Livro com história de Adeildo Nepomuceno é lançado em Santana do Ipanema A obra foi apresentada em evento no plenário da Câmara Municipal de Vereadores de Santana do Ipanema

Lucas Malta / Da Redação

24 jan 2022 - 22:25


Livro de autoria de irmãos santanenses foi lançado no último sábado (22) (Fotos: Lucas Malta / Alagoas na Net)

“Uma noite que vai ficar para a história”, “Um momento marcante para as novas gerações”, “Um livro que vai mergulhar na Santana do passado”. Essas foram algumas das afirmações proferidas por quem esteve, na noite do último sábado (22), no lançamento do livro Adeildo Nepomuceno Marques – um carismático líder sertanejo, de autoria dos irmãos Sérgio Soares de Campos e Fernando Soares Campos.

A obra foi apresentada em evento no plenário da Câmara Municipal de Vereadores de Santana do Ipanema, que teve como mestre de cerimônia o professor, escritor e também irmão dos autores, Fábio Soares Campos. Entre os convidados estiveram parentes do personagem do livro, como a filha de Adeildo, pessoas que conviveram de perto o ex-prefeito, além de admiradores da vida e obra do político sertanejo.

Falas dos presentes

Quem primeiro usou da palavra foi um dos colaboradores do livro, o médico Dalmário Nepomuceno Gaia. Ele relembrou obras na gestão de Adeildo e enalteceu o caráter popular do político.

“Adeildo trouxe para cá o Banco do Brasil, Correios, DNER, além da ponte que dá acesso a AL 130. Além desse espírito empreendedor, chamava a atenção o zelo que tinha por seus conterrâneos, principalmente os mais carentes”, declarou Gaia.

Em seguida, Maria de Fátima Nepomuceno, filha do ex-prefeito santanense, fez a sua fala, em nome da família. Ela agradeceu aos autores pela obra e confessou que há muito tempo não vinha a Santana do Ipanema.

“Depois da morte de papai, Santana perdeu o encanto pra gente”, disse a filha do político, que foi assassinado em uma emboscada. Apesar da partida de sua terra, Maria de Fátima garantiu que o livro ajudará muito as novas gerações a conhecer quem foi Adeildo Nepomuceno.

Mestre de cerimônia ao lado dos oradores, sem os autores [da esquerda para direita, de cima para baixo: Fábio, Dalmário, Maria de Fatima, José Antônio, Bartolomeu e José Malta] (Fotos: Reprodução)

A terceira pessoa a falar foi responsável por fazer o prefácio do livro, o promotor de Justiça José Antônio Malta Marques, que é primo de Adeildo Nepomuceno. Ele aproveitou a cerimônia para falar de alguns casos curiosos que viveu ainda jovem na cidade e também agradeceu aos autores em poder participar da obra.

“Na leitura desse livro, eu me lembrava da passagem mais triste, que foi o dia em que Adeildo foi assassinado. Aquele dia eu me encontrava em Maceió, estudando, e soube depois dos detalhes, ao conversar com meu pai, que foi chamado, assim que ele foi atacado. Imagino como tenha sido um momento difícil para a esposa e filhas de Adeildo, passar por um episódio tão trágico quanto aquele”, afirmou o promotor.

Quem também fez questão de falar sobre o ex-prefeito foi outro colaborador do livro, o empresário Bartolomeu Barros. “Adeildo trazia consigo um amor muito grande por sua terra e seus conterrâneos. Não conhecia preconceito de raça ou cor. Ele era um homem probo em seu proceder. Apesar de tudo isso, ele enfrentou desafios, calúnias e incompreensões de seus semelhantes”, declarou Bartolomeu.

Livro de autoria de irmãos santanenses foi lançado no último sábado (22) (Fotos: Lucas Malta / Alagoas na Net)

Representando a Academia Santanense de Letras, o jornalista e escritor José Malta Fontes Neto enalteceu o conteúdo histórico e cultural da obra lançada. Ele lembrou que, numa oportunidade, um amigo lhe questionou porque Santana do Ipanema tinha um jumento na entrada de sua cidade.

“Obviamente eu expliquei a importância daquelas duas figuras, não só para cidade, mas todo o Sertão. Agora, com esse livro, não só esse meu amigo, mas essa nova geração vai conhecer o responsável pela obra que imortalizou o jumento (que eu não sabia, mas tem um nome, e está no livro) e o Candinho, o tangedor do animal”, falou Malta.

Livro de autoria de irmãos santanenses foi lançado no último sábado (22) (Fotos: Lucas Malta / Alagoas na Net)

As últimas duas falas foram dos dois autores do livro, a começar por Fernando Soares. Ele relatou a experiência emocional que teve durante a produção do livro, que começou como ideia ainda nos anos 1982.

“Existiram passagens que muito nos emocionaram. Em muitos momentos me peguei com os olhos marejados, em pegar os relatos dos familiares de seu Adeildo”, observou Fernando.

O co-autor Sérgio Soares fez questão de começar sua fala citando todos colaboradores do livro. O servidor público estadual também relembrou que a data do lançamento coincidiu com a data de nascimento da sua genitora, Dineuza Bezerra Campos.

“Foi através da minha mãe, que começou minha história com Seu Adeildo. Ela era amiga de dona Nilza, irmã do ex-prefeito, e que foi minha primeira chefa, na antiga Coletoria Estadual. Foi a partir de conversas com ela que conheci um pouco mais da história deste grande político “, disse Campos.

Livro de autoria de irmãos santanenses foi lançado no último sábado (22) (Fotos: Lucas Malta / Alagoas na Net)

Sérgio também falou da importância da estátua do Jumento e seu tangedor, em suas lembranças de infância. “O dia da inauguração do monumento foi o dia em que chegou água encanada em Santana. Eu e meus irmãos fomos ver pela primeira vez água jorrando de uma caixa da Casal”, relembrou.

O autor do livro finalizou o evento cantando duas musicas, de sua autoria. Uma delas em homenagem a Casa o Ferrageiro, de propriedade do empresário Bartolomeu Barros, que já havia falado no evento, e outra pequena música que relembrou a figura de Adeildo Nepomuceno Marques, um carismático líder sertanejo.

“Com a chegada do padre Francisco Correia / Ainda era Ribeiro do Panema / Mas logo recebeu a homenagem / Da Padroeira Senhora Sant’Ana. / E assim veio o desenvolvimento / Onde o prefeito Adeildo Nepomuceno / Trouxe água através do encanamento / E homenageou / O tangedor e o seu jumento”, diz parte da música do autor.

A noite foi encerrada com o tradicional momento de autógrafos com os autores. Veja abaixo algumas fotos registradas pelo site:

Comentários