FEELING (SENTIMENTOS)

10 agosto 2021


Foto: StockSnap / Pixabay

Esta é uma crônica de sentimentos. De experiências vividas, em tempo real. De por exemplo, ligar a tevê, no finalzinho da semana, e ouvir o narrador emocionado, emocionar-nos. Aos gritos de: “É ouro! É ouro! O Brasil é ouro!” referindo-se a conquista olímpica da nossa seleção canarinha, sagrando-se bicampeã olímpica em Tóquio, no Japão.

É puro sentimento, acessar o aplicativo das redes sociais Facebook, e encontrar páginas exclusivamente dedicadas a músicas, das décadas de 60, 70, 80. E você consegue, literalmente, mergulhar no passado, através de belas páginas musicais com intérpretes nacionais e internacionais.  Ao exemplo dos grupos: ABBA, BEE GEES, BEATLES, e cantores como, Demis Russo (que o locutor nos ensinou, 40 anos depois, como se pronuncia corretamente o nome do cantor egípcio: Demí Russô!).

Descobrir, através da postagem, do amigo e confrade João Neto Felix Mendes, no aplicativo Whatsapp, num vídeo da banda californiana BREAD[Pão]-1961, que a música “EVERYTHING I OWN”[TUDO QUE POSSUO] é uma música que fala de amor, do amor de um filho pelo pai. “I would give everything I own/ Just to have you back again/ You tought me how to love/ What it’s of/ You never said too much/ But still you showed the way/ And I kenew from watching  you. TRADUÇÃO: “Você me protegeu do mal/ Me manteve aquecido/ Você me deu a minha vida/  Me libertou/ Os melhores anos que eu conheci/ Foram todos anos que tive com você.”

Num misto de extasiado e estupefato, descobrir que a música “LET IT BE”[DEIXA ESTAR – 1970] da banda britânica, “The Beatles”, fala de Maria, Nossa Senhora, Mãe Santíssima: “When I find myself in times of trouble/ Mother Mary comes to me/ Speaking words of windom/ Let it be.” TRADUÇÃO: “Quando eu me encontro em momentos difíceis/Mãe Maria vem para mim/ Não haverá tristeza/ Deixe estar.” 

Encher-me de ternura, ao assistir outro vídeo, postado pelo meu amigo e confrade João do Mato: FEELING[SENTIMENTOS]-1975 do brasileiro Morris Albert, que se projetou internacionalmente, na década de 80, com essa música que tem mais de 300 versões.  Agora numa nova interpretação no estilo “Soul”, por bandas da Grã-Bretanha, Japão e Estados Unidos “Nothing more than feelings/ Trying to forget/ My feelings of love.” TRADUÇÃO: “Nada mais do que sentimentos/Tentando esquecer/ Meus sentimentos de amor.”

Sentimento bom, de nostalgia, ao ouvir o cantor Ney Matogrosso [01.08.1941] que acaba de se tornar octogenário. Ainda com tanta vitalidade, energia, e sensibilidade, suficiente para interpretar entre outras composições: BIGORRILHO, junto com a cantora Maria Alcina [1949]. “Lá em casa tinha um Bigorrilho/ Bigorrilho fazia mingau/ Bigorrilho foi quem me ensinou a tirar o cavaco do pau/ Trepa Antonio, o siri tá no pau/ Eu também sei tirar o cavaco do pau.”

Emocionado e nostálgico, ao ver um vídeo dum professor, que infelizmente desconheço o nome. Falando do quão, chata está nossa atual sociedade. Com muita propriedade, discorre como era legal, num passado não muito distante. Em que, os canais de televisão traziam pra dentro de nossas casas, quatro estereótipos: Na figura d“Os Trapalhões”, Didi, um  nordestino, cearense, Mussum um alcoólatra, o mineirinho Zacarias e o irreverente Dedé. Com muito humor abordavam temas como homossexualismo, alcoolismo, o regionalismo linguístico. Entre outros temas polêmicos para a época; dois gordos: Faustão e Jô Soares, que riam das suas próprias gorduras; Pelé um negro, conhecido mundialmente, pelo seu futebol, nunca teve nenhum preconceito com relação a sua cor, Roberta Close o mais famoso transexual, e Rogéria um travesti, ambos participavam dos mais variados programas de tevê, sem ofenderem, sem se sentirem ofendidos. Chacrinha com o bordão “Maria sapatão” nunca foi criticado por isso.  Ney Matogrosso, desafiando todos os padrões, seminu se apresentava nos programas de maior audiência, em horário nobre, sem falso pudor, sem provocar escândalo; o cantor Cazuza, Clodovil estilista, o cantor Agnaldo Timóteo. Este dois de cá, se tornariam parlamentares, defendo suas convicções, um, de negro, ambos, de homossexuais. Nelson Gonçalves assumiu ser  ex-usuário de drogas. Outro Nelson, Ned, este de cá era anão. Jamais se sentiram inferiores ou discriminados pelo que eram, ou um dia foram. E falou de outros personagens de nosso vasto cenário artístico, que assumiam suas condições sem frescura, sem falso moralismo. E conclui: “Ô sociedadezinha chata, a atual que vivemos!”

MAS, O QUE É UM BIGORRILHO? “É um Coco [folguedo do nordeste brasileiro] da autoria de Paquito, Romeu Gentil e Sebastião Gomes, composto em 1963. Inspirado remotamente no Lundu [folguedo africano-Angola] “Isto É Bom” de Xisto Bahia, e no samba “O Malhador” de Pixinguinha. Regravado por vários outros artistas: “Renato e Seus Blue Caps” e Lulu Santos. Bigorrilho é também um epíteto[apelido ou injúria] atribuído aos políticos considerados inicialmente de oposição ao golpe militar de 1964 [ é provável que dessa época, o termo tenha adquirido o sinônimo de sujeito de má índole, pessoa de má fama]; Bigorrilho [feminino: Bigurrilha]  também significa[regionalismo do nordeste brasileiro] indivíduo agregado, arrimo de família, adotado, alguém que foi aceito, mesmo depois de velho, por uma família. Fonte: Google.com.br  

Sentimento bom, de fortalecimento dos laços afetivos, entre eu e meus familiares. Revivi, ao assistir o vídeo enviado pelo amigo e confrade Marcelo Fausto, sobre o significado do termo: “Egrégora” “Do grego, egrêgorein, “velar”, “vigiar”. É como se denomina a força espiritual criada a partir da soma de energias coletivas: mentais e emocionais. Fruto da congregação de duas ou mais pessoas. Pode também significar um campo de energia extrafísica criada no plano astral a partir da energia emitida por um grupo de pessoas  através dos seus padrões vibracionais. Fonte: wikipedia.org.br” Significa dizer que, nos ambientes que convivemos, de nós e das outras pessoas emana uma energia que carrega aquele ambiente positivamente, ou não, dependendo das energias que emanamos.

UM POUCO DE HUMOR PRA ENCERRAR

NAS OLIMPÍADAS DA VOLTA A ESCOLA 

OS PROFESSORES SERÃO MEDALHISTA DE OURO, NESSAS MODALIDADES:

LEVANTAMENTO DE PESO [UM MONTE DE LIVROS]

VÔLEI! TERÃO QUE FAZER E SOFRER VÁRIOS “BLOQUEIOS” DE CONTATOS TELEFÔNICOS.

NATAÇÃO: NADA! NADA! NADA! E VAI MORRER NA PRAIA COM RELAÇÃO ÀS SUAS FINANÇAS.

SALTO EM DISTÂNCIA: NO AVANÇO DA APRENDIZAGEM.

BOXE: TODO MÊS UMA LUTA PRA PAGAR AS CONTAS.

MUITO PROVÁVEL NÃO PARTICIPARIA. NÃO PASSARIA NO EXAME ANTIDOPING DE TANTO RIVROTIL QUE TOMA.

INDEPENDENTE DE TUDO ISSO: SOMOS TODOS MERECEDORES DE MEDALHA DE OURO!

O AGENTE DE TURISMO NO CEMITÉRIO

-Quem vive aqui não pode ser enterrado nesse cemitério.

-Nossa! Por que?

Por que a gente só enterra quem morre.

TIRIRICA FILOSOFA E PROFUNDO:

“SER PAI… É TER UM FILHO.”

HOMEM ENTRA NA JUSTIÇA PARA LEGALIZAR CASAMENTO COM UMA JUMENTA

DEUSIMAR SANTOS DE OLIVEIRA DE ITAPIPOCA-CEARÁ ALEGOU QUE: “Eu gosto dela. Ela não me pede dinheiro, não se importa com a hora que eu chego, não tem ciúmes, não chora, nem implica comigo.”

JOÃOZINHO E O DIA DOS PAIS

A professora pede: -Turma, faça uma dissertação homenageando seu pai: Tem que ter a frase PAI SÓ TEM UM! -Ok, Professor! Meu pai disse, Joãozinho vá buscar três umbus na geladeira pra eu tomar uma cana. Eu fui abrir, e disse: PAI SÓ TEM UM!”

FABIO CAMPOS, 08 DE Agosto de 2021.

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.