Governo do Estado inicia construção do Presídio do Agreste

04 dez 2012 - 15:10

Foto: Ascom Sgap

A Secretaria de Estado da Defesa Social recebeu na manhã da quinta-feira (29), no município de Craíbas, as primeiras carretas trazendo do Rio Grande do Sul as estruturas pré-moldadas que serão utilizadas para a construção do Presídio do Agreste.

Representantes da Superintendência Geral de Administração Penitenciária (Sgap) compareceram ao local para acompanhar a chegada do material, entre eles o superintendente adjunto de Administração Penitenciária, tenente-coronel Marcos Sérgio de Freitas.

Na próxima quarta-feira (5), a Sgap vai promover o lançamento das obras da unidade prisional do Agreste. O novo presídio será construído na zona rural do município de Craíbas.

O decreto 20.250, para a desapropriação de uma área de 6,63 hectares, foi publicado no Diário Oficial no dia 24 de maio deste ano, e possibilitou o início do desenvolvimento do projeto arquitetônico do presídio.

O novo presídio tem como finalidade ampliar o número de vagas no Sistema Penitenciário Alagoano, diminuir o déficit carcerário do Estado e possibilitar o acolhimento de reeducandos do Presídio de Segurança Média de Arapiraca Desembargador Luiz de Oliveira e Souza, além de atender também à demanda das delegacias do interior do Estado.

O orçamento total da obra é de R$ 34,5 milhões, disponibilizado para o Tesouro do Estado a partir do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES). A entrega do novo Presídio do Agreste também converge para a estruturação do Programa Brasil Mais Seguro no Estado.

A obra

Com prazo de entrega estipulado em seis meses, a construção do Presídio do Agreste vai utilizar o que existe de mais moderno no país com relação à parte estrutural de presídios. Construída com materiais quatro vezes mais resistentes que os utilizados nas construções convencionais, a unidade vai contar com 789 vagas, sendo 768 coletivas, 20 individuais e uma para portador de necessidades especiais.

“As estruturas pré-moldadas apresentam alta resistência, pois têm em sua composição uma mistura feita de concreto e fibra de vidro. Além disso, são muito práticas porque já vêm equipadas com chuveiro, sanitário e cama”, explicou Marcos Glimm, engenheiro da empresa Verdi, responsável pela obra.

Além das celas, o presídio terá as seguintes estruturas: seis oficinas de trabalho; um bloco para visitas íntimas com salão polivalente e brinquedoteca; um módulo de saúde para realizar atendimentos; um módulo de triagem ou inclusão; além de cozinha e lavanderia.

As instalações contam ainda com um canil para onze cães, bloco administrativo, bloco de revista, recepção e local para visitas. Na parte externa ficam as guaritas, quatro torres de controle, depósito de lixo, subestação de gerador, área para armazenagem de gás liquefeito de petróleo (GLP, o gás de cozinha), reservatório e estação de tratamento de esgoto.

Por Agência Alagoas

Comentários