Nomes de novos Mestres da Cultura de Alagoas são divulgados Certificação será transmitida no próximo dia 22 de agosto, às 19h, no canal do Youtube da Secretaria de Estado da Cultura.

18 ago 2021 - 09:43

Mestre Nô, das Cambindas de Porto de Pedra, é um dos representantes agraciados com a honraria concedida pelo Governo de AL (Foto: Daniel Borges / Agência Alagoas)

O Governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), divulgou nesta terça-feira (17), a relação dos novos mestres da cultura eleitos como Patrimônios Vivos de Alagoas. A certificação dos novos mestres será transmitida no canal do Youtube da Secult, no Dia do Folclore (22), a partir das 19h.

A lista publicada no Diário Oficial traz a mestra de Religiosidade de Matriz Africana, de Maceió, Míriam Araújo Souza Melo (Mãe Míriam); a mestra de artesanato, de Marechal Deodoro, Maria Cícera Rosendo da Rocha (Dona Moça); e o mestre do folguedo Cambindas, de Porto de Pedras, José Claudionor Bento de Moura (Mestre Nô). 

Responsáveis por guardar e passar adiante os conhecimentos tradicionais, o Registro do Patrimônio Vivo é uma maneira de preservar a cultura do Estado nas áreas de danças, folguedos, literatura, gastronomia, música, teatro, artesanato, dentre outras manifestações culturais.

Os novos mestres passarão a receber uma bolsa de incentivo vitalícia de um salário mínimo e meio, visando à manutenção dos grupos e o repasse dos conhecimentos. Eles irão ocupar as vagas dos falecidos Juvenal Domingos (Mestre Juvenal), Severino João da Silva (Mestre Jaçanã do Pandeiro) e Arthur Moraes dos Santos (Mestre Arthur Moraes).

A mestra de Religiosidade de Matriz Africana, Míriam Araújo Souza (Mãe Míriam), foi outra expoente contemplada (Foto: divulgação)

Foram 127 inscritos, sendo 120 habilitados a concorrer às vagas. Uma bancada avaliou os quesitos necessários, levando em consideração o tempo de residência no Estado de Alagoas, o período de participação em atividades culturais, a capacitação para transmitir seus conhecimentos ou suas técnicas à sociedade, a relevância do trabalho desenvolvido em prol da cultura alagoana e a idade do candidato.

A mestra de artesanato, Maria Cícera Rosendo (Dona Moça), também vai receber o benefício. Foto: divulgação 
Para a secretária de Estado da Cultura, Mellina Freitas, o reconhecimento serve para garantir a esses mestres e mestras a valorização de seus esforços para manter viva a cultura popular alagoana.

A mestra de artesanato, Maria Cícera Rosendo (Dona Moça), também vai receber o benefício. (Foto: divulgação)

“Aqueles que detêm os saberes e fazeres da cultura tradicional têm a oportunidade de serem reconhecidos como Patrimônios Vivos de Alagoas. Dessa forma, as manifestações culturais, como as festas populares, a culinária, a dança, o artesanato e qualquer outro elemento do povo, se perpetuem nas próximas gerações. É em manter a identidade do povo alagoano viva que esses mestres e mestras são excelentes”, destacou.

Por Mark Nascimento / Agência Alagoas

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.