Fala de Secretário da Fazenda de Alagoas irrita deputados na Assembleia A polêmica fez o representante da Sefaz ter que voltar a abordar o assunto em suas redes sociais, nesta terça (30).

30 mar 2021 - 20:00

Secretário George Santoro (Foto: Adailson Calheiros / Agência Alagoas)

Uma manifestação do secretário da Fazenda de Alagoas, George Santoro, através do seu perfil no Twiter, provocou a ira de diversos deputados estaduais da Assembleia Legislativa de Alagoas (ALE). A polêmica fez o representante da Sefaz ter que voltar a abordar o assunto em suas redes sociais, e tentar minimizar o fato nesta terça-feira (30).

A fala que causou desconforto dos parlamentares foi postada no dia 17, quando Santoro falou sobre manifestações políticas questionando os impostos nos combustíveis. Para o secretário, a briga deveria estar voltada para liberar a venda direta do álcool das usinas aos postos. “Aí sim baixa o preço!!!! O resto é apenas discurso político vazio!”.

Veja abaixo o twite completo:

A mensagem de Santoro repercutiu durante alguns dias em veículos de imprensa e na tarde desta terça-feira (30), vários deputados decidiram também falar da manifestação. Quem primeiro levou o assunto foi a deputada Ângela Garrote (PP), que vestiu a carapuça e logo disparou: “Não tenho um discurso vazio quando falo de um dos tributos mais caros do País”.

“Quero dizer ao secretário Santoro que o lucro para o Estado em um litro de gasolina é de R$ 1,60, pois aqui nós temos a pauta mais cara, que é de 29%”, afirmou a deputada, acrescentando que para os donos de postos de combustíveis, que pagam uma série de tributos, o lucro é de apenas R$ 0,50.

Deputados questionam fala de secretário da Fazenda (Foto: Assessoria / ALE)

Quem logo se juntou ao coro foi o deputado Davi Maia, destacando que o assunto sempre foi discutido na Casa sobre fatos comprovados e que o secretário George Santoro ao se pronunciar sobre a cobrança foi “muito infantil”. “Quem é ele para criticar a Assembleia? Este é um Governo que não fala a verdade”, disse Maia.

O deputado Léo Loureiro (PP) se disse preocupado com a fala. “Temos um secretário da Fazendo dizendo que nós somos vazios. Acho que ele não tem acesso aos meios de comunicação, nem ao Diário Oficial, para ficar informado que essa Casa tem estado perto e em consonância com todos os anseios da população”, observou.

Outras falas ainda se sucederam, como o deputado Inácio Loiola (PDT), a parlamentar Jó Pereira (MDB), além dos deputados Bruno Toledo (PROS), Galba Novaes (MDB) e Antônio Albuquerque (PTB). Mais detalhes de cada fala pode ser conferido, CLICANDO AQUI.

Explicou a fala

Diante da repercussão, no final da tarde de hoje o secretário da Fazenda voltou a sua rede social e explicou a fala tão polêmica. Para Santoro, sua manifestação teve “interpretações equivocadas”. Ele afirmou que quando comentou falou em “discurso político vazio”, teve intenção de criticar folhetos apócrifos, que circulavam nas redes sociais.

O secretário da Fazenda reforçou que não se dirigiu a nenhum deputado ou a atuação de ninguém da Assembleia Legislativa de Alagoas.

Por Lucas Malta / Da Redação

Comentários


Importante! Este site utiliza cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes. Ao continuar a navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.