Nordeste é opção da metade dos brasileiros que querem viajar ainda este ano A informação é da pesquisa Sondagem do Consumidor – intenção de viagem, do Ministério do Turismo.

21 jul 2017 - 00:54

Brasileiros que querem viajar preferem o Nordeste (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Dentre os brasileiros que pretendem viajar até o final deste ano, cerca de 50,6% escolheriam a Região Nordeste. A informação é da pesquisa Sondagem do Consumidor – intenção de viagem, do Ministério do Turismo. As informações foram levantadas no mês de junho, em sete capitais do País. 

Segundo a pesquisa, Brasília tem o maior percentual de viajantes que pretendem visitar a Região Nordeste nos próximos seis meses: 57,1%. Em segundo lugar, vem São Paulo, em que 54,4% dos entrevistados confirmaram a intenção.

A preferência pela região é maior também entre pessoas das duas maiores faixas de rendas familiares pesquisadas pelo Ministério do Turismo. Mais de 44% dos entrevistados com renda entre R$ 4,8 mil e R$ 9,6 mil, e 46,9% daquelas com renda acima de R$ 9,6 mil escolheram o destino.

De acordo com informações do Ministério do Turismo, os dados da sondagem de junho mostram que o mercado de viagens dá sinais de recuperação. Cerca de 23% dos entrevistados afirmaram que pretendem viajar nos próximos seis meses, o maior percentual apurado desde janeiro deste ano. Desse universo, 79,4% deverão optar por destinos nacionais.

ALAGOAS E SEUS 102 MUNICÍPIOS

Seguindo essa tendência, Alagoas vem se destacando no turismo interno, apresentando um contínuo crescimento e a manutenção dos indicadores positivos.

De um lado do leque, mar e praias espetaculares. De outro, o Rio São Francisco. Cortando o território, rios como São Miguel, Tatuamunha,Manguaba, Coruripe, cheios de história. Sem contar, claro, as lagoas que ajudaram a dar nome ao estado: Mundaú,Manguaba,Roteirio, Anta, Jacarecica… No interior, as lindas paisagens das regiões dos Vale dos rios Paraíba e Mundaú.

Com uma economia que já dependeu totalmente da cultura da cana-de-açúcar, Alagoas descobriu, no fim da década de 70, que seus encantos naturais poderiam trazer riqueza. Baseados na capital, Maceió, turistas brasileiros e estrangeiros se esbaldam na orla dePajuçara, Ponta Verde e Jatiúca e, aproveitando as curtas distâncias, partem para bate-voltas diários.

Para o norte, Paripuera marca o início da Costa dos Corais, com arrecifes e piscinas naturais. Daí em diante é uma sequência emocionante de imagens de cartão-postal: Barra de Santo Antônio, a selvagem Carro Quebrado, Barra do Camaragibe, os peixes-bois que vivem entre as águas do Rio Tatuamunha, em Porto de Pedras e as piscinas naturais de São Miguel dos Milagres, Japaratinga e Maragogi.

No sentido sul, Marechal Deodoro, a antiga capital do estado, às margens da Lagoa Manguaba, mostra sua arquitetura do século 18. Ali pertinho estão as famosas Praia do Francês, Barra de São Miguel e Gunga, sempre lotadas nos fins de semana e alta temporada, além de Jequiá da Praia, Feliz Deserto e Coruripe,  cujas praias de areia finíssima foram o lar dos temidos índios Caetés no início da colonização.

Ao se embrenhar interior adentro, em território que já pertenceu à Capitania de Pernambuco, comandada por Duarte Coelho no século 16, o turista vai encontrar cidades como Penedo, a mais antiga, às margens do São Francisco.  Os negros africanos escravizados para trabalhar nos engenhos deixaram como herança a comunidade quilombola, no alto da Serra da Barriga, no município de União dos Palmares.

Já em Piranhas, no alto sertão, há marcas de outro momento histórico importante, dos anos 1920 e 1930, quando os alagoanos foram aterrorizados pelo cangaço liderado por Lampião.

Alagoas tem 102 municípios e uma rica cultura. Cidades que guardam relíquias histórias, povo acolhedor, culinária inigualável, artesanato e uma beleza natural que transforma cada região do Estado em única.

Da Agência CNM com informações do Ministério do Turismo

Comentários