Governo vai incentivar irrigação, fruticultura e pecuária

03 fev 2013 - 15:34


A Secretaria de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário (Seagri) vai orientar os agricultores para a prática da irrigação, pecuária de leite, ovinocaprinocultura e avicultura com galinhas caipiras no entorno do Canal Adutor do Sertão. A informação foi repassada pelo secretário José Marinho Júnior, que participou esta semana da vista feita pelo governador Teotonio Vilela ao trecho da obra que já está recebendo água.

“Como já temos a experiência e conhecemos o êxito desses programas, vamos levá-los a uma região que a partir de agora passará por mudanças muito positivas. Serão mudanças essenciais para a socioeconomia do lugar e para a vida dos agricultores familiares. O Canal do Sertão é um marco para Alagoas e um dos maiores legados do governador Teotonio Vilela”, destacou o secretário.

Segundo José Marinho Júnior, para dar suporte à pecuária leiteira e à ovinocaprinocultura, os agricultores serão orientados para a produção de forragens que servem de alimento aos animais, como sorgo, palma, capim de corte e cana. “Tudo poderá ser irrigado com a água captada no Canal Adutor, inclusive a fruticultura”, explicou.

De acordo com o secretário, os Programas Alagoas Mais Leite, Alagoas Mais Ovinos e Avicultura Familiar Sustentável de Alagoas (PAF), que já são executados pela Seagri na região do Semiárido, vão implantar módulos para os agricultores que estão nas áreas que recebem água do Canal.

“Com o uso de tecnologia e assistência técnica, é possível produzir leite o ano inteiro, mesmo no Sertão. Os produtores atendidos pelo Programa Alagoas Mais Leite comprovam isso, pois eles conseguem conviver melhor com esse período de estiagem pelo qual estamos passando”, exemplificou o secretário.

Biofábrica

De acordo com o secretário, as atividades agropecuárias no Semiárido em breve vão contar com o suporte de uma biofábrica, que será instalada no antigo Instituto Xingó, no município de Piranhas.

“O governador Teotonio Vilela tem cobrado ações estruturantes e definitivas para convivência com a seca e produção agrícola durante os períodos de estiagem”, salientou Marinho.

Segundo ele, a Seagri conseguiu junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) R$ 1,5 milhão para instalação da unidade, que conta com a parceria da Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf) e da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

“A unidade vai realizar pesquisa agropecuária e produzir sementes e mudas de palma forrageira, sorgo e leucena, que serão repassadas aos agricultores para composição dos bancos de forragens, além de mudas de árvores e frutas originárias do Semiárido. Ao todo, esperamos produzir 1,5 milhão de mudas por ano”, destacou o secretário de Estado da Agricultura, José Marinho Júnior.

O material será repassado aos agricultores do Semiárido e da Bacia Leiteira para produção de forragens. “É com forragens que eles podem garantir alimento para o gado no período de estiagem e, assim, conviver melhor com essa situação, que é típica de nossa região”, completou Marinho.

Agência Alagoas

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.