Governador anuncia vacinação para pessoas entre 60 e 62 anos Novo lote com 59.150 doses garante aplicação para todos os idosos no estado; imunização para profissionais de saúde autônomos será ampliada.

09 abr 2021 - 10:00

Nova remessa de imunizantes contra a Covid-19 é armazenada na sede do PNI de Alagoas (Foto: Lucas Borges / Assessoria Sesau)

O governador Renan Filho informou pelas redes sociais, na noite desta quinta-feira (08), que a chegada do novo lote de vacinas em Alagoas garantirá a imunização contra a Covid-19 para pessoas com idade entre 60 e 62 anos em todo o estado. “Vamos conseguir vacinar todas as pessoas com 62, 61 e 60 anos. Os municípios vão receber a quantidade de vacinas necessárias – todas as cidades, inclusive a capital, Maceió”, disse o chefe do Executivo estadual.

O novo lote enviado pelo Ministério da Saúde (MS) possui 59.150 doses do imunizante, sendo 26.400 doses da vacina CoronaVac e 32.750 doses da AstraZeneca. “Esse será um passo fundamental para que a gente siga imunizando as pessoas mais vulneráveis à Covid-19. Isso vai permitir a Alagoas que atinjamos a meta que tínhamos estabelecidos para mais pra frente em abril”, comemorou Renan Filho.

A nova remessa dará continuidade a vacinação para os profissionais de saúde da linha frente, bem como, vai ampliar a vacinação dos profissionais de saúde autônomos com idade entre 35 e 39 anos. O governador aproveitou o anúncio para fazer um apelo aos prefeitos, secretários municipais de saúde e aos cidadãos alagoanos.

“É muito importante que todas as pessoas que têm mais de 60 anos – mesmo que tenham 65, 67, 70, 72 ou 80 –, e que eventualmente ainda não se vacinaram, procurem o local de vacinação. Essas pessoas ainda podem se vacinar”, frisou. “A gente não pode deixar ninguém para trás na vacinação. Cada pessoa que fica para trás significa uma pessoa vulnerável, que corre mais risco de pegar a doença e ter a doença agravada”, acrescentou.

O secretário de Estado da Saúde, Alexandre Ayres, destacou que, apesar de o enfrentamento da Covid-19 está sendo extenuante, a cada nova remessa de vacina que chega a Alagoas, a esperança de quem faz saúde pública é renovada. “Porque é somente com a vacina que vamos conseguir proteger a nossa população e os profissionais de saúde que estão nessa luta diária contra essa doença”, assinalou gestor.

Com a 12ª remessa enviada pelo Ministério da Saúde para Alagoas, o Estado já recebeu 659.110 doses das vacinas CoronaVac e AstraZeneca. Do total, já foram distribuídas 513.337 doses do imunizante para os municípios. Até o momento, 413.887 alagoanos foram vacinados contra a Covid-19. 338.588 pessoas receberam a 1ª dose e outras 75.299 receberam a 2ª dose.

De acordo com a Rede Nacional de Dados em Saúde do MS, Alagoas está em 3º lugar na relação entre doses distribuídas e doses aplicadas, com um percentual de 80,60%, ficando à frente de São Paulo (4º), e atrás apenas de Roraima (2º) e do Rio Grande do Norte (1º).

Municípios definem calendário

Após a chegada, os imunobiológicos foram encaminhados para o prédio sede do Programa Nacional de Imunização em Alagoas (PNI/AL), órgão vinculado à Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), onde foram cadastrados e armazenados na câmara fria, em uma temperatura entre 2° e 8° graus Celsius.

Na sequência, os técnicos do PNI/AL definirão o quantitativo de doses que será enviado para os Centros Estaduais de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos, localizados em Maceió e Arapiraca. As vacinas ficarão disponíveis nestas unidades para cada um dos 102 municípios, que são responsáveis pela definição do calendário, do local de vacinação e das estratégias para aplicação dos imunizantes.

Para as secretarias de Municipais de Saúde (SMSs) retirarem os imunobiológicos, é preciso solicitar as doses e os insumos pelo Sistema de Informações de Insumos Estratégicos (SIES) e agendar previamente a retirada na Central de Distribuição de Maceió pelo e-mail: redefrioalagoas@gmail.com, e com a Central de Distribuição de Arapiraca pelo número: (82) 3530-0085 ou pelo e-mail: creadiarapiraca@gmail.com 

Por João Victor Barroso / Agência Alagoas

Comentários