Escolas da rede estadual conquistam 152 medalhas na OBA e MOBFOG

Ana Paula Lins / Seduc

04 ago 2023 - 16:00


Alagoas teve 42.640 estudantes de 298 escolas participando das duas competições em 2023 (Foto: Ana Paula Lins / Seduc e Cortesia)

As escolas da rede estadual conquistaram 152 medalhas na edição 2023 da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) e Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG). Ao todo, foram 80 ouros, 38 pratas, 34 bronzes conquistados por 11 unidades de ensino nas duas competições, cujas provas/lançamentos aconteceram em maio.

Destas 152 medalhas, 66 foram na OBA e 86 na MOBFOG. Dentre as unidades de ensino premiadas estão as escolas estaduais Francisco Domingues, de Limoeiro de Anadia; Fernandes Lima e Edmilson Pontes, de Maceió; Padre Aurélio Gois, de Junqueiro; Constança de Góes Monteiro, de Major Izidoro; Humberto Mendes e Nova Jersey, de Palmeira dos Índios; Julieta Ramos Pereira, de Paripueira; Senador Rui Palmeira e Colégio Tiradentes (unidade Agreste), de Arapiraca.

Ao todo, Alagoas teve 42.640 estudantes de 298 escolas participando das duas competições em 2023. Pela rede estadual de ensino, foram inscritos 5.683 estudantes de 51 escolas. “Esse resultado é fenomenal e se deve ao empenho de nossos professores e alunos, os quais estão de parabéns. Vale ressaltar também que temos um trabalho excelente realizado pelo nosso Centro de Tecnologia, o Cecite, e pelo Observatório Astronômico do Cepa, que ofertam cursos de iniciação à astronomia e fomento à criação dos clubes de astronomia nas escolas”, destaca Ricardo Lisboa, superintendente de Desenvolvimento do Ensino Médio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc).

Medalhistas

O Colégio Tiradentes/unidade Agreste foi responsável por mais da metade das medalhas obtidas na OBA – 46 ao todo, sendo 17 ouros, 17 pratas e 12 bronzes. A equipe gestora celebra o resultado. “É gratificante ver as conquistas de nossos alunos. Afinal, elas refletem tamanha dedicação, assim como o empenho dos nossos professores”, destaca a subdiretora, major PM Nirley Barros. “Nossos alunos se destacam em várias olimpíadas, e as medalhas que eles têm conquistado são fruto do engajamento dos estudantes e professores nesta cultura de olimpíadas de conhecimento”, complementa a diretora pedagógica, Tatiana Lessa.

Já a Escola Estadual Francisco Domingues, de Limoeiro de Anadia, teve medalhistas tanto na OBA, quanto na MOBFOG. Com 508 estudantes inscritos nas duas competições, a instituição somou 79 medalhas – 53 ouros, 14 pratas, 12 bronzes -, sendo 77 na Mostra de Foguetes e 2 na OBA. A escola, por sinal, superou seu próprio recorde de premiação: ano passado, foram 29 ouros na MOBFOG, enquanto, este ano, foram conquistadas 50 medalhas a mais.

O resultado é consequência da intensa mobilização realizada na escola para as olimpíadas de conhecimento, por meio do Projeto Chiquinho Olímpico. A partir desta iniciativa, os professores incentivam e preparam os estudantes para a participação em diversas olimpíadas, a exemplo das de Matemática, Geografia, Cartografia e Física.

“Este ano, o Projeto Chiquinho Olímpico já colheu excelentes resultados, e os nossos professores e alunos estão de parabéns. Além das 53 medalhas na OBA e MOBFOG, quando conseguimos um desempenho superior ao de 2022, tivemos também oito menções honrosas na Olimpíada Canguru de Matemática. Continuaremos focados para alcançarmos novas conquistas”, assegura o gestor.

Inspiração

Outra unidade que teve medalhas na OBA e na MOBFOG foi a Escola Estadual Fernandes Lima, de Maceió. Com dez medalhas – 3 ouros, 5 pratas e 2 bronzes –, sendo quatro na OBA e na MOBFOG, a escola também melhorou seu desempenho na olimpíada e na mostra, dobrando o número de medalhas. Lillya Cecília Hipólito, aluna do 8º ano do ensino fundamental, foi premiada em ambas, levando um ouro na OBA e uma prata na MOBFOG.

“Fiquei muito feliz com o resultado, e agradeço pelo apoio que tivemos da escola e do nosso professor, Geraldo Ferreira, que nos repassou muitos materiais e deu dicas para a prova. Além disso, acessei provas antigas e participei de grupos de estudo com meus amigos”, recorda Lillya.

O professor Geraldo Ferreira e a diretora Michelle Lins também comemoram o feito. “A olimpíada de Astronomia é multidisciplinar, trabalha diversos conteúdos de matemática, física, química, geografia. Ter alcançado premiação tanto na OBA, quanto na MOBFOG, é extremamente gratificante”, declara Geraldo. “O engajamento dos estudantes nas olimpíadas de conhecimento fortalece o aprendizado dos mesmos, e as conquistas dos medalhistas inspiram outros alunos a intensificarem os estudos”, reforça Michelle.

Premiados – Confira, abaixo, a lista das escolas que tiveram alunos premiados:

OBA 2023

Colégio da Polícia Militar Tiradentes – Unidade Agreste – Arapiraca: 46 medalhas  – 17 ouros, 17 pratas 12 bronzes;

Escola Estadual Julieta Ramos Pereira – Paripueira: 4 medalhas (4 ouros);

Escola Estadual Dr Fernandes Lima – Maceió: 4 medalhas (3 ouros e uma prata);

Escola Estadual Padre Aurélio Gois – Junqueiro: 3 medalhas (3 bronzes);

Escola Estadual Francisco Domingues – Limoeiro de Anadia: 2 medalhas (1 prata e 1 bronze);

Escola Estadual Humberto Mendes – Palmeira dos Índios: 2 medalhas (1 prata e 1 bronze);

Escola Estadual de Nova Jersey – Palmeira dos Índios: 1 medalha (1 prata);

Escola Estadual Professor Edmilson de Vasconcelos Pontes – Maceió: 1 medalha (1 bronze);

Escola Estadual Senador Rui Palmeira – Arapiraca: 1 medalha (1 bronze);

Escola Estadual Professora Laura Maria Chagas de Assis – Santana do Ipanema: 1 medalha (1 bronze);

Escola Estadual Rocha Cavalcanti – União dos Palmares: 1 medalha (1 bronze).      

MOBFOG 2023

Escola Estadual Francisco Domingues – Limoeiro de Anadia: 77 medalhas (53 ouros, 13 pratas e 11 bronzes);

Escola Estadual Dr Fernandes Lima – Maceió: 6 medalhas (4 pratas, 2 bronzes);

Escola Estadual Constança de Góes Monteiro – Major Izidoro: 3 medalhas (3 ouros).

Comentários