Nesta Páscoa, 46% dos consumidores pretendem comprar ovos de chocolate

23 mar 2018 - 11:28

Estudo avaliou comportamento do consumidor maceioense (Foto: José Cruz/ Agência Brasil)

Com a proximidade do período pascal, o Instituto Fecomércio de Estudos, Pesquisas e Desenvolvimento do Estado de Alagoas realizou, entre os dias 14 e 16 de março, a pesquisa sobre a Intenção de Consumo na Páscoa, em Maceió.

De acordo com o levantamento, neste ano 46% dos entrevistados devem comprar ovos de chocolate, enquanto 52,6% não comprarão e 1,4% ainda não sabem ou não opinaram.

Desde 2016, quando a pesquisa começou a ser feita, é o segundo ano consecutivo de queda na intenção de compras desse produto. Se no ano passado a redução foi de 0,7 pontos percentuais (p.p.), agora em 2018 o recuo é de 2,6 p.p., já que em 2017 este indicador foi de 48,6%.

Dentre o percentual que não pretende adquirir o doce (52,6%), 41,2 % disseram que o endividamento é o principal motivo da negativa, 24,8% estão desempregados e, 22,4%, mais cautelosos. Apenas 0,8% afirmaram que não comprarão ovos de chocolate por não terem a quem presentear.

Entre os que irão adquirir o produto, mais da metade (50,47%) presentearão os filhos; 26,64% aos parentes; 16,36% aos cônjuges e 1,4% aos amigos. Já 5,14% afirmaram que irão se auto presentear. No ano passado, este percentual foi de 4,27%.

Ainda segundo a pesquisa, diminuiu o número de consumidores que pretendem substituir ovos por barras de chocolate. Se no ano passado 27,6% fizeram a troca, este ano apenas 23% farão, permanecendo os tradicionais ovos na preferência de 77% dos entrevistados. As versões industrializadas serão opções para 90,8%, ao passo que 9% deverão adquirir ovos caseiros (uma elevação de 1,6 p.p. quando comparado aos 7,4% registrados no ano passado).

Em relação aos valores desembolsados na hora da compra, 58,36% gastarão até R$ 50; 34,95% entre R$ 51 e R$ 100; 4,26% entre R$ 101 e R$ 200; 1,82% entre R$ 201 e R$ 300; e 0,61% acima de R$ 301.

Vinhos e frutos do mar

A pesquisa do Instituto Fecomércio também avalia a intenção de compras de vinhos e frutos do mar. Dos entrevistados, 21% colocarão a bebida entre os itens pascal, ao contrário de 79%. Esse resultado demonstra um recuo de 10,8 p.p. na aquisição de vinhos, já que no ano passado 31,2% pretendiam consumir a bebida. Redução maior foi registrada para os frutos do mar: se em 2017 65,4% disseram que os comprariam, este ano a intenção é de 53%; uma queda de 12,4 p.p.

Para ter os frutos do mar e o vinho na mesa, 51,96% dos consumidores pretendem gastar entre R$ 51 e R$100; 21,35% até R$ 50; 19,93% entre R$ 101 e R$ 200; e 2,49% entre R$ 201 e R$ 300. A faixa acima de R$ 301 será a opção para 4,27%.

Pagamento

Nas compras para a Páscoa, o pagamento à vista em dinheiro será a forma escolhida por 67,82%. A modalidade à vista via cartão de débito aparece em segundo lugar, com 17,55% da preferência. O rotativo do cartão de crédito será a escolha de 7,98% e, na forma parcelada, a opção para 6,65%.

Os supermercados (47,88%) terão a preferência dos consumidores, seguidos pelo Mercado da Produção (18,25%), pelo Centro de Maceió (11,64%), pelos shoppings (9,52%) e pelas lojas de bairro (5,56%). Entre os motivos que influenciam a escolha do local, os preços assumem a liderança com 47,44% (ano passado foi 37,55%). As promoções aparecem em segundo lugar com 24,10%, seguidas da qualidade do produto (11,03%), praticidade (5,90%), conforto e variedade (3,33%, cada um), outros (2,56%) e proximidade (0,77%).

Por Assessoria / Fecomércio – AL 

Comentários