“Não faço apoio ao governo, nem oposição de ocasião”, diz deputado Artur Lira Parlamentar alagoano é um dos principais nomes na disputa da presidência da Câmara Federal.

04 jan 2021 - 10:09

Deputado Artur Lira concedeu entrevista à Radio Jovem Pan (Foto: Reprodução / YouTube)

O deputado por Alagoas, Artur Lira (PP), primeiro candidato a registrar chapa para a disputa da presidência da Câmara dos Deputados neste ano, concedeu entrevista na manhã desta segunda-feira (4) à Radio Jovem Pan. Em uma de suas respostas, ele respondeu sobre a visão que alguns tem de que ele seria o candidato do Governo.

“Nós somos de um partido de centro, e acredito que todas as candidaturas postas são de centro ou da base do governo. Uns tentam modificar essa visão momentaneamente, então, eu não faço nem apoio ao governo e aos problemas do Brasil de ocasião e também não faço oposição de ocasião, quando é conveniente”.

Lira reforça que é preciso fazer um perfil de cada candidato. “Um perfil de Artur Lira, um perfil de Baleia Rossi, um perfil de Fabio Ramalho e tantos outros que possam aparecer nessa disputa”, declarou o parlamentar. Questionado sobre a diferença entre ele o principal concorrente, o deputado Baleia Rossi (MDB), Artur rechaçou essa distinção.

“O deputado Baleia é um bom concorrente, líder do MDB, inclusive o partido tem deputado líder do Governo na Câmara, no Senado e tem cargos indicados pelo Governo. O presidente vota como eu voto em várias matérias na Câmara, então, de onde vem essa diferenciação? De onde vem essa independência, essa altivez, essa Câmara livre? De onde vem essas especulações que a Câmara será presa?”, indaga Artur Lira.

Pautas na Câmara

O deputado alagoano também foi questionado se colocará alguns projetos em pautas, caso vença a disputa. Uma delas seria a reforma tributária. “Temos que pautar as reformas sim. Temos que criar rotina da previsibilidade. O colégio de líderes não se reúne há muito tempo. A pauta está sendo sempre do presidente, para o bem ou para o mal. Temos que criar rotina”, falou o político.

O deputado foi lembrado pelo entrevistador que é réu em processos que o acusam de corrupção. Sobre isso ele respondeu: “Eu fui fruto de uma delação de um inimigo. Todas os processos e inquéritos que chegaram a julgamento definitivo no Supremo foram arquivadas. Eu fui (sic) arquivado em três delações de um mesmo cidadão, inimigo de uma igrejinha que nós destruímos dentro do meu partido, quando nós chegamos em 2011.”

Sobre pautar a PEC que trata do fim do Foro Privilegiado, Lira disse não ter nenhuma dificuldade em pautar matéria que esteja amadurecida, ou na sociedade ou dentro do parlamento. “Como estamos falando de Foro Privilegiado e até de prisão em segunda instância, que tem uma comissão instalada, que está engavetada pela atual gestão, nós, se tivermos maturidade, consenso ou maioria absoluta, a Câmara e o Senado tem que se pronunciar sobre alguns temas, e às vezes, não legislar é legislar”, disse.

O deputado ainda completou: “A questão do foro privilegiado, eu defendo que tenha sua votação, ela teve modificação no Supremo, que restringiu para alguns, e não para todos. Eu faço questão de deixar claro: eu não tenho nenhum tipo de preconceito, em nenhuma matéria, para botar em pauta. Nós só vamos procurar para que a maioria da Câmara e do Congresso se expresse”.

Veja abaixo a entrevista completa do deputado Artur Lira:

Por Lucas Malta / Da Redação 

Comentários