Final de semana tem 15 assassinatos

04 fev 2013 - 10:00

Foto: Ilustração

Quinze pessoas foram assassinadas, neste final de semana, em Alagoas. Treze das vítimas foram mortas a tiros e apenas duas por golpes de arma branca.

No sábado chegaram ao IML da capital os corpos do servente de pedreiro Ricardo Silva do Nascimento, 26, morto a tiros na Rua Santa Fernanda, Benedito Bentes; Gemenson Alves dos Santos, 25, de Bebedouro; e Wellisson Charles da Silva, 35, morto a facadas na Rua Formosa, na Levada.

Já o IML de Arapiraca recebeu no sábado o corpo do motorista Milton Francisco Pereira, 56, assassinado a bala na Rua Padre Manoel Vieira de Melo, no Centro de Junqueiro.

No domingo deram entrada no IML de Maceió os corpos de nove vítimas de disparos de arma de fogo: Marcondes Gonçalves dos Santos, 24, da Travessa São Jorge, Centro do Pilar; Carlos David Camilo Correia, 25, da Rua Pajuçara, Cidade Universitária; João Brasilino da Silva, 50, morto da BR-101, zona rural de Messias; um homem não identificado aparentando cerca de 22 anos assassinado na estrada da Fazenda Canoas, zona rural de Rio Largo; Johny Silva, 22, da Rua Antônio Felisdório, Vergel do Lago; Antônio de Lima Santos Júnior, 33, do Centro de Roteiro; Adeilton Silva do Nascimento, 36, do Cambuci, Tabuleiro do Martins; Ailton Alves dos Santos, 35, assassinado na Avenida Siqueira Campos, Trapiche da Barra; Reginaldo Lou Braz, 31, da Usina Taquara, zona rural de Colônia Leopoldina; além de um homem não identificado, morto a facadas no Tabuleiro do Martins.

No IML de Arapiraca não chegou nenhuma vítima homicídio no domingo.

Nas primeiras horas de hoje chegou ao IML de Maceió para exame de necropsia o corpo de um homem, ainda não identificado, morto a bala às margens da rodovia BR-104, na zona rural de União dos Palmares.

Enforcamentos

A dona de casa Glicélia Heloisa Evangelista da Silva, 28, morreu enforcada na noite do sábado dentro de sua casa, na Travessa Manoel Viana, Jacintinho.

Rogério dos Santos Rodrigues, 24, foi morto por enforcamento no domingo na Rua Projetada, Centro de Lagoa da Canoa.

Ainda não há informações se os casos de enforcamento foram suicídios ou homicídios.

Por Mais.al

Comentários