Melhores soluções de economia compartilhada para negócios

21 nov 2020 - 10:31

Foto: David Mcbee / Pexels

A economia compartilhada está cada vez mais em alta no mercado por trazer um conceito colaborativo que ajuda mais pessoas e empresas a terem acesso a recursos que normalmente não seriam tão acessíveis, principalmente por questões financeiras.

Devemos reconhecer, portanto, que os efeitos da economia compartilhada ajudaram a democratizar os recursos do empreendedorismo, permitindo que mais pessoas sejam capazes de abrir ou expandir seus negócios utilizando soluções colaborativas ou até mesmo implementando o conceito em seus negócios.

Felizmente, a economia compartilhada tem muito a contribuir não só para a rotina pessoal, mas também profissional. Neste post você vai conhecer mais sobre as melhores soluções da economia compartilhada para negócios e como ela influencia positivamente no crescimento dessas empresas.

Como funciona a economia compartilhada nos negócios 

Esse modelo colaborativo da economia busca ampliar o acesso a recursos que em uma escala menor, ajudariam muito, mas em maior escala, causam verdadeiras transformações nas vidas das pessoas e nas empresas.

Comprar produtos de segunda mão ou pegar o carro do colega emprestado são formas de colaboração, não é mesmo? Mas a economia compartilhada vai além, pois ela permite que exista um sistema capaz de conectar as partes interessadas. 

Ambas as partes vão se beneficiar, uma tendo acesso ao recurso e outra sendo paga para oferecê-lo.

Com isso, atualmente as empresas conseguem acesso a espaços de trabalho, mão de obra disponível, plataformas de vendas e até mesmo acesso a dados que podem ser relevantes para o crescimento de um negócio.

Mais abaixo falaremos de algumas dessas soluções e como elas favorecem as empresas. Ainda assim, não é somente dessa forma que os negócios se beneficiam da economia compartilhada. 

Esse sistema de conexão entre as partes pode ser criado por uma empresa que ganha com a união dos interessados. Dessa forma, a economia compartilhada passa de recurso de apoio para modelo de negócio e pode fazer uma empresa ganhar muito dinheiro.

Foto: Karolina Grabowska / Pexels

Economia compartilhada no modelo de negócio 

Os modelos de negócio que trabalham com a economia compartilhada buscam criar plataformas para conexão entre as partes. Nessa plataforma é possível que cada interessado deixe suas informações e entre para um banco de dados que cria uma grande operação, oferecendo recursos de acordo com as necessidades de cada um.

Isso acontece da seguinte forma: uma empresa X, pode por exemplo, cria uma plataforma que conecta pessoas com moto precisando de trabalho com empresas que precisam de entregadores para realizar o delivery de comida. 

Por meio de um app, é possível contratar o serviço e o algoritmo analisa qual o entregador disponível mais perto do local será ideal para executar a tarefa. Quanto mais pessoas precisarem de renda extra se conectarem com empresas precisando de entrega, mais negócios são feitos e a empresa ganha a sua parte nisso.

Porém, a Economia Compartilhada conseguir ir além. Isso acontece por meio do estilo de vida colaborativo. Uma empresa não precisa necessariamente criar uma plataforma e sim oferecer um recurso que pode ser compartilhado por usuários, como é o caso do Coworking.

Veja essa e outras soluções da economia compartilhada logo abaixo.

Coworking 

O coworking é um espaço onde pessoas e empresas podem utilizar os recursos como sala de reunião, projetores, internet ou até mesmo computadores para poderem trabalhar. Geralmente é cobrado um valor muito justo para utilização destes espaços e eles podem ser compartilhados entre profissionais de uma ou mais empresas.

Para as empresas que utilizam o serviço, o coworking pode resultar em uma economia com manutenção de espaço físico próprio, incentivando o home office e utilizando estes espaços compartilhados em caso de necessidade de interação física e aproveitando da qualidade do serviço oferecido.

Já para empresas que empreendem neste setor, o movimento do home office e a flexibilização do local de trabalho pode favorecer o crescimento no número de usuários de coworking, fazendo do projeto um ativo com alto poder de geração de caixa.

Delivery

O modelo de delivery na economia compartilhada consiste na conexão entre pessoas que precisam de renda extra e possuem meios de locomoção (até mesmo bicicleta)  e estabelecimentos que não têm entregadores próprios. 

Para essas empresas, o delivery oferece a oportunidade de contratar mão de obra com poucos cliques, bastando se inscrever no aplicativo. 

Quando o cliente faz o pedido, o app já seleciona o entregador e avisa onde ele deve pegar e entregar, pagando uma taxa pelos serviços que sai direto do bolso do consumidor (cliente do estabelecimento).

Foto: Pexels / Pixabay

Marketplaces

Atualmente existem marketplaces que trabalham no modelo de economia compartilhada, oferecendo a oportunidade de pessoas (ou empresas) venderem seus produtos para outras pessoas (ou empresas interessadas).

O Enjoei, por exemplo, conecta pessoas que querem vender itens de segunda mão e pode ser interessante para negócios como brechós. Lá é possível montar sua lojinha e anunciar seus produtos. A empresa leva uma porcentagem toda vez que uma venda/compra é feita.

Existem também marketplaces que funcionam como uma espécie de vitrine, por serem de marcas extremamente relevantes, como a Magazine Luiza e Amazon

Eles trabalham no modelo de colaboração onde os pequenos e-commerces colaboram para completar o catálogo de produtos, oferecendo mais variedade ao cliente e dando a oportunidade de pequenas empresas aumentarem suas vendas.

Essa exposição faz com que pequenas marcas fiquem conhecidas e ganhem credibilidade. No entanto, a criação de um site, com domínio próprio vai ajudar na expansão do negócio. Usar plataformas de terceiros serve para começar, mas nunca é indicado depender somente dela.

Felizmente, o investimento em domínio e hospedagem pode ser bem em conta, trazendo muitos benefícios para expansão de uma empresa. 

Sobretudo, usar o modelo colaborativo acelera o processo de expansão da marca, mas é absolutamente necessário trilhar o caminho do e-commerce com suas próprias pernas, não dependendo das regras de terceiros.

Foto: Kevin Ku / Pexels

Compartilhamento de dados 

O compartilhamento de dados é um modelo colaborativo bem interessante praticado na web. Os usuários compartilham seus dados por meio de formulários de cadastro e têm acesso a conteúdos de entretenimento e exposição de produtos de acordo com seus interesses.

Esses dados são utilizados para contratação de anúncios por empresas. Com isso, o canal compartilha os dados com as empresas em uma forma de algoritmo que cria a melhor campanha para atingir um público específico de acordo com os interesses da empresa.

O modelo de colaboração por meio dos dados ajuda mais empresas, inclusive as pequenas, a terem acesso a ferramentas de marketing e propaganda a preços muito baixos, podendo criar campanhas efetivas e compartilhando o seu domínio como destino final do consumidor. 

Portanto, as empresas ganham cada vez mais clientes enquanto esses canais (em especial redes sociais) movimentam milhões de dólares na criação e exposição de anúncios.

Conclusão 

Para que um negócio passe a aproveitar melhor os benefícios da economia compartilhada, como os marketplaces e compartilhamento de dados, o investimento em um site com domínio próprio é extremamente importante. 

Deu para perceber como a conexão com a internet é importante para o sucesso do modelo de economia compartilhada/colaborativa? Por isso é tão importante que as empresas tenham consciência da importância de um espaço próprio com domínio personalizado e plataforma para divulgação do seu trabalho.

Achou as soluções de economia compartilhada para negócios interessantes? Conhece alguma empresa que se beneficia desse conceito? Deixe o seu comentário e não se esqueça de compartilhar essa ideia também em suas redes sociais.

Por Assessoria

Comentários