Novo Papa deve ter “uma grande energia”, diz cardeal

13 fev 2013 - 10:46

Após a renúncia do papa Bento XVI há uma grande dúvida sobre quem será seu sucessor e o perfil do novo Papa. Para o cardeal Giovanni Battista Re, prefeito emérito da Congregação para os Bispos, o novo Papa deve “ter uma grande energia”.

“O Pontífice renunciou para permitir dotar a Igreja com um novo guia, mais jovem, mais forte, capaz de enfrentar a dificuldades do qual o barco de Pedro deve confrontar”, explicou o prefeito emérito.

Há uma forte corrente que defende a nomeação de um Papa africano, visto que a África é a região em que o catolicismo mais cresce. “Um Papa africano? Seja feita a vontade de Deus. A Igreja tem fiéis em todos os lugares”, respondeu o cardeal ganense Peter Appiah Turkson, considerado um dos favoritos no próximo conclave.

Turkson disse que recebeu a notícia da renúncia com “grande surpresa”, mas destacou que a decisão de Bento XVI deve ser respeitada.

Sobre o fato de ser um dos favoritos para assumir o papado, Turkson afirma que “todo cardeal é candidato” e garante que entre os candidatos “não há lobby”. “O conclave é um grande momento de união da Igreja. A África é um continente importante para o catolicismo, mas a Ásia também é, por exemplo. A Igreja é sinônimo de universalidade, deve acompanhar espiritualmente os fiéis de todo mundo”, completou o cardeal africano.

Ansa

Comentários