Justiça quer saber sobre funcionamento da Casa de Custódia de Santana do Ipanema Exigência ao Estado veio após pedido do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas.

23 nov 2018 - 16:14

Sindpol visitou Casa de Custódia em Santana do Ipanema (Foto: Assessoria / Sindpol)

O vice-presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas, desembargador Celyrio Adamastor Tenório Acciolly, determinou que a Secretaria de Estado de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) dê explicações sobre o não funcionamento da Casa de Custódia de Santana do Ipanema, situada na região do Médio Sertão.

O local foi inaugurado no dia 20 de junho deste ano, entretanto, segundo o Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol), o equipamento nunca funcionou efetivamente. A entidade levou a demanda até o desembargador, que é supervisor do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (GMF).

O Sindpol diz que o não funcionamento tem causando transtornos aos policiais, com a superlotação de presos nas delegacias da região. Com isso, o desembargador pediu para que os órgãos competentes apresentem esclarecimentos acerca da matéria, bem como a Comarca de Santana do Ipanema apresente manifestação sobre a denúncia.

Outra medida foi o envio do Despacho (com a manifestação do desembargador) ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a Corregedoria-Geral da Justiça do Estado de Alagoas (CGJ) e à 16ª Vara Criminal da Capital, para conhecimento da problemática.

O presidente do Sindpol, Ricardo Nazário classificou como um absurdo o Estado gastar mais de R$ 500 mil para a reforma do imóvel, realizar a inauguração, mas não promoveu o funcionamento da Casa de Custódia.

Da Redação com Assessoria Sindpol

Comentários