Família diz que ação que prendeu Preto Boiadeiro não tinha mandado judicial

21 dez 2018 - 19:10

Preto Boiadeiro foi preso por posse ilegal (Foto: Reprodução / Sertão em Foco)

Advogados da família Boiadeiro se manifestaram sobre a ação que prendeu Anselmo Cavalcanti de Melo, conhecido por “Preto Boiadeiro”. Ele foi detido na última quarta-feira (19) por posse ilegal de arma de fogo em Senador Rui Palmeira, município do Médio Sertão de Alagoas.

Em contato com o site Alagoas na Net os defensores criticaram a ação da Polícia Civil e alegaram que a busca na casa de Preto aconteceu sem mandado judicial e que ainda teria motivos escusos, que não foram pela procura de uma arma de fogo.

“Essas buscas demonstram o desespero dos delegados no sentido de capturar nosso cliente José Márcio Cavalcante de Melo, o “Baixinho Boiadeiro”, relatou o advogado Tuca Maia, se referido ao irmão de Preto, acusado de participação na morte do ex-vereador Tony Pretinho.

Relembrou perícia

Tuca Maia alega que a perícia feita na arma de Baixinho apontou que a pistola é de diferente calibre usada na morte do parlamentar e relembra também que Tony não era desafeto de ninguém da família Boiadeiro.

“Tony Pretinho era compadre de Baixinho, amigo e aliado político de Neguinho Boiadeiro, não há motivação. Jogar uma acusação tão séria precisa ter elementos indiciários suficientes”, alega o defensor.

Apresentar Baixinho

Ainda em contato com a nossa reportagem, a defesa da família Boiadeiro disse que segue “sem nenhum destemor” e que em breve irá apresentar Baixinho a justiça, para que ele possa se defender na forma da lei.

Por Lucas Malta / Da Redação 

Comentários