O roteiro de D. Pedro I até proclamar a Independência do Brasil

07 set 2019 - 13:00

Monumento à Independência em São Paulo (Foto: Brasil.gov)

Dia 7 de setembro é celebrado o Dia da Independência do Brasil. Uma data imortalizada na história nacional e que nos remete a 1822, quando às margens do Rio Ipiranga, na Província de São Paulo, e cercado pela guarda imperial, Dom Pedro I proclamou o Brasil independente de Portugal.

Mas até chegar a esse momento, Dom Pedro I percorreu um longo caminho. Em meio a um momento político conturbado no Brasil Colônia, D. Pedro I partiu do Rio de Janeiro para a Província de São Paulo para apaziguar os ânimos. Lá, um grupo queria que o Príncipe Regente acatasse as ordens de Portugal e voltasse para a Europa, enquanto outro grupo defendia que ele permanecesse no Brasil.

Ao longo da viagem, há quase 200 anos, ele passou por onde hoje está localizada a Via Dutra, importante rodovia que liga São Paulo ao Rio de Janeiro e por onde circula diariamente metade de tudo que é produzido no Brasil.

A fazenda de nome Pau D’Alho, em São José do Barreiro, também foi caminho de D. Pedro I em São Paulo. Em um momento bem diferente do que vivemos hoje, sem televisão ou internet, era impossível reconhecê-lo, o que fez com que Príncipe Regente passasse por uma situação inusitada por ter provavelmente chegado antes do previsto.

“Ao chegar a uma fazenda chamada Pau D’Alho ele pede um prato de comida. Ele está vestido de viajante e a dona da casa diz: não posso recusar comida a um viajante, mas vai comer na cozinha porque estamos esperando gente especial aqui”, relatou o historiador Paulo Rezzutti. Após o Príncipe Regente ter feito a refeição na cozinha e ir embora, a dona da casa é surpreendida pela chegada da comitiva que o acompanhava e descobre que o viajante, na verdade, era D. Pedro I.

Santos foi outro ponto no roteiro de Dom Pedro I. A importância estratégica tanto do ponto de vista comercial como militar foi o que o levou até a cidade. O historiador Paulo Rezzutti explicou que ele foi para cidade paulista verificar as fortificações, já que lá estava um dos principais portos do Brasil Colônia, dominado por pessoas fiéis ao Príncipe Regente.

Em 7 de setembro, retornando de Santos, D. Pedro I recebeu uma carta do ministro do Reino e dos Negócios Estrangeiros, José Bonifácio, e de sua esposa Leopoldina, e diante da situação, relatada na carta, declarou a independência.

“Quando vinha voltando de Santos ele recebeu as cartas vindas de Portugal e as próprias cartas de Dona Leopoldina e do José Bonifácio contando que as cortes de Lisboa queriam fazer o Brasil retroceder a um status colonial absurdo”, contou o historiador Eduardo Bueno.

Dom Pedro I Nos retratos oficiais, D. Pedro I sempre aparece com o semblante sério e trajes militares, mas no dia a dia tinha um comportamento bem diferente. “Ele adorava a natureza, adorava escalar e cavalgar, tem trilhas no Rio de Janeiro que praticamente foram abertas por ele”, disse Paulo Rezzutti. Interessado por música, foi o autor da melodia Hino da Independência.

Por Brasil.gov

Comentários