País não pode enfrentar pandemia sozinho, diz Renan Filho em fórum de governadores Governador foi enfático ao relatar situação sanitária do Brasil em encontro virtual do Fórum dos Governadores com secretária-geral da ONU.

17 abr 2021 - 11:00

Foto: Marcio Ferreira / Agência Alagoas

O governador Renan Filho participou, na tarde desta sexta-feira (16), através de videoconferência, da reunião do Fórum dos Governadores do Brasil com a secretária-geral adjunta da Organização das Nações Unidas (ONU), Amina Mohamed. Segundo o chefe do Executivo alagoano, o encontro em ambiente virtual serviu para reportar a situação sanitária do país, a gravidade da pandemia e solicitar ajuda humanitária ao Brasil.

“Discutimos, juntos, alternativas para o Brasil acelerar a imunização da nossa gente. O caminho mais curto para vencer a Covid é vacinar o povo brasileiro. Isso vai reduzir o número de casos, a quantidade de internações e, por consequência, o número de pessoas mortas. Esse é o principal objetivo dessa reunião e nós, governadores, estamos buscando alternativas internacionais”, afirmou Renan Filho. 

Segundo os governadores, o pedido de ajuda humanitária, feito através de carta à secretária-geral adjunta da ONU, se faz necessário pela dificuldade do país em avançar na vacinação contra a Covid-19 e pelo alto índice de mortes. O Brasil é considerado o epicentro da pandemia no mundo, sendo o país de maior risco da propagação de variantes. Some-se a isso o colapso na rede hospitalar, com a falta de oxigênio, medicamentos e insumos, em muitas regiões.

Na avaliação de Renan Filho, a Covid-19 não pode ser enfrentada por um país sozinho, principalmente pelo Brasil, que sofre com a ausência de liderança nacional no combate à pandemia. “Temos que seguir assim: trabalhando integradamente e buscando todas as alternativas que a gente possa construir para agilizar a vacinação do nosso povo”, afirmou, parabenizando a iniciativa do Fórum dos Governadores do Brasil.

Por Severino Carvalho / Agência Alagoas

Comentários