Mulher de homicida de Olivença ameaçou escrevente e buscou polícia depois O site Alagoas na Net obteve áudios da mulher fazendo ameaças a funcionária do Cartório. Defesa dela nega envolvimento no crime.

01 nov 2021 - 19:26

Mulher mandou mensagem de áudio para escrevente (Foto: Lucas Malta / Alagoas na Net)

A cada dia que passa, novos capítulos do crime ocorrido dentro do Cartório de Justiça do município de Olivença, no dia 25, que vitimou fatalmente Damiana Roberto Correia Mélo, de 45 anos, e deixou sua filha, Dayrla Roberto Correia de Mélo, 21, ferida, estão sendo revelados.

O site Alagoas na Net obteve, com exclusividade, áudios que revelam  ameaças feitas pela companheira de Elvison Vilela, acusado do atentado, enviadas a funcionária do estabelecimento público. A voz é de Quitéria Vieira dos Santos, presa na última quinta-feira (28).

Ao final da reportagem, a defesa de Quitéria se manifestou sobre o assunto e declarou que sua cliente não nega ter gravado os áudios, mas que eles não teriam ligação com o atentado praticado por Elvison Vilela.

Detalhes dos áudios

Nas gravações conseguidas pela reportagem, a mulher diz claramente que vai se dirigir a cidade de Olivença, com intenção de matar a ex-companheira do seu marido. A autora do áudio pronuncia diversos palavrões, xingando até o próprio companheiro. Ouça abaixo:

 

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

Uma publicação compartilhada por 💻Alagoas na Net📰 (@alagoasnanet)

Segundo apurou o site, a obtenção deste áudio foi fundamental para o pedido de prisão contra ela. Em entrevista na semana passada, o delegado Hugo Leonardo, responsável pelo inquérito, revelou que essas ameaças integram as investigações sobre o crime no Cartório. A PC está avaliando se Quitéria tem alguma participação no atentado.  

Vítima do marido

Também de maneira exclusiva, o site Alagoas na Net apurou que dois dias após o crime dentro do Cartório, a suspeita que fez as ameaças buscou a Delegacia de Olho d’Água das Flores e disse que foi vítima de Elvison Vilela. Ela relatou diversos episódios de violência do companheiro, um deles ocorrido à beira do Canal do Sertão.

“Dias após eles reatarem, ele a levou até o Canal do Sertão, em Senador Rui Palmeira, onde a ameaçou, caso a mesma encerrasse o relacionamento. Tento envolvido o cabo de celular em seu pescoço e a obrigado a fazer um pacto com ele e Deus, para que permanecessem juntos, sempre apertando o fio do carregador”, declarou Quitéria.

O depoimento sertaneja também ressalta que algumas das agressões sofridas, eram presenciadas pela família do marido. “Episódios de agressões aconteceram na residência do senhor Elvison Vilela na presença do seu genitor”, completou a companheira do acusado de homicídio e tentativa de homicídio.

VEJA TAMBÉM

Acusado de atentado em cartório de Olivença se escondia em cemitério

Olivença: Suspeito de atirar em mãe e filha foi preso armado ano passado

Jovem baleada em Cartório era ameaçada e perseguida pelo ex, diz irmã

No boletim à PC, Quitéria afirmou que seu relacionamento com Elvison teve idas e vindas, mas que em 2020 eles reataram e ela descobriu que seu companheiro a traía com a funcionária do Cartório de Olivença. A mulher disse que, num rompante de ciúmes, entrou em contato com Dayrla, questionando sobre a suposta relação.

Ainda no relato a polícia, ela diz que não tem conhecimento dos motivos que levaram seu companheiro a tentar matar a escrevente. A mulher também afirma que não não sabia que ele estava planejando isso.

Respostas da defesa

O site Alagoas na Net entrou em contato com a defesa de Quitéria Vieira dos Santos. As advogadas Luciana Melo e Lorena Alencar atenderam nossa reportagem e falaram que ainda não tiveram acesso total ao inquérito, inclusive sobre os áudios.

“No que compete aos áudios que a reportagem teve acesso, a defesa se resguarda ao direito de adentrar neste assunto em momento oportuno, tendo em vista que ainda não teve acesso total a todos os atos do inquérito policial.”

As defensoras também disseram não querer comentar o boletim feito pela cliente, para resguardar sua integridade.

“No que se refere ao Boletim de ocorrência que gerou as medidas protetivas contra o acusado Elvison Vilela, a defesa não pretende adentrar a este mérito no presente momento, vez que visa resguardar a integridade física da sua cliente”.

Ao fim, as advogadas negam envolvimento da cliente no atentado praticado por Elvison Vilela. “Ressalte-se que a defesa reafirma a não participação da Senhora Quitéria no tocante aos fatos ocorridos aos dias 25 de outubro de 2021”.

Por Lucas Malta / Da Redação

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.