Novo software reduz tempo-resposta do trabalho entre peritos e policiais Integrando a comunicação entre a Perícia e a Polícia Civil, software reduz distâncias e acelera processos.

19 jul 2021 - 11:30


Sistema é integrado com todos os órgãos da Segurança Pública (Foto: Émile Valões / Assessoria)

Buscando a integração entre as forças policiais e a melhoria na execução dos serviços prestados, a Secretaria de Segurança Pública de Alagoas (SSP/AL) desenvolveu um software que dará celeridade ao trabalho da Perícia Oficial (PO) e da Polícia Civil (PC).

Por meio do Forensis, um canal de comunicação totalmente digital e otimizado, as requisições de exames periciais passam a ser feitas de maneira integrada com os demais softwares existentes dentro da Segurança Pública, diminuindo o tempo-resposta dos chamados entre os órgãos.

A ferramenta, que foi criada pela Chefia de Desenvolvimento de Programas de Informatização da SSP/AL, estava em fase de testes desde 2020 e após melhoramentos em seu sistema foi oficialmente implantada em julho deste ano em todo o Instituto de Criminalística.

Para o major Cabral, chefe do setor desenvolvedor, o Forensis trará uma grande melhoria no trabalho dos órgãos e destaca que toda a Segurança Pública ganha com a aplicação da ferramenta, tendo em vista que todos fazem o uso de laudos periciais.  

“Com o software trabalhando de forma otimizada e organizada, o envio de solicitações entre a Perícia e a Polícia Civil acontecerá de maneira mais ágil, totalmente informatizada, sem a necessidade de deslocamento para cumprir os trâmites legais, como era feito até antes da instalação”, disse Cabral.

Software criado pelo Núcleo de Desenvolvimento de Sistemas da SSP agiliza os procedimentos relacionados aos exames periciais. (Foto: Émile Valões / Assessoria)

COMO FUNCIONA? 

O Forensis cria um canal direto de comunicação entre a Perícia e as delegacias de polícia de todo o Estado, que passam a ter acesso em tempo real, de todas as solicitações feitas entre os órgãos, do andamento e dos laudos dos exames periciais.

O software permite a inclusão de dados, como a geolocalização, que facilitará o serviço de deslocamento do Instituto Médico Legal (IML), evita o uso de papel, trazendo economia aos cofres públicos e auxiliando na preservação ambiental.

Com as informações centralizadas e inseridas no ambiente digital, o trabalho se tornará ainda mais efetivo, na agilidade da entrega das provas periciais, acelerando o trabalho de elucidação de casos, tirando criminosos de circulação e consequentemente diminuindo a violência em Alagoas. 

Segundo Wellington Melo, chefe do Instituto de Criminalística (IC), todos os casos do IC e IML serão geridos pelo Forensis, facilitando o trabalho dos peritos, que de qualquer lugar irão conseguir inserir e consultar os laudos.

“A implantação do sistema tem uma avaliação muito positiva, pois estamos dando um salto de qualidade e modernidade no serviço prestado pela Perícia Oficial, gerenciando os nossos exames periciais de forma mais centralizada, com boas práticas de segurança de informação e com uma forte consistência de dados”, afirmou o chefe do órgão. 

Para o delegado-geral da Polícia Civil, Carlos Alberto Reis, o Forensis irá melhorar todo o processo de comunicação e integrar ainda mais as forças de Segurança do Estado.

“É uma ferramenta que vai dar mais agilidade  no desenvolvimento do trabalho de Polícia Judiciária visando desburocratizar o atendimento das perícias junto às vítimas, aspecto também importante no transcurso investigativo por ser, além de tudo, o sistema responsivo”, disse o Carlos Alberto Reis.

O secretário de Segurança Pública, Alfredo Gaspar de Mendonça, ressalta que a informatização e a atualização nos serviços é essencial para todos os setores, garantindo agilidade nos processos e na comunicação entre as forças.

“O Forensis surge da necessidade existente e já demonstra sua eficiência quando colocado em prática. Desde de sua implantação, o tempo-resposta dos chamados vem caindo, priorizando o serviço, pensando em melhor atender os alagoanos ”, completou.

Por Assessoria / SSP-AL

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.