MP e Defensoria pedem bloqueio de R$ 6,7 bilhões da Braskem por ação no Pinheiro Braskem diz que não há laudo demonstrando relação entre suas atividades e os eventos observados.

02 abr 2019 - 09:49

Imóveis com rachadura foram evacuados (Foto: Felipe Brasil / Agência Alagoas)

O Ministério Público de Alagoas (MP-AL) junto com a Defensoria Pública de Alagoas (DP-AL) anunciaram nesta terça-feira (2) a proposição de uma ação judicial contra a Braskem sobre os problemas apresentados no bairro Pinheiro, Mutange e Bebedouro.

Em coletiva com a imprensa em Maceió, o procurador-geral de Justiça, Alfredo Gaspar, ao lado do representante da Defensoria, Ricardo Melro, informaram ainda que a ação pede um bloqueio de mais de R$ 6 bilhões em forma de tutela de urgência.

De acordo com o chefe do MP-AL, foram elencados várias evidências que limitam a atuação da Braskem. “MP não está jogando para a plateia que a Braskem tem responsabilidade nisso. Fizemos isso a partir várias evidências. Peço ao judiciário que essa ação com base no sofrimento dessa população”, declarou Alfredo Gaspar.

Para o procurador-geral, a ação movida agora tem o objetivo de buscar a reparação preventiva dos moradores dessas localidades. Ele alegou ainda que a Braskem jamais poderia minerar numa área habitável e que o MP decidiu não esperar rolar os cadáveres, que nem Mariana e Brumadinho.

Membros do MP e da Defensoria prestam coletiva (Foto: Reprodução / You Tube)

Respostas da Braskem

Minutos após a coletiva do MP e Defensoria, a Braskem emitiu uma nota à imprensa sobre a ação. Entre outras coisas, a empresa fala que não há, até o momento, laudo conclusivo que demonstre a relação entre as atividades da Braskem e os eventos observados no bairro.

Veja abaixo a íntegra da nota 

A Braskem tomou conhecimento pela imprensa da ação judicial proposta contra ela pelo Ministério Público do Estado de Alagoas e Defensoria Pública, cujo pedido seria de bloqueio de bens para garantir eventuais indenizações à população afetada.

A Braskem reitera que vem, desde o início dos eventos no bairro do Pinheiro, colaborando junto às autoridades competentes na identificação das causas e que não há, até o momento, laudo conclusivo que demonstre a relação entre as atividades da Braskem e os eventos observados no bairro.

A Braskem reafirma seu compromisso com a sociedade alagoana e com a atuação empresarial responsável, e de seguir contribuindo na identificação e implementação das soluções.

Por Lucas Malta / Da Redação

Atualizada às 16h

Comentários