caio Mario Paes de Andrade, a transformação digital dos serviços prestados pelos órgãos do governo em meio à pandemia, como Bolsa Família e o auxílio emergencial, envolve uma grande equipe do Governo com profissionais capacitados e que se assemelha a uma operação de guerra. 
 
“Órgãos como Serpro e Dataprev são inovadores, têm know-how e experiência para conduzir essas grandes operações que transformam o governo em mais digital e eficiente. Começa a ser consenso de que a grande maneira de fazer isso é através do digital. Internamente, a digitalização dos processos reduz a burocracia e, externamente, no atendimento ao cidadão, ela melhora a vida de todos. Além disso, todo o processo fica mais transparente e controlável, como no combate a ineficiências e à corrupção”, afirma.
 
IMPACTO SOCIAL
 
O gerente de Criação e Inovação da In Press Oficina e especialista em UX, Daniel Gomes, destaca o impacto positivo que o investimento do governo no uso de inovações tecnológicas e digitalização pode representar para a sociedade. Para ele, o avanço em relação ao uso do digital para o crescimento da capacidade de atendimento à população pelo Governo representa mudanças reais na qualidade de vida do cidadão brasileiro.

“Olhando para o futuro, a digitalização e inovação significam que as melhorias para vida dos brasileiros serão cada vez mais aceleradas. Quando se fala em digital e tecnologia, são habilitados uma série de questões que, realmente, transformam a vida das pessoas em diferentes áreas, como educação, saúde e empregabilidade. Ou seja, os benefícios que a tecnologia pode trazer são potencializados”, define.

Por Assessoria 

Comentários