MPE deflagra operação Nicotina, primeira ação do Gaesf em Alagoas

07 fev 2017 - 07:01

Grupo que combate a sonegação fiscal faz sua primeira operação no estado.

Operação teve como alvo empresas que comercializam cigarros (Foto: Assessoria MP-AL)

Operação teve como alvo empresas que comercializam cigarros (Foto: Assessoria MP-AL)

O Ministério Público de Alagoas iniciou nesta terça-feira (7), nas cidades de Arapiraca e Maceió, a primeira operação integrada de atribuição do Grupo de Atuação Especial em Sonegação Fiscal e aos Crimes Contra a Ordem Tributária, Econômica e Conexos, o chamado Gaesf.

A força tarefa, ao lado de outras equipes de segurança está nas ruas a fim de combater fraudes pela indústria do tabaco.

De acordo com a assessoria do MP-AL, o grupo teria descoberto uma organização que comercializa cigarros estrangeiros, atuando em 15 estados, com operações sem o recolhimento de impostos. Alguns das empresas alvo da operação estão sendo multadas em R$ 534 milhões.

“Na verdade, elas já foram montadas, desde o princípio, para a prática de fraudes fiscais, inclusive, com a participação de outras empresas de fachadas. O prejuízo é milionário, mas ainda não podemos dar muitos detalhes porque essa é apenas uma etapa das investigações. Com os depoimentos que serão colhidos, vamos aprofundar a apuração”, explicou o promotor Cyro Blatter, coordenador do Gaesf.

Todos os mandados, que foram expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital, estão sendo cumpridos em Maceió e em Arapiraca. Na capital, são sete alvos, onde estão sendo cumpridos quatro mandados de condução coercitiva, quatro de busca e apreensão e um de prisão. Já em Arapiraca são seis alvos, com cinco mandados de busca e apreensão, dois de condução coercitiva e um de prisão.

O Gaesf

Foto: Assessoria MP-AL

Foto: Assessoria MP-AL

O MP-AL criou em janeiros deste ano o Gaesf, tendo como as várias atribuições, investigações cíveis e criminais e fazer uso de serviços de inteligência, acompanhar inquéritos policiais, instaurar investigações, expedir notificações para colher depoimentos, esclarecimentos, receber representações de qualquer pessoa ou entidade, assim como notícia de fato criminoso através de serviço disque denúncia.

As atribuições do grupo ainda abrangerão, igualmente, a apuração e a repressão dos delitos que se tornarem conhecidos no decorrer das investigações que estiverem conduzindo. O Gaesf só atuará em casos com prejuízos acima de dois mil salários mínimos.

Da Redação com Assessoria MP-AL

Comentários