Estudante santanense conta história da sua terra no dia da Emancipação Política

24 abr 2019 - 15:10

Foto: Lícia Maciel / Reprodução / Instagram

No dia 24 de abril de 2019, a princesinha do Sertão completa mais um ano de emancipação. Ao todo são 144 anos contados a partir de quando se tornou vila no ano de 1875. Santana do Ipanema, terra acolhedora, localizada no sertão alagoano, tem aproximadamente 48 mil habitantes e quase 440 km² de extensão.

De início o pequeno arraial localizado na foz do Riacho Camoxinga, afluente do Rio Ipanema, era povoado por índios e mestiços, porém seu marco inicial se deu com a construção da capela de Senhora Santana (atual Igreja Matriz) que foi erguida em 1787 na fazenda de Martinho Rodrigues Gaia pelo Padre Francisco José Correia de Albuquerque e o dono da fazenda, a pedido da esposa de Martinho, Ana Tereza.

Ambos foram os responsáveis pelo início da povoação da então denominada Ribeira do Panema, que em 1836, sob influência política e sacerdotal do Padre Francisco Correia ela se torna freguesia e ganha o nome de Sant’Ana da Ribeira do Panema.

No ano de 1815, os irmãos Pedro e Martinho Vieira Rego descendentes de portugueses ganharam do Rei D. João VI, a sesmaria que compreendia as terras da Ribeira do Panema e de sua circunvizinhança, fator que impulsionou a economia local e consequentemente culminou com o processo de emancipação.

Santana do Ipanema é identificada pela produção agropecuária e os serviços mercantis, é considerada uma cidade polo, pois ajuda alavancar o desenvolvimento da região.

O nome do município se deu em virtude do Rio Ipanema que banha a cidade, e pela padroeira Santa Ana. Tua bandeira simboliza nossas cores, evidenciando nossas maiores riquezas. “O teu passado de glória está vivo em nossa memória e teus filhos hão de aprender. É mais forte o meu desejo de dizer sou sertanejo, santanense até morrer”, diz parte do seu hino.

Fontes historiográficas:

Clerisvaldo B. Chagas. Monumento iconográfico aos 230 anos de existência de Santana do Ipanema (AL);

Padre Theotônio Ribeiro. Escorço Biográfico do Missionário Dr. Francisco José Correia de Albuquerque.

Por Lícia Maciel* – colaboração

*Lícia Cibelle Maciel Carvalho é santanense, escritora e estudante do curso de História pela Universidade Estadual de Alagoas- UNEAL.

Comentários