Justiça determina prisão de Geraldo Bulhões

07 jun 2013 - 10:08

geraldo_bulhoes

Foto: Tribuna Hoje / Arquivo

A juíza da vara 22º Vara Civil, que cuida dos direitos de família, Olívia Medeiros, decretou a prisão do ex-governador de Alagoas Geraldo Bulhões (PMDB) por uma dívida de R$ 8 mil em pensão alimentícia. A informação foi confirmada por uma servidora da Vara, que disse não poder dar mais detalhes do processo.

A reportagem da Tribuna Independente tentou ouvir as assessorias das Varas Cíveis da Capital, e confirmou apenas que o processo é oriundo de uma carta precatória e corre em segredo de Justiça.

Segundo fontes ligadas ao Judiciário, o mandado de prisão foi cumprido ainda na quarta-feira (5) e Bulhões estaria preso. A informação ainda não foi confirmada por órgãos oficiais.

As Casas de Custódias, tanto da Polícia Civil, quanto da Superintendência Prisional não registraram a entrada do ex-governador em suas celas. A assessoria da Polícia Militar também não confirmou a prisão de Bulhões. A reportagem buscou ainda falar com a assessoria do Corpo de Bombeiros, mas ninguém atendeu nossas ligações.

GB, como é conhecido o ex-governador, tem 75 anos. O que pode ter levado a estar em prisão domiciliar. Ele tem um problema de saúde que faz com que perca gradativamente a visão, o que recomendaria a necessidade de cuidados especiais.

Bulhões foi governador entre os anos de 1991 e 1995. Após deixar o poder, já com problemas de visão, passou a ter uma vida mais reclusa, causando surpresa quando reapareceu na inauguração do Canal do Sertão, obra iniciada em seu governo, onde fez duras críticas ao senador Fernando Collor de Mello, a quem acusou de nunca ter contribuído com a construção do canal.

As desavenças de GB com as ex-esposas são conhecidas nacionalmente. Entre as histórias mais contadas está a de que a ex-primeira dama Denilma Bulhões teria dado uma “surra com uma toalha molhada” no ex-governador, ainda dentro do Palácio dos Martírios.

A reportagem da Tribuna Independente também tentou ouvir pessoas ligadas ao ex-governador para que elas pudessem confirmar a briga na Justiça por pensão alimentícia, mas não conseguimos contato.

A ex-primeira dama Denilma Bulhões também foi procurada pela reportagem, mas também não foi localizada para comentar a pensão alimentícia.

Por Erik Maia / Tribuna Hoje

Comentários