Governo diz que redução de crimes violentos chega a 30% em AL

28 nov 2012 - 07:58


Divulgação (Foto: Técio Capelo/Ascom)

De acordo com dados registrados pelo Governo de Alagoas, os primeiros cinco meses de funcionamento do Programa Brasil Mais Seguro, houve uma redução do índice de crimes violentos letais intencionais (CVLI) na ordem de 30%, em relação ao mesmo período de 2011. Somente na capital, esta redução chegou a atingir o percentual de 54% a menos, se comparado ao mesmo período no ano passado. Com essa queda na curva da violência foram poupadas 132 vidas este mês em todo o Estado, enquanto que em Maceió 111 vidas foram preservadas no período.

Os números positivos foram apresentados nesta terça-feira (27), durante a reunião do GGI- E (Gabinete de Gestão Integrada Estadual). A reunião contou com a presença do governador Teotonio Vilela Filho e da secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki.

“Os números referentes ao combate à criminalidade são animadores; vamos manter esse trabalho integrado para que possamos avançar ainda mais”, disse o governador Teotonio Vilela. “Estamos conseguindo reverter a curva da violência no Estado, coisa que há 13 anos parecia impossível de acontecer”, completou o secretário da Defesa Social, Dário Cesar.

A secretaria de segurança ainda ressaltou a importância da integração entre as forças de segurança e o poder judiciário, acrescentando que o Brasil Mais Seguro precisa dessa união de forças para que sejam alcançados resultados positivos na redução da criminalidade.

De acordo com o balanço da Defesa Social, em termos de homicídio doloso as estatísticas apontam para uma redução de 14% este ano no Estado, com uma projeção de 2.041 casos, contra 2.359 ocorridos em 2011. Na capital, a queda no número de crimes violentos com intenção de morte chegou a 20% , com projeção de 447 mortes contra 761 registradas no ano passado.

Na reunião, foi apresentado o balanço das ações qualificadas de prevenção e repressão à violência implementadas no Estado relacionadas ao policiamento ostensivo, investigação de homicídios, perícia em local de crime e de combate à violência no trânsito. Segundo a Polícia Militar, este ano foram apreendidas mais de 1.400 armas de fogo, instrumento mais utilizado nos crimes violentos.

Do total de 256 inquéritos instaurados pela Polícia Civil nesse período de seis meses, 57 foram remetidas à Justiça, sendo a maioria (91%) com autoria material. Na área da Perícia Oficial, foi reformulado o convênio com o Laboratório de DNA da Ufal para a realização de 200 exames de vestígios residuológicos.

Regina Miki finalizou lembrando que outros investimentos devem fazer parte das ações na área da segurança pública, tais como reformas nas delegacias, investimentos na área da informação e projetos. No total, os projetos terão investimentos da ordem de R$ 44 milhões.

Da Redação com Agência Alagoas

Comentários