FPI chama a atenção para poluição em reservatório em Major Izidoro

06 ago 2019 - 06:43

Água da barragem foi condenada pela FPI (Foto: Assessoria MP-AL)

A comunidade que mora próxima à barragem Major Izidoro, localizada no bairro De Fátima, periferia urbana do município de Major Izidoro, Sertão alagoano, está correndo riscos de contaminação à saúde por consumir e utilizar diariamente a água do reservatório.

A constatação é da equipe Segurança de Barragens, que integra a Fiscalização Preventiva Integrada da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (FPI do São Francisco). Na manhã desta segunda-feira (5), primeiro dia da ação, os profissionais chegaram ao local para verificar as condições da barragem. Porém, flagraram, à princípio, uma situação que põe em risco à saúde pública dos moradores do entorno.

O analista ambiental do Ibama/Bahia, Alberto Santana, ressaltou que o cotidiano de quem vive próximo a barragem é muito crítico. Como prova disso, ele citou a contaminação das águas pelos dejetos procedentes da criação de animais, a exemplo de porcos, cabras e carneiros.

“Não precisa sequer de resultados de análise  para afirmar que a  utilização das águas do açude põe em risco a saúde da população. Como não há saneamento básico, existe uma probabilidade evidente dos resíduos produzidos pelas pessoas contaminarem a área do reservatório, que é utilizado pela população e também serve para dessedentação animal”, explicou.

Caracterização do barramento

Na manhã de ontem, a FPI também utilizou um drone para fazer um sobrevoo da área. As imagens serão utilizadas para compor sugestões de melhorias. O reservatório Major Izidoro pertence ao Departamento Nacional de Saneamento e Obras contra a Seca (DNOCS).

“Vamos fazer uma caracterização do barramento e do seu entorno”, explicou o coordenador da equipe Segurança, Luciano Lopes Lima.

FPI sobrevoou a área (Foto: Assessoria MP-AL)

É a primeira vez que a FPI do São Francisco conta com a participação da equipe Segurança de Barragens, que foi
Instituída depois dos rompimentos das barragens em Minas Gerais e na Bahia.

“Nosso trabalho evolui de acordo com a demanda da sociedade. A equipe de Segurança de Barragens foi criada para prevenir novos acidentes envolvendo barragens, de acordo com o que estabeleceu o Grupo Nacional de Direitos Humanos (GNDH), que solicitou uma atuação proativa dos membros do Ministério Público “, frisou o promotor de justiça, Alberto Fonseca.

Em seguida, a equipe seguiu para a barragem São Marcos, localizado no povoado do mesmo nome, zona rural de Major Izidoro, onde foi feito procedimento idêntico de sobrevoo para que as imagens sejam analisadas para posterior relatório.

À princípio, no que se refere ao âmbito da saúde pública, os técnicos tiveram a impressão de que as águas do reservatório estão mais preservadas.

“Só há comunidade próxima em apenas um lado do reservatório. O outro está voltado para a vegetação ciliar. Por isso, acredito que existe mais influência da área rural do que da urbana”, disse Alberto Santana.

Por Assessoria / MP-AL

Comentários